Menu
2019-10-22T10:08:18-03:00
Nada me afeta

Governo brasileiro nega a ideia de que acordo entre China e Estados Unidos pode ter impacto no Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil não tem como interferir no comércio dos dois países e que deve criar condições para chegar de forma mais competitiva em outros mercados.

22 de outubro de 2019
10:04 - atualizado às 10:08
Presidente da República, Jair Bolsonaro.
Imagem: Alan Santos/PR

O governo brasileiro tenta afastar a ideia de que o acordo comercial entre China e Estados Unidos pode ter impacto negativo no Brasil. Em viagem pela Ásia, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil não tem como interferir no comércio dos dois países e que deve criar condições para chegar de forma mais competitiva em outros mercados.

"Temos que fazer a nossa parte", disse o presidente nesta terça-feira, 22. Após três dias no Japão, Bolsonaro embarca para Pequim, capital chinesa, na quinta-feira, 24.

"Conseguimos, através da infraestrutura, fazer renascer o modal ferroviário, diminuir o preço do transporte, aperfeiçoar tecnologia. Nós podemos fazer a nossa mercadoria chegar de forma mais competitiva nesse país", declarou o presidente a jornalistas.

Ele falou com a imprensa antes de partir para a cerimônia de coroação do imperador japonês, Naruhito, em Tóquio.

O chanceler Ernesto Araújo afirmou que o mercado chinês "é imenso" e que há uma "competição legítima" entre todos os produtores agrícolas. "Nós estamos em condição de competir", avaliou Araújo.

"Isso (acordo entre EUA e China) não nos preocupa. É bom.

Quanto mais comércio melhor, quanto mais dinamismo nas economias... Acho que esse entendimento (entre China e EUA) é bom para a economia mundial como um todo, aumenta a demanda, é um choque de demanda na economia mundial e pode ser bom tanto direta quanto indiretamente para a economia do Brasil", disse.

Araújo declarou que o Brasil vê o investimento global como algo "fundamental" para o processo de crescimento do País e que a China é "parte integrante da abertura integral" que o governo prevê para o investimento externo.

"Dentro da nossa estratégia é fundamental ter o investimento internacional, a participação dos parceiros internacionais.

Queremos que a China seja parte disso, é uma parte importante", disse, destacando a participação dos chineses em investimentos da área de infraestrutura. "É uma presença útil e proveitosa para nós. Não há nenhum tipo de limitação para o investimento chinês. Queremos mais investimento chinês e mais investimento de outras fontes", completou.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Recuperação da estatal

Lucro da Petrobras salta 55,7% em 2019 e chega a R$ 40,1 bilhões, impulsionado pela venda de ativos

A Petrobras fechou 2019 com o maior lucro líquido anual de sua história, sustentada pelos fortes desinvestimentos e ganhos de eficiência na extração de petróleo — fatores que compensaram os menores preços da commodity no exterior

De olho no balanço

Marfrig reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 27 milhões no 4º trimestre de 2019

No acumulado do ano, o lucro líquido caiu para R$ 218 milhões, ante R$ 1,4 bilhão no ano anterior

Confira os números

Petrobras, Ultrapar, Marfrig, RaiaDrogasil e GPA: os balanços que vão mexer com a bolsa nesta quinta-feira

O dia começa recheado de balanços anuais das companhias listadas no Ibovespa

Recurso da estatal

TRF-4 nega recurso da Petrobras e mantém Odebrecht fora de ação da Lava Jato

No recurso, a estatal buscava o prosseguimento dos réus na ação cível e a manutenção do bloqueio de bens dos executivos

Seu Dinheiro na sua noite

Guedes fora, alta do dólar

Você se lembra de quando o dólar a R$ 4,20 era o grande “patamar psicológico” da moeda americana? Não faz tanto tempo assim, mas esse nível de cotação ficou para trás, e agora parece até um pouco distante. Hoje, o dólar à vista bateu um novo recorde de fechamento. Eu sei que você já leu […]

Mais um recorde: dólar à vista sobe a R$ 4,36 e renova a máxima nominal de fechamento

O dólar à vista subiu mais um degrau nesta quarta-feira (19): pela primeira vez, terminou uma sessão acima dos R$ 4,36, cravando um novo recorde nominal. É a oitava vez em 2020 que a moeda renova as máximas de fechamento

Ainda na liderança

Vitor Hugo crê que permanece como líder do governo; Terra diz não receber convite

O deputado disse que não recebeu sinalizações do presidente Jair Bolsonaro de que poderá ser substituído pelo ex-ministro Osmar Terra

O impasse continua

Após TRT suspender demissões, Petrobras quer negociar desligamentos em fábrica

Encerramento da operação da Ansa é o principal motivo da greve dos petroleiros

Ponto polêmico

Relator mantém trabalho aos domingos na MP do contrato verde e amarelo

Deputado Áureo manteve a permissão para que todos os trabalhadores sejam convocados para trabalhar aos domingos e feriados

Novidade no IR

Programa do IR virá sem dedução da contribuição patronal sobre domésticos

Fim da dedução é a principal novidade para as declarações de IR em 2020

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements