Menu
2020-01-02T13:53:13-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
FUNDO IMOBILIÁRIO

MRV inicia negociações do fundo imobiliário Luggo na B3

No informe, a construtora ressaltou ainda que, em 2020, espera fazer o primeiro follow-on (oferta subsequente de cotas) da Luggo

30 de dezembro de 2019
20:41 - atualizado às 13:53
Prédios
Imagem: Shutterstock

A construtora MRV informou hoje (30) ao mercado que iniciou as negociações do fundo de investimento imobiliário (FII) Luggo, com o código (LUGG11). No documento, a companhia também destacou que o fundo atingiu a captação máxima de R$ 90 milhões com o cadastro de quase 2 mil pessoas físicas.

Esse é o primeiro FII residencial do Brasil que conta com os quatro primeiros empreendimentos da Luggo. A MRV explicou ainda que o modelo de negócios vai funcionar da seguinte forma: após o empreendimento ser construído e locado, os ativos são transferidos para o Luggo FII e, a partir daí, a empresa segue como consultora.

No informe, a MRV ressaltou ainda que, em 2020, espera fazer o primeiro follow-on (oferta subsequente de cotas) da Luggo.

Locação de empreendimentos

Além do fundo, a MRV disse que ao longo dos próximos meses iniciará a locação de dois novos empreendimentos: o Luggo Cenarium, com 15 andares e torre única em um bairro nobre de classe média alta na zona leste de Campinas, e o Luggo Lindóia, que terá 128 unidades em um dos maiores complexos esportivos de Curitiba.

A companhia informou ainda que outros sete terrenos foram adquiridos pela Luggo para construção de novos empreendimentos focados em locação.

Os novos condomínios serão construídos em cinco estados, nas cidades de Salvador, São Paulo, Campinas, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília, totalizando 1.616 novas unidades.

Além das novidades, a MRV informou o primeiro empreendimento da Luggo, o Cipreste, atingiu 100% de ocupação em outubro deste ano e que permaneceu nesse patamar deste então.

Apesar dos primeiros distratos já terem ocorrido, o processo de relocação ocorreu dentro do mesmo mês e de forma eficiente.

"Isso é possível devido à criação de uma lista de interessados, atualmente com 165 pré-cadastros, localizada na página do empreendimento", destacou a companhia no comunicado.

Ela também informou que o Luggo Ecoville, primeiro empreendimento da Luggo em Curitiba, e que foi lançado dias antes do fundo já está 80% locado.

Segundo ela, a projeção é que o valor médio dos aluguéis fique em R$1.604,00, conforme acordado com o fundo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

No país do juro baixo

BTG, XP ou B3? Goldman Sachs aponta ação favorita para surfar crescimento do mercado de capitais

As três empresas estão entre as vencedoras do processo de desenvolvimento do mercado de investimentos no país. Mas a ação favorita dos analistas do banco norte-americano é a do BTG. Saiba por quê

balanço da crise

Abertura de novas empresas cai 23% no 2º trimestre, diz Boa Vista

Por setores, a pesquisa mostra que as empresas de serviços representaram 61,5% do total de novos negócios criados no segundo trimestre

Expansão recorde

PMI industrial sobe para 58,2% em julho ante 51,6 em junho, diz IHS Markit

O resultado ficou quase seis pontos acima do nível de junho, quando havia atingido 51,6, na série com ajuste sazonal

ajuste da estatal

Petrobras reduz preço de gás para distribuidoras em 48% em dólar e 35% em reais

Redução no preço reflete os novos contratos de venda com as distribuidoras em que o preço da molécula de gás está atrelado à variação do preço do petróleo no mercado internacional

novidades na bolsa

Eztec e PetroRio são novidades no Ibovespa, mostra prévia; Magazine Luiza aumenta participação

B3 ainda divulga mais duas prévias; renovação da carteira com as maiores ações do Ibovespa é válida entre setembro e dezembro, levando em conta os papéis mais negociados nos últimos 12 meses

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements