Menu
2019-05-13T14:31:08-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Guerra Comercial

Pode a China vender seu estoque de US$ 1 trilhão em dívida americana?

Possibilidade de retaliação além do campo comercial chegou a correr pelos mercados, mas tal movimento não faria sentido

13 de maio de 2019
14:31
guerra comercial
Imagem: Shutterstock

Os mercados globais reagem de forma negativa à escala da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China e um elemento ressurgiu dentro desse ambiente conflagrado: a possibilidade de a China vender seu estoque de títulos da dívida americana.

Sites de notícias voltaram a levantar essa possibilidade depois que a China anunciou que vai impor tarifas a produtos americanos em resposta ao movimento anunciado na semana passada por Donald Trump.

O China é maior financiador da dívida americana, com mais de US$ 1,130 trilhão em Treasuries (dados de fevereiro do Tesouro americano). Em segundo lugar está no Japão, com US$ 1,072 trilhão. Em terceiro lugar estamos nós, o Brasil, com US$ 307,7 bilhões (grande parte de nossas reservas internacionais está nesses títulos). A dívida total passa de US$ 6,3 trilhões.

Essa possibilidade de venda pelos chineses chegou a se refletir no mercado de Treasuries, com as taxas operando em alta em parte do pregão. No entanto, a busca por proteção e a avaliação do mercado de que os chineses não fariam essa venda, coloca as taxas de juros para baixo.

O papel de 10 anos tinha taxa de 2,39%, a menor desde março, depois de chegar a subir a 2,44% no começo do pregão. Quanto maior a demanda pelos papéis, menor é a taxa deles.

Conversei com meu amigo gringo sobre essa possibilidade de retaliação financeira por parte dos chineses, e ele me explicou que os chineses não pensam ou atuam como traders de mercado.

De fato, uma venda rápida dos papéis imporia novos problemas aos Estados Unidos, com uma elevação súbita das taxas de juros. Mas meu amigo explicou que os chineses levam em conta as consequências desse tipo de retaliação no médio e longo prazos.

Se eles realmente fizerem isso, podem sofrer com uma queda acentuada no fluxo de capitais e os chineses sabem que não podem abrir mão dos recursos e do financiamento internacional para sustentar e impulsionar seu crescimento econômico.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Balanço

Usiminas tem lucro acima das estimativas e Ebitda recorde no 1º trimestre

Siderúrgica reverteu o prejuízo dos três primeiros meses de 2020 e registrou lucro líquido de R$ 1,2 bilhão; Ebitda salta 325%

Esquenta dos Mercados

Com Orçamento aprovado, Ibovespa deve focar na temporada de balanços e aumento de impostos nos EUA

Além disso, o dia de hoje deve ser marcado pela repercussão do aumento de impostos de Joe Biden

DINHEIRO NO BOLSO

Neoenergia e Sanepar divulgam condições para pagamento de JCP

Ambas aprovaram pagamentos do provento no ano passado e marcaram para distribuir os valores a partir deste mês

em cima do laço

No limite do prazo, Bolsonaro sanciona Orçamento de 2021 com veto parcial

Até a sanção, governo vinha executando apenas as ações e programas considerados obrigatórios ou inadiáveis

SEXTOU COM O RUY

Quem realmente ganha dinheiro com as operações de day trade na bolsa

Se você realmente tiver interesse em viver de day trade, vai fundo. Eu apenas gostaria de lembrar que a tarefa é muito mais difícil (muito mesmo) do que as corretoras fazem parecer

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies