Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-07-14T19:57:26-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
recorde

Localiza registra lucro líquido de R$ 216,3 milhões no 1º trimestre de 2019

Valor, que não leva em conta os efeitos do IFRS 16, é 22,9% maior que o mesmo período do ano anterior

26 de abril de 2019
8:16 - atualizado às 19:57
Localiza
Loja da Localiza - Imagem: Divulgação

A Localiza apresentou resultados nesta quinta-feira que devem agradar acionistas. A empresa registrou, no primeiro trimestre de 2019, um lucro líquido recorde de R$216,3 milhões — valor 22,9% maior que o mesmo período do ano passado.

Considerando o efeito IFRS 16, o lucro líquido da empresa atinge R$ 210,8 milhões no trimestre. Analistas ouvidos pela agência Bloomberg projetavam um lucro líquido de R$ 214 milhões, tendo como base valores anteriores.

No trimestre, o Ebitda consolidado (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), excluindo-se os impactos do IFRS 16, totalizou R$ 498,5 milhões. O valor é 25,4% maior que o mesmo período do ano anterior. Considerando-se os efeitos do IFRS 16, o Ebitda totalizou R$ 538,2 milhões, informa e empresa.

Em relação a receita líquida, o valor ficou em R$ 2.447,7 milhões, o que representa 34,3% a mais que o primeiro trimestre de 2018.

Bom momento

A empresa atribui os bons resultados ao crescimento da receita e das margens nas divisões de Aluguel de Carros e Gestão de Frotas — o aumento do Ebitda foi de R$101,1. O informe de resultados também fala, entre outras coisas, na redução de R$0,7 milhão em imposto de renda e contribuição social, devido à alíquota efetiva, que passou de 27% para 22,9%.

Fundada em 1973, a Localiza teve, em fevereiro passado, a finalização da mais uma emissão de ações. A empresa capitalizou R$ 1,8 bilhão.

IFRS 16

A Localiza lembra, no informe de resultados, que desde 1º de Janeiro de 2019, estão vigentes as regras contábeis do IFRS 16, "sendo que o maior impacto que tivemos se refere aos contratos de locação de imóveis das nossas agências e lojas."

"Foram contabilizados no Ativo e no Passivo, os valores presentes dos fluxos de contratos existentes. Ao invés de despesa de aluguel (antes do Ebitda), agora temos a contabilização da depreciação do ativo que foi criado e a despesa financeira dos “juros” sobre esse novo passivo", diz a empresa.

A Localiza diz que no início dos contratos de alugueis, o impacto das despesas financeiras é maior que ao final, de forma que o impacto do IFRS 16 é negativo no lucro quando os contratos são mais novos (e agora no início da adoção) e isso se reverte ao final dos contratos. Ao longo de toda a vida do contrato, o impacto nos resultados é neutro, informa a empresa.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Não é 'block' mas é 'chain'

Aceita bitcoin: Tráfico de drogas no Rio de Janeiro aceitava criptomoedas por WhatsApp; envolvidos são presos

O grupo coordenava o envio, estoque, compra e venda por meio de um grupo “oficial” no aplicativo de mensagens

MERCADOS HOJE

Aumento do IOF pega mal e Ibovespa recua mais de 1%; dólar sobe a R$ 5,32

Depois de meses de especulação e preocupação, a saída encontrada pelo governo federal para financiar o novo Bolsa Família, rebatizado de Auxílio Brasil, não agradou o mercado e o Ibovespa começa refletindo esse mau humor.  Ontem, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que eleva o Imposto sobre Operações Financeiras até dezembro, o que deve […]

DUPLO DOWNGRADE

UBS rebaixa ação da Vale (VALE3) de compra para venda com queda do minério, apesar de dividendos

Banco suíço considera que distribuição de dividendos pela mineradora brasileira torna-se menos atraente com a cotação do minério de ferro abaixo de US$ 100

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro abre em queda com susto de aumento de imposto e exterior negativo; dólar também recua

A medida pegou os investidores de surpresa e o vencimento de opções em Nova York coloca o exterior sob pressão

O melhor do seu dinheiro

Uma ação para lucrar com a crise hídrica, Bolsonaro eleva IOF, dividendos da Vale e outras notícias do dia

Não é de hoje que o Brasil sofre com risco de apagão e racionamento de energia. Em 2001, o país precisou recorrer a blecautes programados e obrigar famílias e empresas a economizarem energia elétrica sob pena de aumentos pesados na conta de luz. Quem viveu a época lembra bem das trocas de lâmpadas incandescentes por […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies