Menu
2019-09-16T11:48:33-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
lá em cima

Em número recorde, Fundos Imobiliários chegam a 1 milhão de cotistas no primeiro semestre

Queda da taxa de juros e sinais de retomada do setor imobiliário ajudam desempenho; atualmente, são 412 fundos imobiliários em todo o País

16 de setembro de 2019
11:48
fundos imobiliários
Imagem: Shutterstock

Os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) atingiram a marca recorde de 1 milhão de cotistas no primeiro semestre de 2019. O número foi divulgado pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Um dos motivos que ajudam a explicar o desempenho dos fundos imobiliários é a queda dos juros básicos. A taxa Selic no nível mais baixo da história (6% ao ano) e com perspectiva de novos cortes até o fim do ano.

Além disso, os sinais de retomada do setor imobiliário também têm ajudado no desempenho desses fundos.

De acordo com o IBGE, o crescimento acima do esperado, de 0,4% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre teve uma grande influência da construção. O setor cresceu 1,9% nesse período, puxado justamente pelo segmento de imóveis.

Crescimento

Atualmente, existem 412 fundos imobiliários em todo o País. Juntos, eles acumularam mais de R$ 15 bilhões de captação líquida ao longo deste ano. O número representa um crescimento de 42,85% frente ao volume registrado de janeiro a agosto de 2018.

E o cenário político-econômico se mostra fértil para que os FIIs continuem crescendo. Entre as principais apostas de fundos imobiliários para o mês de setembro, por exemplo, estão o segmento de lajes corporativas. Eles representam  (prédios de escritórios) e de fundos logísticos (centros de distribuição e galpões).

O primeiro, pela baixa vacância e o aumento no preço dos aluguéis. Ambos podem levar a ganhos expressivos de renda e capita.  Em especial quando se fala em empreendimentos de alto padrão nas áreas nobres de São Paulo.

O segundo, porque tem menor volatilidade, devido ao tempo mais curto de construção, o que ajuda a reduzir os riscos.

Soma-se a isso o fato de que as empresas varejistas têm demandado maior espaço de galpões em áreas estratégicas. Essas companhias estão em disputa pelo consumidor no comércio eletrônico.

Mais galpões

"As varejistas estão tentando diminuir o tempo de entrega das mercadorias compradas pela internet. Então, elas têm de usar mais galpões para facilitar as entregas. Isso faz com que os fundos dessas categorias subam", explica Rebeca Nevares. Ela é sócia-fundadora da Ella's Investimentos, consultoria credenciada pela XP Investimentos.

"É um movimento da economia que faz com que os fundos imobiliários acabem tendo uma alta constante."

O Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (Ifix) acumula alta de 13,04% este ano. O indicador mede a rentabilidade de 92 fundos com maior liquidez ou negociação da Bolsa,

Ainda que o resultado esteja abaixo do Ibovespa (principal indicador de desempenho das ações da Bolsa e que tem valorização acumulada de 17,77% em 2019), o Ifix tem sido menos volátil.

Maiores fundos

Os dois fundos de investimentos imobiliários com maior número de cotistas são de bancos. O Kinea Investimentos, do Itaú Unibanco, tem 103.716 investidores. Os dados são da Anbima e correspondem até agosto.

Em segundo lugar está a CSHG Logística, do Credit Suisse. Ela tem 103.468 cotistas.

O terceiro, com 85.470, é o Vinci Renda Imobiliária. Essa é uma empresa especializada em gestão de recursos, patrimônio e em assessoria financeira Vinci Partners.

Melhor performance em agosto

Segundo análise da XP, com base na sua carteira, o fundo com melhor performance no mês de agosto foi o do segmento de recebíveis. Os recebíveis são atrelados ao Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI).

O fundo Iridium Recebíveis Imobiliários teve o desempenho mais alto, com rendimento de 16% ao mês. Além disso, ele teve a melhor performance entre os FIIs listados na Bolsa no mesmo período.

Em segundo lugar, ficou o segmento de ativos logísticos, com destaque para a SDI Logística, com performance de 5%.

Em terceiro, ficou a categoria shoppings O Vinci Shoppings teve melhor resultado nessa categoria, 4,7%.

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Entrevista

‘Desemprego alto e déficit público nos deixam cautelosos’, diz presidente da Whirlpool

CEO da fabricante das marcas Consul e Brastemp diz estar cauteloso para investir em produção e em relação à sustentabilidade da demanda, por conta de desemprego e da situação fiscal

Mercadores da noite

Bolsa, dólar e juros subindo: qual dos três está mentindo?

Quando a Bolsa, o dólar e as taxas de juros estão subindo ao mesmo tempo, um dos três está mentindo – qual deles será e o que fazer?

Infraestrutura

Novo marco legal para ferrovias vai a votação no Senado na próxima semana

Legislação promete organizar regras do setor e permitir novos formatos para a atração de investimentos privados

Telecomunicações

Operadoras cobram transparência do governo na definição da tecnologia 5G

Teles se dizem preocupadas com as “incertezas” relativas ao processo, depois de governo sinalizar banimento da chinesa Huawei

Recorde

Estrangeiros põem R$ 30 bilhões na bolsa brasileira em novembro

Trata-se de recorde de entrada de recursos estrangeiros em um mês, impulsionado pela migração de recursos para bolsas emergentes; movimento por aqui, porém, pode ser passageiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies