Menu
2020-05-20T13:28:01-03:00
na Alerj

Senado analisa representação contra Flávio Bolsonaro há três meses

No pedido original, os partidos acusaram Flávio de quebra de decoro parlamentar por suposto envolvimento com milicianos, suposta prática de “rachadinha” e por manter funcionários fantasmas em seu gabinete

20 de maio de 2020
13:27 - atualizado às 13:28
Flávio Bolsonaro
Imagem: Reprodução

Um pedido de cassação do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) completou três meses parado no Senado nesta terça-feira (19). Parlamentares do PSOL, Rede e PT protocolaram em 19 de fevereiro representação no Conselho de Ética contra o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro.

"O pedido foi protocolado e, dentro do prazo regimental, encaminhado para a Advocacia-Geral do Senado", disse o presidente do Conselho de Ética, senador Jayme Campos (DEM-MT). Segundo ele, não há prazo para o parecer técnico da advocacia ficar pronto, mas pode haver atraso por causa da pandemia do novo coronavírus.

No pedido original, os partidos acusaram Flávio de quebra de decoro parlamentar por suposto envolvimento com milicianos, suposta prática de "rachadinha" (ficar com parte do salário de servidores) e por manter funcionários fantasmas em seu gabinete da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) quando era deputado estadual.

Os deputados citam suposta relação do senador com o miliciano Adriano da Nóbrega, morto em uma operação policial na Bahia no dia 9 de fevereiro. Segundo o Ministério Público do Rio, Adriano teria se beneficiado da "rachadinha" na Alerj.

Ontem, os autores do pedido de cassação fizeram um adendo ao processo para incluir a acusação do suplente de Flávio, Paulo Marinho (PSDB), de que ele foi informado com antecedência sobre a Operação Furna da Onça, que mirou esquema de rachadinha na Alerj. Campos disse que vai anexar as novas denúncias ao pedido original.

Assessores

O Ministério Público Estadual (MPE) do Rio de Janeiro já investiga, desde o início do ano, um advogado e dois assessores do senador Flávio Bolsonaro que teriam participado do suposto vazamento de informações sobre a Operação Furna da Onça, segundo relato feito pelo empresário Paulo Marinho ao jornal Folha de S.Paulo.

O trio teve o sigilo bancário quebrado por determinação judicial no inquérito que apura suposto esquema de "rachadinha" no antigo gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Citados por Marinho, o advogado Victor Granado Alves e os assessores Miguel Ângelo Braga Grillo, atual chefe de gabinete de Flávio no Senado, e Valdenice de Oliveira Meliga estão na lista dos investigados do MPE na apuração sobre peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Alerj. Alves aparece ainda no relatório de inteligência financeira, do antigo Coaf (atual Unidade de Inteligência Financeira), que colocou o ex-chefe de gabinete de Flávio, José Carlos Fabrício de Queiroz, no radar das autoridades fluminenses.

O alerta supostamente feito por um delegado da Polícia Federal a Flávio e seus assessores sobre a Furna da Onça, em 2018, teria resultado nas demissões de Queiroz e da filha dele, Nathalia, de gabinetes da família Bolsonaro. Ambos foram exonerados em outubro, dias depois do suposto vazamento de dados da operação. Duas filhas de Queiroz, sua atual e sua ex-mulher também são alvo da investigação da "rachadinha".

Depoimento

Suplente de Flávio no Senado e pré-candidato à prefeitura do Rio pelo PSDB, Marinho prestará depoimento na tarde desta quarta na sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro. A oitiva é parte de inquérito sobre o suposto vazamento de informações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Dados atualizados

Mortes por coronavírus no Brasil vão a 34.973; infectados são 643.766

Na quinta-feira, havia 34.021 mortes registradas, segundo o Ministério da Saúde. O balanço diário totalizava 614.941 infectados

Números da pandemia

‘Acabou matéria no Jornal Nacional’, diz Bolsonaro sobre atraso em dados do coronavírus

Questionado sobre o terceiro dia com atraso seguido na divulgação de mortos e infectados pela covid-19 pelo Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta sexta-feira, 5, que “acabou matéria no Jornal Nacional”, telejornal da TV Globo

seu dinheiro na sua noite

A crise do coronavírus vai ser uma marolinha?

Em 2008, ao ser questionado sobre a crise financeira, o ex-presidente Lula disse que o tsunami sobre a economia global chegaria ao Brasil como uma “marolinha”. O resultado você e eu conhecemos. Pois bem, com a rápida recuperação dos mercados nas últimas semanas já vejo muita gente resgatar a tese da marolinha. Na nova versão, […]

Marcelo Guaranys

Ninguém voltará para fila do Bolsa Família após fim do auxílio emergencial, diz secretário

Depois de o governo transferir quase R$ 84 milhões do Bolsa Família para publicidade institucional, secretários do Ministério da Economia disseram que o programa está com a fila zerada

Isso é que é alívio

Dólar despenca 6,52% na semana e fica abaixo de R$ 5,00; Ibovespa dispara mais de 8%

O dólar à vista terminou a semana a R$ 4,99, indo ao menor nível desde 26 de março, enquanto o Ibovespa cravou a sexta alta seguida e voltou ao patamar de 94 mil pontos. Entenda o que motivou toda essa onda de otimismo nos mercados

Secretário especial da fazenda

Bolsa Família não foi prejudicado com transferência de recurso à Secom, diz Waldery

Ele lembrou que o governo decidiu prorrogar o auxílio emergencial por duas parcelas “em princípio” e que, depois da medida provisória que previa o pagamento permanente do 13º para o Bolsa Família caducar, o governo analisará o espaço orçamentário para esse medida neste ano

Efeito coronavírus

Varejo de SP tem perdas de R$ 16 bilhões durante quarentena, diz Fecomercio

O cálculo é da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), levando em consideração 72 dias de quarentena até ontem

Menos frequência, mais gasto

Redes de supermercados e atacarejos faturam 12,5% a mais em maio

Os dados são de um levantamento da GS Ciência do Consumo, empresa de inteligência analítica e soluções de tecnologia para indústria e varejo

YDUQ3 salta 10% na bolsa

BTG mantém-se neutro sobre Yduqs, mas vê ‘gatilho valioso’ após aquisição de R$ 120 milhões

Yduqs salta mais de 10% no Ibovespa; para BTG, o fraco ímpeto de lucros da companhia e a falta de catalisadores ainda justificam a cautela na recomendação

Dono da Warner Music

Len Blavatnik: o bilionário que apostou na indústria fonográfica e se tornou um dos homens mais ricos do mundo

Com o bem-sucedido IPO da Warner Music, na Nasdaq, Blavatnik, que apostou na empresa quando a indústria fonográfica desmoronava, saltou quase 20 posições na lista dos mais ricos do mundo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements