Menu
2019-04-24T12:15:43-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Setor aéreo

Gol divulga previsões para o trimestre — e ações reagem mal

A companhia aérea projeta crescimento na margem Ebitda, mas também prevê aumento nas despesas operacionais

9 de abril de 2019
11:56 - atualizado às 12:15
Avião da Gol
Gol prevê crescimento da margem Ebitda, mas também projeta aumento nas despesas operacionais - Imagem: Shutterstock

A Gol divulgou hoje algumas projeções operacionais e financeiras para o resultado do primeiro trimestre deste ano.

Por um lado, a companhia aérea projeta leve crescimento na margem Ebitda — isto é, a relação entre o lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização (Ebitda) e a receita líquida. Mas, por outro, os custos operacionais, excluindo as despesas com combustível, também devem subir.

Tais previsões são preliminares e não auditadas. E o saldo dessas estimativas, ao menos para as ações da empresa, é negativo nesta terça-feira: os papéis PN da Gol recuam 2,93% no momento, a R$ 23,49, e aparecem entre os piores desempenhos do Ibovespa na sessão de hoje.

Segundo a Gol, a margem Ebitda deve ficar entre 29% e 30% entre janeiro e março deste ano, acima dos 28% contabilizados no primeiro trimestre de 2018. Na mesma base de comparação, a empresa também diz esperar um crescimento de cerca de 3% na receita unitária por passageiro (Prask, na sigla em inglês) e na receita operacional (Rask).

Já os custos operacionais, excluindo as despesas com combustível (Cask ex-combustível), também devem aumentar 3% na comparação anual. Segundo a Gol, o aumento desse tipo de gastos está relacionado à depreciação do real entre os períodos.

Em termos de capacidade, a companhia aérea prevê crescimento de 5% no ASK, um indicador operacional que mede a relação entre a quantidade total de assentos disponíveis e a distância de cada etapa de voo.

Por fim, a Gol ainda afirma ter amortizado R$ 203 milhões de dívida durante os três primeiros meses de 2019. "A liquidez total no final do trimestre está estimada em R$ 3,5 bilhões", conclui a companhia aérea.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

EM SITUAÇÃO DELICADA

FMI vê País com a pior dívida entre emergentes

Situação fiscal ruim do Brasil só é superada por países menores, como Angola, Líbia e Omã

ESQUENTA DOS MERCADOS

Coronavírus assusta, mas balanços corporativos tentam injetar otimismo nos mercados

O aumento do número de casos do coronavírus e a novela do pacote de estímulos fiscais americanos continuam como os principais fatores de cautela no radar dos investidores

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Lá e de volta outra vez: o maior IPO da história e a pandemia em semana de decisão monetária

Hegel costumava afirmar que a história sempre se repete (como disse, se reordena e retrocede sobre si). Ora, não é que nos deparamos com essas duas ideias nessa última semana de outubro?

Balanços

Santander tem recuperação em “V” e lucro sobe para R$ 3,9 bilhões no trimestre

A unidade local do banco espanhol supera expectativas de longe com lucro líquido de R$ 3,902 bilhões, alta de 5,3% em relação ao terceiro trimestre de 2019

REPARAÇÃO

Eletrobras adere a acordo de leniência da Camargo Corrêa e receberá R$ 117 milhões

Empreiteira assinou acordo de leniência em 2019, confessando ilícitos praticados contra diversas estatais e o governo federal

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies