Menu
2019-04-16T14:06:47-03:00
Estadão Conteúdo
mais uma aposta

Acordo de Alcântara é imprescindível para entrada no mercado global, diz ministro

Fernando Azevedo e Silva, da Defesa, a expectativa é que até 2020 o mercado global de lançamento de foguetes vá movimentar US$ 1 trilhão

10 de abril de 2019
11:39 - atualizado às 14:06
trump-bolsonaro
Donald Trump e Jair Bolsonaro - Imagem: Flickr/Palácio do Planalto

O ministro da Defesa Fernando Azevedo e Silva afirmou na manhã desta quarta-feira, 10, que o acordo com os Estados Unidos para utilização da base de Alcântara, no Maranhão, é imprescindível para que o Brasil entre no mercado global.

O ministro participa de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores na Câmara dos Deputados. Segundo ele, até 2040, a expectativa é que o mercado global de lançamento de foguetes vá movimentar US$ 1 trilhão.

Brasil e Estados Unidos assinaram, durante viagem do presidente Jair Bolsonaro aos EUA, o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), que permite o uso da bar de Alcântara, no Maranhão. O acordo de salvaguardas tecnológicas prevê a proteção de conteúdo com tecnologia americana usado no lançamento de foguetes e mísseis a partir da base de Alcântara.

Para explicar o acordo, o ministro o comparou ao aluguel de um quarto de hotel onde o hóspede pega apenas a chave para utilizar o espaço, mas não passa a ser dono do local.

No entendimento de Azevedo e Silva, caso o Congresso não aprove o AST, Alcântara voltará a ser apenas uma base militar. Para ele, é necessário que o Brasil siga o caminho de países como Rússia, China e Índia que já assinaram acordos parecidos com o AST.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Fenômeno da internet

O ataque dos memes: Conheça 5 ações de empresas “quebradas” que mexem com Wall Street

O caso mais famoso foi o da GameStop, mas outras empresas que não contam com fundamentos sólidos vêm passando por movimentos de valorização estimulados por fóruns de internet

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies