Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-05T14:22:23-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Reforma da Previdência

Cadê o Paulo Guedes? O posto Ipiranga sumiu do mapa

Ministro da Economia não deu uma palavra no dia mais relevante de sua gestão até o momento

15 de fevereiro de 2019
5:34 - atualizado às 14:22
mca_abr_0611186829
Ministro da Economista Paulo Guedes. - Imagem: Marcello Casal jr/Agência Brasil

Depois de 45 dias de mandato e mais de três meses após a eleição, o governo Jair Bolsonaro tomou a decisão mais importante do governo. Fechou o texto base da reforma da Previdência, medida de “salvação nacional”, e onde estava o ministro da Economia, Paulo Guedes?

O homem mais importante no núcleo econômico do governo, que veio para dar um choque liberal em uma economia de bases arcaicas, não deu uma palavra sobre o tema, não emitiu uma nota oficial. Escapou dos jornalistas no Palácio da Alvorada, Procuradoria-Geral da República e Ministério da Economia e embarcou, em silêncio, para o Rio de Janeiro.

Depois de uma reunião no Alvorada, o escalado para dar uma palinha da reforma, depois de vazamentos e falsas “batidas de martelo”, foi o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho. Que com sua calma habitual contornou a ansiedade dos repórteres, que insistentemente perguntavam da idade mínima, para dizer o pouco que foi autorizado a dizer.

Não que a figura do secretário não seja relevante, mas tendo em vista a montanha de expectativas que rondavam o tema e a importância vital dessa reforma, seria de bom tom que Paulo Guedes desse a “boa nova”.

Aliás, Guedes ainda não concedeu nenhuma entrevista coletiva desde que passou a comandar o Ministério da Economia, maior estrutura da Esplanada dos Ministérios, com a fusão de Fazenda, Planejamento, Industria e Comércio e outros órgãos.

A batalha da comunicação

Tenho insistido que até mais importante que conquistar votos no Congresso, ou se serão 62 anos para mulheres ou 65 anos para homens, é ganhar a “batalha da comunicação”. É não deixar que corporações públicas e outros atores se organizem e façam “memes”, vídeos e campanhas usando a figura do pobre como escudo contra a perda de privilégios e "direitos adquiridos".

Ao menos não estou sozinho nisso, em entrevista ao “Estadão”, o ex-ministro Nelson Jobim afirmou que o verdadeiro foco de resistência à reforma está nas corporações do serviço público, como o Judiciário e o Ministério Público. Aliás, já vimos ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) falando em limite às reformas.

Guedes e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), parecem ter bastante ciência disso, pois já fizeram duras críticas às corporações e às “fake news” sobre o tema. Mas perderam uma grande oportunidade de explicar de forma clara para a população o que se pretende com esse 62/65 e 12 anos de transição.

Usando um termo de mercado, Guedes perdeu a chance de se "alavancar" com custo zero nessa batalha que tem de ser travada diuturnamente, pois teria todos os holofotes sobre ele e suas boas frases e comparações.

Mas enfim, no lado prático da coisa a primeira leitura do mercado foi bastante positiva, com o Ibovespa disparando minutos depois do anúncio para fechar ao redor das máximas do dia, acima dos 98 mil pontos.

As questões em aberto são muitas e até o dia 20 certamente teremos “vazamentos”, “balões de ensaio”, notícias de que essas idades não passam “nem a pau” no Congresso e todo tipo de ruído que informações incompletas podem gerar. O caminho será tortuoso com reflexo imediato nas cotações dos ativos financeiros.

Enquanto isso, ficamos no aguardo de Paulo Guedes e não dá nem para usar o famoso bordão “pergunta lá no posto Ipiranga”, porque ele é o referido posto.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Tartaruga x lebre

Warren Buffett está prestes a bater o retorno do fundo de empresas de tecnologia que brilhou na crise

As ações da Berkshire Hathaway, holding do bilionário, conseguiram lentamente se aproximar do retorno do ARK Innovation ETF, da badalada gestora Cathie Wood

Concurso 2446

Mega Sena acumula; confira os números sorteados e a previsão de prêmio para o próximo concurso

As dezenas sorteadas do concurso 2446 da Mega Sena foram 1-13-27-41-51-58. Próximo sorteio acontece no dia 25 de janeiro

Em busca de liquidez

WDC Livetech da Bahia (LVTC3) fará oferta para destravar negociações com ações para o pequeno investidor

Os papéis da WDC estrearam na B3 em julho do ano passado em oferta de ações restrita a investidores profissionais

Criptocrash

O que acontece com o bitcoin? 4 razões para o novo crash do mercado de criptomoedas

O bitcoin não é o mesmo desde que atingiu a máxima histórica de quase US$ 70 mil no início de novembro. Saiba as razões para o mau momento do mercado cripto

Sonho mais distante

Carro zero mais barato agora custa pelo menos 40 salários mínimos

Com alta de 27%, salário mínimo não conseguiu acompanhar o salto três vezes maior no período (83%) do preço do carro zero mais barato; confira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies