Menu
2019-12-03T13:37:00-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro

Trump não está sob pressão para fechar acordo comercial com China, diz secretário do Comércio dos EUA

Secretário do Comércio dos Estados Unidos sustentou que os EUA “têm muito mais munição” na disputa com os chineses, já que possuem um grande déficit comercial com o país asiático

3 de dezembro de 2019
13:26 - atualizado às 13:37
Guerra comercial EUA China
Imagem: Shutterstock

O secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, afirmou nesta terça-feira que o presidente Donald Trump "não está sob pressão" para fazer um acordo comercial com a China.

Ross voltou a dizer que, caso não ocorra um acordo com Pequim, haverá elevação de tarifas contra produtos chineses a partir do dia 15. As informações foram dadas durante uma entrevista à rede CNBC.

Ross sustentou que os EUA "têm muito mais munição" na disputa com os chineses, já que possuem um grande déficit comercial com o país asiático. De qualquer modo, disse estar "otimista" sobre a possibilidade de que um acordo se concretize. Ele ainda comentou, porém, que não há conversas de alto nível com a China já marcadas.

Sobre a Europa, Ross disse que a União Europeia não tem cumprido as regras da Organização Mundial de Comércio (OMC) determinadas no caso sobre subsídios irregulares à Airbus. "Nossa reclamação é legítima", argumentou. Segundo ele, é "difícil dizer" que o imposto da França sobre grandes empresas do setor de tecnologia não seria "antiamericano".

E o Brasil?

Ross também aproveitou a entrevista para comentar a nova imposição de tarifas sobre o aço e alumínio do Brasil e Argentina anunciada ontem pelo presidente Donald Trump.

Segundo ele, a situação não tem a ver com a situação no comércio com a China. "As tarifas contra Brasil e Argentina não tem a ver com a China, mas com a manipulação cambial", disse Ross.

O secretário do Comércio complementou dizendo que os EUA são o principal cliente do aço do Brasil, por isso o País teria ficado "chateado" com o anúncio de Trump.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

O melhor do seu dinheiro

O preço do diesel e o cobertor curto

Na briga do presidente Jair Bolsonaro para tentar baixar o preço dos combustíveis e do gás de cozinha no país, não foi só a Petrobras que apanhou. Pode ser que sobre também para os bancos. E na bolsa, as ações das instituições financeiras já sofreram um bocado nesta segunda-feira por causa disso. Tudo ia bem […]

FECHAMENTO

Brasília força Ibovespa a pisar no freio e bolsa quase zera ganhos após avançar mais de 2%; dólar fica estável

No exterior, as bolsas tiveram dias de ganho expressivo, com os mercados repercutindo de forma positiva a aprovação do pacote de estímulos americano e uma nova opção de vacina

Proposta na mesa

Aumento de tributação aos bancos está sendo discutido para compensar a desoneração do diesel

A lógica proposta seria da CSLL subir para compor a compensação dos tributos com o intuito de zerar a tributação do diesel e do gás de cozinha, tendo um custo total de quase R$ 3,6 bilhões.

Concentrado

Foco de Biden é a aprovação do pacote de US$ 1,9 trilhão, diz Casa Branca

O texto foi avalizado pela Câmara dos Representantes no fim de semana e ainda precisa ser analisado pelo Senado.

Casamento do ano?

Fusão de Hapvida e Intermédica deve revolucionar setor de saúde, apontam analistas; ações sobem mais de 5%

Para analistas, união das companhias não deve encontrar grandes dificuldades para conseguir aprovação do Cade, com o ponto mais crítico sendo, possivelmente, Minas Gerais, onde ambas concentram 16% do mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies