Menu
2019-10-29T09:50:26-03:00
mais guerra comercial

China acusa EUA de ‘intimidação econômica’ em caso de proibição de equipamentos

Porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, disse que Pequim “se oporia de forma resoluta ao abuso de poder pelos EUA ao excluir empresas chinesas específicas com acusações indevidas na ausência de provas.”

29 de outubro de 2019
9:38 - atualizado às 9:50
China, Estados Unidos, Guerra Comercial
Imagem: Shutterstock

A China acusou nesta terça-feira os Estados Unidos de "comportamento de intimidação econômica", após reguladores americanos citarem ameaças à segurança ao propor corte de financiamento para equipamentos chineses em redes de telecomunicações do país.

Em coletiva de imprensa diária, o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, disse que Pequim "se oporia de forma resoluta ao abuso de poder pelos EUA ao excluir empresas chinesas específicas com acusações indevidas na ausência de provas."

"O comportamento de intimidação econômica dos EUA é uma negação do princípio da economia de mercado que os EUA sempre promoveram", disse Geng, acrescentando que a eventual iniciativa de Washington "minaria os interesses" de empresas e consumidores americanos, principalmente em áreas rurais.

"Gostaríamos mais uma vez de pedir aos EUA que parem de abusar do conceito de segurança nacional", disse o porta-voz.

No mês que vem, a Comissão Federal de Comunicações dos EUA irá votar sobre a possível proibição de que empresas de telecomunicações utilizem subsídios do governo para pagar por equipamentos de rede fornecidos pelas chinesas Huawei e ZTE.

De modo geral, a proibição afetaria pequenas empresas rurais, uma vez que as maiores operadoras móveis dos EUA não utilizam equipamentos das duas empresas chinesas. Fonte: Associated Press.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Exclusivo SD Premium

“Ground Stop”: É hora de se aventurar nas ações do setor aéreo?

Imagine, caro amigo leitor, o quanto não está custando a atual paralisação provocada pelo surto da Covid-19 para os setores aeronáutico e aeroportuário em todo o mundo. Cem bilhões? Duzentos bilhões? Trezentos bilhões? Um trilhão?

Reflexos da pandemia

Com coronavírus, lucro do Iguatemi cai 77,5% no 1º tri, para R$ 12,5 milhões

Operadora de shopping centers viu queda nas vendas, na receita líquida e no Ebitda com fechamento da maioria das lojas no fim de março por conta da pandemia

Atualização do Ministério da Saúde

Brasil tem 391.222 casos confirmados e 24.512 mortes pelo coronavírus

Segundo Ministério da Saúde, 158.593 pacientes foram recuperados

Projeto de ajuda a Estados

Bolsonaro diz não poder mais socorrer Estados e insiste na reabertura da economia

“Nós não podemos continuar socorrendo Estados e municípios que devem no meu entender de forma racional começar a abrir o mercado”, afirmou

seu dinheiro na sua noite

Magalu à prova de coronavírus

No último dia 18 de março, o Ibovespa amargou uma queda de 10,35%, depois de passar pela sexta vez no mês por um circuit breaker – a paralisação que acontece toda vez que o principal índice da bolsa cai mais de 10% durante um pregão. Nesse mesmo dia, as ações do Magazine Luiza registraram uma […]

Condição para socorro financeiro

MP que concede reajuste salarial a policiais e bombeiros no DF é publicada

Hoje, o presidente Jair Bolsonaro disse que deve sancionar o projeto de socorro a Estados e municípios até amanhã; edição de medida provisória era uma das condições para a sanção

Energia elétrica

Aneel retira de pauta reajuste da Cemig e prorroga vigência de tarifas atuais

Com isso, as tarifas atuais serão prorrogadas até 30 de junho

Pessimismo aumenta

IIF passa a prever que PIB do Brasil terá contração de 6,9% em 2020

Em relatório divulgado nesta terça-feira, 26, a instituição explica que a crise terá efeitos duradouros para o País

Mais alívio no câmbio

R$ 5,35: com uma ajuda do exterior, o dólar zerou os ganhos no mês e virou para queda

O clima tranquilo visto nos mercados globais abriu espaço para mais uma queda no dólar à vista — a sexta nas últimas sete sessões. Com isso, a moeda americana voltou aos níveis do fim de abril, afastando-se cada vez mais do patamar dos R$ 6,00

Títulos públicos

Tesouro Direto tem emissão líquida recorde de R$ 1,57 bilhão em abril

Com a emissão recorde, o estoque do programa fechou abril em R$ 60,24 bilhões, um aumento de 3,1% em relação ao mês anterior (R$ 58,44 bilhões)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements