Menu
2019-04-04T11:27:05-03:00
Estadão Conteúdo
Desempenho positivo

Indicador de investimentos do Ipea sobe 0,4% em fevereiro

Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) saltou 10,1% em relação a fevereiro do ano passado. O crescimento acumulado em doze meses alcançou 5,2%.

4 de abril de 2019
11:27
Investimentos
Investimentos - Imagem: Mind and I/Shutterstock

Os investimentos na economia voltaram a crescer em fevereiro, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF, medida dos investimentos no Produto Interno Bruto - PIB) avançou 0,4% em relação a janeiro, na série com ajuste sazonal. O resultado sucede um crescimento de 2,1% obtido no mês anterior, quando a FBCF foi impulsionada pelas operações de comércio exterior envolvendo plataformas de petróleo.

O desempenho positivo do primeiro bimestre de 2019 já dá uma contribuição estatística para a FBCF de 2,2% no primeiro trimestre em relação ao quarto trimestre de 2018, mesmo que o indicador de março fique estagnado.

"Se não houver crescimento em março, os investimentos terão crescido 2,2% no primeiro trimestre", disse José Ronaldo de Castro Souza Júnior, diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea .

Na comparação entre o trimestre terminado em fevereiro de 2019 e o trimestre terminado em novembro de 2018, os investimentos subiram 1,1%.

No mês de fevereiro, o indicador de FBCF saltou 10,1% em relação a fevereiro do ano passado. O crescimento acumulado em doze meses alcançou 5,2%.

Na passagem de janeiro para fevereiro, o consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came) - que corresponde à produção doméstica, mas excluídas as exportações e somadas as importações - teve crescimento de 2,9%, puxando a média global do indicador de FBCF no período. Enquanto a produção interna de bens de capital líquida de exportações avançou 43,5%, a importação de bens de capital encolheu 47,1%.

"Parte da volatilidade observada em fevereiro pode ser explicada pelos efeitos das operações de comércio exterior envolvendo plataformas de petróleo ocorridas no mês anterior, que provocaram fortes oscilações nas exportações e importações de máquinas e equipamentos", justificou o Ipea, em nota oficial.

Por outro lado, o componente da construção civil recuou 1,2% em fevereiro ante janeiro. Já o componente da FBCF classificado como outros ativos fixos - que inclui investimentos em pesquisa e desenvolvimento, por exemplo - caiu 0,6% na passagem de janeiro para fevereiro.

Na comparação com fevereiro de 2018, o consumo aparente de máquinas e equipamentos cresceu 17,5% em fevereiro de 2019. A construção civil teve uma perda de 0,8%, e o componente outros ativos fixos registrou expansão de 3,7%.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Ivan Sant'Anna

O novo superciclo das commodities já é uma realidade. Como você pode ganhar dinheiro com ele

Nas últimas décadas, tivemos três grandes bull markets de commodities. Agora, os astros estão se alinhando para um novo superciclo

Contas brasileiras em jogo

STF retoma julgamento sobre ICMS e PIS/Cofins; decisão pode ter impacto de R$ 258,3 bilhões para União

Os ministros já haviam declarado inconstitucional a cobrança de ICMS na base de cálculo do PIS/Cofins, mas o governo pede que a decisão não tenha efeito retroativo

São Jorge e o dragão inflacionário

A grande e ameaçadora besta da inflação começa a sair do seu sono profundo. Aos poucos, movimenta as asas e mexe sua cauda incendiária. Um vagaroso e temerário despertar. Nem de longe está cuspindo fogo — e quem viveu no Brasil nos anos 80 e 90 lembra bem do seu poder destrutivo. Mas mesmo o […]

FECHAMENTO

Dragão americano da inflação assombra ativos globais e resultado é bolsa, dólar e juros sob pressão; Ibovespa recua 2% e volta aos 119 mil pontos

A pressão inflacionária superou até mesmo o cenário político interno caótico nos holofotes do mercado e levou o principal índice brasileiro a amargar uma queda brusca

Primeiro encontro

Presidentes de Petrobras e BR se reúnem para tratar da saída da estatal da distribuidora

Os executivos, que assumiram os cargos há cerca de uma vez, discutirão a venda da participação de 37,5% que a Petrobras ainda detém na empresa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies