Menu
2019-04-05T10:23:22-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Venezuela

Bolsonaro: Ditaduras não passam o poder de forma pacífica

Em entrevista, presidente diz temer ações da “ditadura Maduro” e também fez um balanço da participação em Davos. Sobre o filho, diz que atingem o “garoto para tentar me atingir”

23 de janeiro de 2019
22:38 - atualizado às 10:23
Jair Bolsonaro entrevista REcord Davos 23 01 19
Presidente Jair Bolsonaro durante entrevista para a TV Record. - Imagem: Alan Santos/PR

Em entrevista à rede “Record”, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a história mostra que as ditaduras não passam o poder de forma pacífica. O presidente comentava os eventos desta quarta-feira, na Venezuela, onde Juan Guaidó se declarou presidente interino, ato reconhecido pelo Brasil, Estados Unidos e outros países.

“Tememos as ações da ditadura Maduro”, disse Bolsonaro, lembrando, que "há países fortes dispostos a outras consequências" como os Estados Unidos de Donald Trump. O presidente americano disse não estar considerando nada sobre a questão envolvendo a Venezuela, "mas todas as opções estão sobre a mesa".

“Estamos no limite do que podemos fazer para restabelecer a democracia na Venezuela”, disse o Bolsonaro.

Em nota divulgada mais cedo, o Itamaraty disse reconhecer Guaidó como presidente “encarregado”, acrescentando que “apoiará política e economicamente o processo de transição”.

Davos

Bolsonaro se disse feliz por fazer o discurso de abertura no Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça), que falou do “Brasil do futuro” e que foi procurado por líderes e empresários interessados no país.

Segundo o presidente, o Brasil é visto com carinho pelos empresários, mas “temos de fazer a nossa parte”, pois não podemos ter mais déficits ano após ano. As reformas, segundo Bolsonaro, serão feitas para que os empresários tenham confiança no Brasil.

O presidente também disse que investidores e empresários querem que o país seja desburocratizado, que seja mais ágil e se eliminem barreiras. “Passa por aí, que o resto vem”, disse.

Bolsonaro também falou que os ministros Paulo Guedes (Economia), Sergio Moro (Justiça) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores) “deram seu recado” e que “fazendo a lição de casa, o Brasil sai fortalecido”.

Na sequência, o presidente lembrou que o Ibovespa, principal índice de ações da B3, bateu recorde nominal de pontuação e que isso aconteceu depois das falas de Guedes e também dele ao longo do dia em Davos.

Bolsonaro também fez um breve aceno ao Congresso, ao dizer que depende do parlamento para fazer as mudanças necessárias.

Entrevista Cancelada

Sobre a entrevista coletiva prevista para a tarde desta quarta-feira e que foi cancelada. Bolsonaro disse que seguiu recomendações médicas e que tem de chegar descansado em São Paulo, no domingo, pois vai enfrentar uma cirurgia complexa. Com isso, foram cancelados os compromissos que poderiam ser cancelados e que não ele tinha nada a acrescentar à imprensa “tendo em vista o que foi tratado de forma pública” em Davos.

Flávio Bolsonaro

Perguntado sobre as investigações envolvendo o filho Flávio Bolsonaro, a postura foi diferente da vista em entrevista concedida pela manhã à “Bloomberg”, quando ele falou que “se por ventura ele vier a errar, se for comprovado, eu lamento como pai, mas vai pagar aí o preço dessa ação que nós não podemos coadunar”.

Bolsonaro disse que acredita em seu filho e que o que está acontecendo é “pressão", é algo "para tentar me atingir”. Segundo o presidente, Flávio tem dado explicações, mas teve seu sigilo quebrado, o que seria ilegal.

Segundo o presidente, ninguém está acima da lei, mas é preciso que se cumpra a lei. Para Bolsonaro, as denúncias são uma forma de “atingir o garoto para tentar me atingir”, mas com "fé em Deus", tudo será esclarecido.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Exclusivo SD Premium

Segredos da bolsa: O cachorro louco segue à solta nos mercados

Agenda repleta de balanços corporativos e indicadores econômicos importantes no Brasil, na China, nos EUA e na Europa promete deixar os investidores com os nervos à flor da pele esta semana

Balanço

Saudi Aramco vê lucro cair 73,3% com menor demanda e queda do preço do petróleo

Estatal saudita lucrou apenas US$ 6,6 bilhões no segundo trimestre, em razão de crise desencadeada pela pandemia de coronavírus

Para bater a renda fixa

Queda na bolsa no mês de julho deixou retorno dos fundos imobiliários mais atrativo

Para analistas do Banco Inter, queda dos FII em julho foi apenas um ajuste; com juro baixo e preço menor, rentabilidade potencial cresceu

O tamanho da conta

Conta da pandemia chega a R$ 700 bilhões

Segundo levantamento do Estadão, pandemia deve custar isso só em 2020, o equivalente a quase 10% do PIB e a R$ 3,3 mil para cada brasileiro. Quantia seria suficiente para pagar o Bolsa Família por 21 anos

Canetada

Trump assina quatro decretos com estímulos à economia

Diante do fracasso das negociações entre republicanos e democratas para novo pacote de ajuda trilionário, presidente americano partiu para a canetada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements