Menu
2019-02-28T10:01:42-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Devagar, devagarinho

PIB termina 2018 com crescimento de 1,1%

No acumulado do ano passado, o PIB terminou em R$ 6,8 trilhões. Já o PIB per capita alcançou em valores correntes R$ 32,747, o que representa leve alta de 0,3% em relação ao ano de 2017

28 de fevereiro de 2019
9:27 - atualizado às 10:01
mapa do brasil real
Montagem com uma moeda saindo do Brasil - Imagem: Shutterstock

Em ritmo de alta, o Produto Interno Bruto (PIB) terminou o ano com crescimento de 1,1% em relação ao anterior, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado do ano passado, o PIB fechou em R$ 6,8 trilhões. Já o PIB per capita alcançou em valores correntes R$ 32,747, o que representa leve alta de 0,3% em relação ao ano de 2017.

Na comparação com o terceiro trimestre de 2018, o indicador obteve crescimento de 0,1% no quarto trimestre de 2018, o que representa o oitavo resultado positivo consecutivo nesta base de comparação. A agropecuária e os serviços apresentaram variação positiva de 0,2%, enquanto a indústria recuou 0,3%.

No caso das atividades industriais, a queda foi puxada pelas indústrias de transformação com queda de 1%. Já as atividades de eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (3,9%), as indústrias extrativas (1,9%) e a construção (0,1%) apresentaram variações positivas.

Nos serviços, apenas informação e comunicação (2,1%),atividades imobiliárias (0,7%), outras atividades de serviços (0,4%) e administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (0,1%) tiveram variações positivas.

Enquanto isso, os destaques negativos vieram de atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (-0,5%) ao transporte, armazenagem e correio (-0,3%) e comércio (-0,1%).

Pela ótica da despesa, a despesa de consumo do governo recuou 0,3%. Já a despesa de consumo das famílias cresceu 0,4%. No setor externo, as exportações de bens e serviços cresceram 3,6%, enquanto as importações de bens e serviços caíram 6,6% em relação ao terceiro trimestre de 2018.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

PRÉVIA DOS BALANÇOS

Os grandões vêm aí: Petrobras e Vale divulgam os resultados; veja o que esperar

Semana será marcada pela apresentação dos resultados de algumas das principais companhias da B3

agenda lotada

Os segredos da bolsa: balanços de pesos-pesados podem manter Ibovespa em alta em semana de Copom

Lá fora, resultados do terceiro trimestre de Amazon, Apple, Facebook, Google e Microsoft são destaques, além de decisões de bancos centrais

O GRANDE DRAGÃO VERMELHO

Pandemia deve reforçar poder chinês na economia

Movimento aponta para a continuidade das tensões com Estados Unidos e manutenção da alta demanda por matérias-primas produzidas pelo Brasil

PANOS QUENTES

‘Apresentei desculpas e colocamos ponto final’, diz Salles sobre atrito com Ramos

Salles e Ramos protagonizaram o mais recente atrito dentro do governo, tornado público após chefe do Meio Ambiente se referir ao general como “Maria Fofoca”

ALÍVIO

Mortes por covid-19 chegam ao menor nível desde maio, diz Fiocruz

Média móvel de novos casos ficou em 22.483 no sábado, alta de 11% em relação aos casos da semana anterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies