Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-07-14T19:57:26-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
recorde

Localiza registra lucro líquido de R$ 216,3 milhões no 1º trimestre de 2019

Valor, que não leva em conta os efeitos do IFRS 16, é 22,9% maior que o mesmo período do ano anterior

26 de abril de 2019
8:16 - atualizado às 19:57
Localiza
Loja da Localiza - Imagem: Divulgação

A Localiza apresentou resultados nesta quinta-feira que devem agradar acionistas. A empresa registrou, no primeiro trimestre de 2019, um lucro líquido recorde de R$216,3 milhões — valor 22,9% maior que o mesmo período do ano passado.

Considerando o efeito IFRS 16, o lucro líquido da empresa atinge R$ 210,8 milhões no trimestre. Analistas ouvidos pela agência Bloomberg projetavam um lucro líquido de R$ 214 milhões, tendo como base valores anteriores.

No trimestre, o Ebitda consolidado (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), excluindo-se os impactos do IFRS 16, totalizou R$ 498,5 milhões. O valor é 25,4% maior que o mesmo período do ano anterior. Considerando-se os efeitos do IFRS 16, o Ebitda totalizou R$ 538,2 milhões, informa e empresa.

Em relação a receita líquida, o valor ficou em R$ 2.447,7 milhões, o que representa 34,3% a mais que o primeiro trimestre de 2018.

Bom momento

A empresa atribui os bons resultados ao crescimento da receita e das margens nas divisões de Aluguel de Carros e Gestão de Frotas — o aumento do Ebitda foi de R$101,1. O informe de resultados também fala, entre outras coisas, na redução de R$0,7 milhão em imposto de renda e contribuição social, devido à alíquota efetiva, que passou de 27% para 22,9%.

Fundada em 1973, a Localiza teve, em fevereiro passado, a finalização da mais uma emissão de ações. A empresa capitalizou R$ 1,8 bilhão.

IFRS 16

A Localiza lembra, no informe de resultados, que desde 1º de Janeiro de 2019, estão vigentes as regras contábeis do IFRS 16, "sendo que o maior impacto que tivemos se refere aos contratos de locação de imóveis das nossas agências e lojas."

"Foram contabilizados no Ativo e no Passivo, os valores presentes dos fluxos de contratos existentes. Ao invés de despesa de aluguel (antes do Ebitda), agora temos a contabilização da depreciação do ativo que foi criado e a despesa financeira dos “juros” sobre esse novo passivo", diz a empresa.

A Localiza diz que no início dos contratos de alugueis, o impacto das despesas financeiras é maior que ao final, de forma que o impacto do IFRS 16 é negativo no lucro quando os contratos são mais novos (e agora no início da adoção) e isso se reverte ao final dos contratos. Ao longo de toda a vida do contrato, o impacto nos resultados é neutro, informa a empresa.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

GETT11 chega à bolsa com o pé direito, novo auxílio emergencial no horizonte e outros destaques do dia

Com as duas maiores economias do mundo frustrando as expectativas dos investidores e o futuro das contas públicas em um limbo, o Ibovespa não teve muito fôlego para escapar do vermelho e encerrou o dia em queda de 0,19%, aos 114.428 pontos. O Produto Interno Bruto (PIB) chinês, que cresceu 4,9% no terceiro trimestre, veio […]

Arrumando a mala

Locaweb (LWSA3) vai deixar a B3? Empresa estuda listagem nos Estados Unidos, afirma portal

Avaliada em R$ 13,5 bilhões, a empresa estreou na B3 em fevereiro do ano passado, mas pode estar prestes a abrir capital em outro país

FECHAMENTO DO DIA

Getnet (GETT11) e Lojas Americanas (LAME4) sobem forte, mas Ibovespa derrapa e dólar avança 1%

Dados econômicos na China e nos EUA decepcionaram os mercados, indicando desaceleração nas duas principais economias do mundo

Três vezes sem juros

CPFL Energia (CPFE3) parcela pagamento de R$ 1,7 bilhão em dividendos; primeira fatia cai na conta dos acionista ainda neste mês

O pagamento das primeiras duas prestações está marcado para os dias 22 de outubro e 16 de novembro, enquanto a terceira e última fatia cairá na conta dos acionistas até 31 de dezembro

MagaLu fora das urnas

Luiza Trajano confirma que não disputará as eleições, mas reforça que é uma ‘pessoa política’; entenda o posicionamento da empresária

A presidente do conselho de administração do MagaLu pretende assumir uma posição política apartidária ‘para defender causas que sejam boas para o Brasil’

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies