Menu
2019-06-26T10:07:09-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Mercado de capitais

Martelo batido: oferta de ações da Petrobras rende R$ 7,3 bilhões para a Caixa

Quem reservou ações ON da Petrobras na oferta vai pagar R$ 30,25, um desconto de 1,5% em relação à cotação de fechamento dos papéis na bolsa nesta terça-feira (R$ 30,70)

25 de junho de 2019
22:33 - atualizado às 10:07
Petrobras
Imagem: shutterstock

A Caixa Econômica Federal se desfez da participação que detinha na Petrobras com uma oferta de ações que rendeu R$ 7,3 bilhões ao banco público.

Quem reservou ações ordinárias (ON) da Petrobras (PETR3) na oferta vai pagar R$ 30,25. Trata-se de um pequeno desconto de 1,5% em relação à cotação de fechamento dos papéis na bolsa nesta terça-feira (R$ 30,70).

A intenção da Caixa era vender até 24% das ações da estatal na oferta a investidores pessoas físicas. O período de reserva terminou ontem.

Ainda não se sabe se todos os que fizeram as reservas foram atendidos integralmente. O banco dará preferência aos investidores que reservaram os papéis com a cláusula de "lock-up", que proíbe a venda durante o prazo de 45 dias. Funcionários da Caixa e da Petrobras também terão prioridade na alocação.

A venda das ações da Petrobras faz parte da estratégia dos bancos públicos de se desfazerem de todas as participações em negócios que não fazem parte da atividade principal. Em fevereiro, a Caixa já havia feito uma venda de R$ 2,5 bilhões em ações da resseguradora IRB, também em uma oferta pública.

Com os recursos da venda dos papéis da Petrobras, o banco pretende devolver ao Tesouro recursos que haviam sido aportados nas gestões petistas. A meta é devolver até R$ 20 bilhões em recursos neste ano, segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

O banco deve continuar movimentando o mercado de capitais nos próximos meses, quando estão previstos os IPOs (sigla em inglês para oferta pública de ações) das unidades de seguros, cartões, loterias e fundos.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

balanço

Pix movimenta R$ 11,8 bilhões na primeira semana de operação

Volume considera as transações realizadas entre o dia 16 de novembro, início da ferramenta, até ontem, dia 22

ainda não é oficial

Biden deve nomear Janet Yellen como secretária do Tesouro, diz jornal

Se confirmada pelo Senado, Janet Yellen será a primeira mulher a assumir a função; bolsas subiram com a notícia

fim do dia

Tudo para cima: Ibovespa fecha em alta com vacina de Oxford 70% eficaz, enquanto risco fiscal pressiona dólar e juros

Principal índice da B3 fecha no maior patamar desde 21 de fevereiro e acumula ganhos de 14% em novembro. Paralisia com reformas e crescente dívida pública instigam alta da moeda americana

Corrida contra o tempo

Moody’s: vacinação em massa tem potencial significativo de melhora do PIB global

Hoje foi a vez da AstraZeneca, que seguiu as farmacêuticas Moderna e Pfizer nas semanas anteriores, todas com eficácia na casa dos 90%.

privatizações na agenda

Guedes diz que é preciso privatizar os Correios ‘antes que o ativo se deteriore’

Ministro classificou como importante a rede de entregas da estatal; ele justificou demora em desestatizações e reiterou que auxílio emergencial acaba no final do ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies