Menu
2019-10-11T07:20:15-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
um pouco menos

Agência reduz projeção para avanço na demanda global por petróleo em 2019

AIE diminuiu sua projeção para o crescimento da demanda este ano para 1 milhão de barris por dia (bpd)

11 de outubro de 2019
7:20
petróleo e dólares
Imagem: Shutterstock

A desaceleração da atividade econômica no globo já tem impactos sobre o consumo de petróleo. A constatação foi apresentada há pouco pela Agência Internacional de Energia (AIE), que diminuiu sua projeção para o crescimento da demanda este ano para 1 milhão de barris por dia (bpd).

No mês passado, o relatório da entidade que tem sede em Paris contava com um incremento de 1,1 milhão de bpd. A instituição também reduziu o prognóstico para o ano que vem, de 1,3 milhão de bpd para 1,2 milhão e bpd. Esta é a quarta diminuição apresentada pela AIE nos últimos seis meses.

"Esperamos que o crescimento em 2019 seja o mais fraco desde 2016, após evidências de uma desaceleração em várias regiões e países importantes, incluindo (países da) Europa, Índia, Japão, Coreia e EUA", avaliou a entidade, acrescentando, porém, que a expansão da demanda por petróleo na China se mantém em níveis "robustos".

O relatório mensal também destacou que a oferta global teve queda de 1,5 milhão de barris por dia em setembro, para 99,3 milhões de bpd, após os ataques às instalações de processamento sauditas em Abqaiq e Khurais. O episódio levou a uma redução temporária do suprimento global de 5%.

Em relação à produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a AIE registrou uma queda expressiva no mês passado, de 890 mil bpd, para 28,82 milhões de bpd. De acordo com a entidade, este é o nível mais baixo desde 2009, quando foram feitos cortes profundos no fornecimento para sustentar os preços durante a recessão econômica global.

Apenas a oferta saudita recuou 770 mil bpd em setembro, a 9,02 milhões de bpd. Depois da Arábia Saudita, a segunda maior redução ocorreu na Venezuela. "A produção da Opep caiu para a maior baixa em dez anos em função das interrupções e das reduções contínuas da Venezuela, atingida por sanções", frisou.

A agência prevê, no entanto, que a produção do cartel deve se recuperar este mês devido à rápida recuperação das operações na Arábia Saudita.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

CHATEADO

Guedes rebate críticas e diz que governo manteve o rumo mesmo no caos

Ministro também respondeu ao presidente do BC, que disse que é preciso plano para lidar com trajetória da dívida

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil tem 6,16 milhões de casos acumulados e 170 mil mortes

Nas últimas 24 horas, número de novos infectados sobe 54% e mortes avançam 4%, diz Ministério da Saúde

Que bolsa é essa?

Vacina ou vírus? Ganhe nos dois cenários com este IPO na bolsa

Uma das maiores gestoras do setor imobiliário está lançando um fundo a um preço bem interessante e com potencial para pagar proventos na casa de 7% ao ano

seu dinheiro na sua noite

E essa Black Friday em ano de crise, vai dar bom?

Estamos prestes a viver uma Black Friday num ano de forte crise, em que as pessoas ficaram confinadas em casa. Definitivamente não é o melhor dos cenários para uma data tão voltada para o consumo. Por outro lado, foi na internet que a Black Friday ganhou força no Brasil, e o e-commerce deu um enorme […]

alta de 32% no ano

Parte da desvalorização maior do real se deve à dívida, diz presidente do BC

Roberto Campos Neto lembrou que o encerramento do ano é, tradicionalmente, um período de mais remessas de recursos ao exterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies