Menu
2020-05-08T13:49:35-03:00
Estadão Conteúdo
situação crítica

S&P rebaixa rating de transferência e conversibilidade da Argentina para CCC-

Decisão reflete o entendimento de que há restrição ao acesso de divisas estrangeiras que seriam essenciais no pagamento da dívida do país

8 de maio de 2020
13:48 - atualizado às 13:49
Hernán Lacunza, ministro de Fazenda da Argentina

A S&P rebaixou nesta sexta-feira, 8, o rating de transferência e conversibilidade da Argentina de B- para CCC-. De acordo com a agência de classificação de risco, a decisão reflete o entendimento de que há restrição ao acesso de divisas estrangeiras que seriam essenciais no pagamento da dívida do país.

"Uma grande variedade de restrições no mercado de câmbio permanece em vigor para proteger as reservas internacionais", afirma a S&P, em nota. "Os desequilíbrios macroeconômicos continuaram a aumentar na Argentina e levaram à depreciação das taxas de câmbio oficiais e de mercado nas últimas semanas", segue a instituição.

Ainda que não haja o estabelecimento de perspectivas para o rating de transferência e conversibilidade, a S&P afirma que o a avaliação pode ser alterada caso surjam novos sinais de estresse nos mercados.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

varejo online

B2W tem alta de 56% nas vendas e diminui prejuízo, que chega a R$ 43,8 milhões

Linha final do balanço é 57% melhor do que há um ano, enquanto mercado falava em prejuízo de R$ 60 milhões no terceiro trimestre; receita teve alta de 58,5% no período

cardápio de balanços

Suzano, Fleury e Totvs: os balanços que mexem com o mercado nesta sexta

São empresas cujas ações fazem parte da carteira teórica do Ibovespa – ou seja, os resultados das companhias ajudam a calibrar o índice

Sucessão no bancão

Milton Maluhy Filho será o novo presidente do Itaú Unibanco

Maluhy tem 44 anos e ingressou no Itaú em 2002. Após passar por diversas funções, o executivo ocupa o cargo de vice-presidente da área de riscos e finanças do maior banco privado brasileiro.

Big Techs

Resultados de Facebook, Google, Amazon, Twitter e Apple mexem com o mercado; veja números

Apesar dos resultados estarem bastante acima do esperado pelos analistas, as ações de algumas das gigantes caíram no pós-mercado em NY

Rombo

Governo Central tem déficit de R$ 76,1 bilhões em setembro

O resultado, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, sucede o déficit de R$ 96,096 bilhões de agosto.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies