2019-02-22T16:58:26-03:00
Banco Central americano

Mudanças importantes a caminho? Vice-presidente do FED diz que instituição está revendo maneira como conduz política monetária

Outra coisa que deve ser discutida é a definição da meta da inflação, de 2% ao ano, segundo Clarida. Para o especialista, o órgão continua a ter como objetivo os 2% ao ano, mesmo que tenha acontecido algo fora do comum no ano anterior. Na opinião do vice-presidente, o BC deve reagir se a inflação ficar abaixo da meta

22 de fevereiro de 2019
16:58
Federal Reserve - Imagem: shutterstock

Depois de um período de muitas polêmicas envolvendo o FED e o possível aumento dos juros nos Estados Unidos, o vice-presidente do órgão, Richard Clarida, sinalizou hoje (22) algumas mudanças importantes na conduta do órgão em discurso em Nova Iorque, promovido pela Universidade de Chicago. Segundo ele, o Federal Reserve está fazendo uma revisão da maneira como conduz a política monetária, diante dos desafios enfrentados pelos bancos centrais mundo afora para que as taxas de juros permaneçam abaixo do que eram no passado.

Em sua fala, o vice-presidente destacou que o FED vai organizar audiências para ouvir a sociedade, desde de empresários até acadêmicos. A primeira da série de eventos será feita já na próxima segunda-feira (25), em Dallas. Já a segunda deve ocorrer em abril.

Outra coisa que deve ser discutida é a definição da meta da inflação, de 2% ao ano, segundo Clarida. Para o especialista, o órgão continua a ter como objetivo os 2% ao ano, mesmo que tenha acontecido algo fora do comum no ano anterior. Na opinião do vice-presidente, o BC deve reagir se a inflação ficar abaixo da meta.

Outro ponto é a revisão de ferramentas que possam ser utilizadas quando houver ciclos de contração previstos para os próximos anos, e que a instituição não se veja em condições de cortar os juros tanto quanto deseja. Uma das opções, nesse caso, seria semelhante a utilizada pelo Banco do Japão, que estabeleceu um teto temporário para os juros de longo prazo, referenciado nos bônus de dez anos com promessas de recompra deles a um preço definido antes.

Segundo o vice-presidente do FED, essa foi uma das ferramentas pensadas depois da crise que abalou o mundo em 2018, mas ela acabou não indo para frente.

A comunicação também é outro ponto de atenção e que deve ser revisto em breve. De acordo com Clarida, o FED deve começar a ver isso na próxima semana e as conclusões sobre o tema devem ser apresentadas no primeiro semestre do ano que vem.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

PROVENTO EM DÓLAR

Aura Minerals (AURA33) anuncia dividendos e programa de recompra de BDRs — veja o que muda para os acionistas

O pagamento chegará bem a tempo para o Natal dos investidores nacionais, mas para ter direito é preciso possuir os ativos em 9 de dezembro

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa perto de perder os 100 mil pontos, Petrobras na mira de Paulo Guedes e outros destaques do dia

A dinâmica dos mercados globais nos últimos dias lembra muito os primeiros momentos de incerteza que marcaram o início da pandemia do coronavírus, no início de 2020. A covid-19 não é mais uma doença desconhecida e as vacinas já estão disponíveis no mercado, mas a desigualdade na distribuição de imunizantes e a recusa de muitos […]

FECHAMENTO DO DIA

Racha no Senado e chegada de ômicron aos Estados Unidos levam o Ibovespa a renovar as mínimas do ano (mais uma vez); dólar sobe

Embora o dia tenha começado positivo para o Ibovespa e as demais bolsas globais, a variante ômicron e a dificuldade de aprovar a PEC dos precatórios azedaram os negócios

CRYPTO NEWS

Aprenda com o bitcoin: não perca o timing com a próxima promessa cripto

O mercado de criptomoedas tem colocado alguns sorrisos nos rostos de quem vem investindo nessa classe de ativos

RECEITAS EM ALTA

Acredite se quiser! Governo pode ter primeiro superávit primário desde 2013 ainda neste ano

A notícia surpreende num momento em que um dos maiores temores do mercado financeiro é justamente o descontrole das contas públicas