Menu
2019-04-04T14:10:13-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Câmbio

Dólares voltam a entrar no país em fevereiro

Fluxo cambial foi positivo em US$ 5,5 bilhões no começo do mês depois do pior janeiro desde 2013

13 de fevereiro de 2019
13:18 - atualizado às 14:10
pá-de-dolares
Imagem: Shutterstock

Na semana passada, questionamos onde estavam os dólares que já deveriam estar entrando no Brasil neste começo de 2019, depois que fluxo cambial de janeiro tinha sido o menor desde 2013. Pois bem, os dados atualizados sobre o mês de fevereiro, até o dia 8, mostram que eles apareceram e com força. Nos seis primeiros dias úteis do mês, a sobra de dólares foi de US$ 5,5 bilhões.

O fluxo cambial capta as trocas comerciais e de investimentos e aplicações do Brasil com o exterior. No fim do ano passado, mais de US$ 20 bilhões deixaram o país, especialmente pela conta financeira, que captou o movimento sazonal de empresas que fecham balanços e remetem lucros para o exterior. O usual é que em janeiro parte desse dinheiro já comece a retornar, mas agora em 2019, o movimento parece acontece um pouco “atrasado”.

Ainda é cedo para falar em tendência de recuperação, mas neste começo de fevereiro, a conta financeira teve saldo positivo de US$ 3,1 bilhões, enquanto a conta comercial mostrou resultado positivo de US$ 2,4 bilhões. A tendência é que a conta comercia passe a registar superávits ainda maiores em função dos embarques de safra. A conta financeira depende de outros vetores, como andamento das reformas, percepção de risco dos investidores e planos de investimentos de empresas externas.

Mesmo com a recuperação vista na semana passada, o fluxo acumulado no ano está em apenas US$ 5,541 bilhões, em comparação com US$ 10,4 bilhões vistos em igual período do ano passado.

Fluxo e preço

Mais uma vez os dados evidenciam que o fluxo não determina preço, pois na semana passada o dólar acumulou alta de 1,9%. No dia 6 de fevereiro, por exemplo, quando o Ibovespa caiu 3,8%, e o dólar subiu mais de 1%, retomando a linha de R$ 3,70, o fluxo cambial tinha sido positivo em pouco mais de US$ 2 bilhões.

Não que o fluxo seja totalmente desprezível para o preço, mas a formação capta as expectativas do mercado com o cenário local e externo e as movimentações dos bancos, fundos e investidores estrangeiros no mercado futuro, onde os valores movimentados são muito superiores ao fluxo à vista.

É na B3, onde comprados, que ganham com a alta do dólar, e os vendidos, que ganham com a queda da moeda, protegem suas exposições em outros mercados e fazem apostas direcionais na moeda americana. Na semana passada, os estrangeiros tinham atuado na ponta de compra de dólar futuro e cupom cambial (DDI, juro em dólar). Na venda estavam os bancos. Agora, nesta segunda semana, os estrangeiros voltaram a atuar na ponta de venda, se desfazendo de mais de US$ 15 bilhão, enquanto os fundos estão na ponta de compra.

As posições líquidas, no fim do pregão de terça-feira, mostravam o estrangeiro comprado em US$ 35 bilhões, os fundos vendidos em US$ 24,6 bilhões, e os bancos, também vendidos, em US$ 12,3 bilhões.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Ivan Sant'Anna

O novo superciclo das commodities já é uma realidade. Como você pode ganhar dinheiro com ele

Nas últimas décadas, tivemos três grandes bull markets de commodities. Agora, os astros estão se alinhando para um novo superciclo

Contas brasileiras em jogo

STF retoma julgamento sobre ICMS e PIS/Cofins; decisão pode ter impacto de R$ 258,3 bilhões para União

Os ministros já haviam declarado inconstitucional a cobrança de ICMS na base de cálculo do PIS/Cofins, mas o governo pede que a decisão não tenha efeito retroativo

São Jorge e o dragão inflacionário

A grande e ameaçadora besta da inflação começa a sair do seu sono profundo. Aos poucos, movimenta as asas e mexe sua cauda incendiária. Um vagaroso e temerário despertar. Nem de longe está cuspindo fogo — e quem viveu no Brasil nos anos 80 e 90 lembra bem do seu poder destrutivo. Mas mesmo o […]

FECHAMENTO

Dragão americano da inflação assombra ativos globais e resultado é bolsa, dólar e juros sob pressão; Ibovespa recua 2% e volta aos 119 mil pontos

A pressão inflacionária superou até mesmo o cenário político interno caótico nos holofotes do mercado e levou o principal índice brasileiro a amargar uma queda brusca

Primeiro encontro

Presidentes de Petrobras e BR se reúnem para tratar da saída da estatal da distribuidora

Os executivos, que assumiram os cargos há cerca de uma vez, discutirão a venda da participação de 37,5% que a Petrobras ainda detém na empresa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies