Menu
2019-11-22T11:31:12-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Negócio fechado

Petrobras bate o martelo e vende a Liquigás por R$ 3,7 bilhões

A Petrobras assinou nesta terça-feira o contrato para venda da Liquigás para o consórcio formado por Itaúsa, Copagaz e Nacional Gás Butano, por R$ 3,7 bilhões

19 de novembro de 2019
18:39 - atualizado às 11:31
Liquigás Petrobras
Imagem: YouTube

Agora é oficial: a Petrobras acertou a venda da Liquigás — subsidiária que atua na distribuição e comercialização de gás liquefeito de petróleo (GLP) no Brasil — para um consórcio formado por Itaúsa (a holding de investimentos do Itaú Unibanco), Copagaz e Nacional Gás Butano, numa transação de R$ 3,7 bilhões.

A venda da Liquigás era uma peça relevante do plano de desinvestimentos da Petrobras, e a estatal vinha analisando propostas pelo ativo — inclusive, de grupos estrangeiros. No entanto, o consórcio brasileiro foi responsável por apresentar o lance mais atrativo, e o contrato foi assinado nesta terça-feira (19).

Pela estrutura do consórcio, a Itaúsa fará um investimento de R$ 1,4 bilhão na Copagaz, passando a deter cerca de 49% da sócia. A gestão do ativo adquirido da Petrobras ficará sob responsabilidade da Copagaz — a Nacional Gás irá comprar uma fatia minoritária da Liquigás e, no futuro, será detentora das operações em algumas localidades.

"Este novo investimento está alinhado à estratégia de alocação eficiente do capital da Itaúsa", diz a holding de investimentos do Itaú Unibanco, afirmando que a aquisição permitirá "a captura de sinergias importantes e a entrada em um dos maiores mercados de GLP do mundo".

A Liquigás possui operações em quase todos os estados brasileiros, contando com 23 centros operativos, 19 depósitos, uma base de armazenagem e carregamento rodoferroviário e uma rede de aproximadamente 4.800 revendedores autorizados. De acordo com a Petrobras, a empresa tem cerca de 21,4% de participação de mercado.

Essa não é a primeira vez que a Petrobras tenta se desfazer da Liquigás. Em  2016, o grupo Ultra — dono da rede Ipiranga e da Ultragaz — chegou a anunciar a compra do ativo, por R$ 2,8 bilhões. No entanto, a operação foi negada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), alegando preocupações de concentração de mercado.

As ações ON da Petrobras (PETR3) fecharam o pregão desta teça-feira em queda de 1,42%, enquanto os papéis PN da estatal (PETR4) recuaram 1,03%. Já os ativos PN da Itaúsa (ITSA4) caíram 1,32% — o Ibovespa terminou o dia em baixa de 0,38%, aos 105.864,18 pontos.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Segredos da bolsa

Com PIB brasileiro em foco, investidores monitoram juros futuros americanos e tensão em Brasília

O grande evento da semana é a divulgação dos números do Produto Interno Bruto brasileiro no ano passado, mas os investidores também monitoram o clima político em Brasília e os sinais de “superaquecimento” da economia americana

Novos tempos

Alvo de Bolsonaro, home office avança no setor público

Bolsonaro usou trabalho remoto para atacar presidente da Petrobras

Mais uma na área

FDA autoriza uso emergencial de vacina de dose única nos EUA

Imunizante é produzido pela Johnson & Johnson

Contra a pandemia

Matéria-prima para produção de 12 milhões de doses de vacina chega ao Rio

Total de efetivamente imunizados não chega a 1% da população brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies