Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
É CEO do Seu Dinheiro
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-14T14:37:26-03:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Siga o dinheiro…

Veja os destaques do Seu Dinheiro nesta manhã

15 de julho de 2019
10:03 - atualizado às 14:37
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Duas semanas após o impeachment da Dilma Rousseff, fui para Nova York participar de um seminário na universidade de Columbia sobre economia com 20 jornalistas do mundo todo. Uma das palestras do programa era sobre risco político global. Eu estava certa que o caos brasileiro estaria na apresentação e já me preparava para as perguntas dos colegas estrangeiros na hora do jantar.

Para minha surpresa, o Brasil sequer foi citado. Naquela época, os gringos estavam muito mais preocupados com o Brexit, as eleições americanas e o fluxo de imigrantes pelo mundo. A única menção aos emergentes foi a China e seu risco de desaceleração. Com esse episódio, caí na real de que o Brasil é um peixe pequeno no mercado financeiro global.

Os números dão uma dimensão disso. Veja o exemplo da Black Rock, a maior gestora de ativos do mundo: ela tem US$ 6,5 trilhões sob sua administração e só R$ 7 bilhões deste montante foram captados por aqui.

Só que esse “peixinho” é bem complicado de estudar. Se para quem vive no Brasil foi difícil acompanhar o turbilhão político dos últimos anos com impeachment, operação Lava-Jato e suas mais de 60 fases, crise econômica, o “vai-não-vai” da reforma da Previdência, manifestações pró e contra governo, fico imaginando como é difícil para os gringos interpretar o Brasil.

Talvez seja por isso que eles ficaram de fora da “festa da bolsa” neste ano. A alta no preço das ações foi fortemente puxada pelos investidores brasileiros. E os estrangeiros, não vão entrar? Imagine o que pode acontecer com a bolsa se uma enxurrada de dinheiro de fora vier para o Brasil? É bom você acompanhar esse fluxo porque ele certamente vai mexer com o preço das ações.

Para Carlos Takahashi, gestor da Black Rock no Brasil, os estrangeiros virão quando sentirem que o país está um pouco mais previsível do que foi nos últimos anos. Nesse sentido, a aprovação da reforma da Previdência no Congresso ajuda muito. Ela deixa de ser apenas uma promessa para se tornar um ajuste fiscal efetivo.

O gestor da Black Rock conversou com o Vinícius Pinheiro e falou sobre sua visão para a bolsa brasileira e os mercados internacionais. Ele também contou que vê um espaço para um avanço na oferta de ETFs no Brasil, algo que seria muito bom para investidores como eu e você. Quer saber mais? O Vinícius conta tudo aqui.

A Bula da Semana: PIB chinês no radar

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, bem que tentou, mas a votação em segundo turno da reforma da Previdência ficou mesmo para o segundo semestre. Agora, os investidores ficam de olho na movimentação política durante o recesso parlamentar que começa nesta semana. O receio é de que possíveis acordos já costurados possam ser afetados durante a pausa.

Com o adiamento da votação em segundo turno, por aqui a tendência é que o mercado enfrente alguma realização de lucros no mercado de ações, após semanas de alta expressiva. Na sexta-feira, o Ibovespa encerrou o dia aos 103.905 pontos, uma queda de 0,18% na semana. Já o dólar fechou a sexta-feira em R$ 3,7382, um recuo de 2,09% na semana.

Hoje, o dia começa com os mercados de olho nos dados do PIB da China. Os números do segundo trimestre, divulgados na noite de ontem, trouxeram o ritmo de crescimento trimestral mais lento em 27 anos, com um avanço de 6,2% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados chegaram a azedar os mercados asiáticos, mas os indicadores de produção industrial e vendas no varejo em junho ajudaram as bolsas a se recuperarem e alimentam esperanças de uma virada na desaceleração econômica do país. Consulte a Bula do Mercado para saber o que esperar de bolsa e dólar hoje.

Na edição semanal da Bula do Mercado você pode acessar um panorama completo dos principais eventos da semana que vão mexer com a bolsa. O conteúdo é exclusivo e gratuito para os leitores premium do Seu Dinheiro. Para ser Premium, você só precisa se cadastrar aqui e indicar esta newsletter para cinco amigos. O acesso será liberado assim que eles aceitarem o convite.

20 vezes revisto

Depois de quatro leituras negativas, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou alta na passagem de abril para maio. Considerado uma prévia do PIB, o indicador subiu 0,54%. Mas é uma leitura que não muda a avaliação de que a economia está praticamente estagnada. O boletim Focus divulgado hoje, aliás, mostra pela 20ª vez uma redução nas projeções . Os economistas esperam um crescimento em 2019 de 0,81%, abaixo da previsão da semana passada, de 0,82%.

Temporada de vendas

Petrobras segue firme com seu plano de desinvestimentos. Depois de dar início ao processo de redução de participação nas ações da BR Distribuidora, a estatal trouxe uma novidade a respeito de outra operação: a venda da totalidade de sua participação no campo de Baúna, em águas rasas na Bacia de Santos. A companhia anunciou que a empresa de exploração Karoon fez a melhor proposta. Saiba mais.

Temporada de compras

Enquanto uns vendem ativos, outros se preparam para comprar mais. A operadora de planos de saúde Hapvida anunciou uma oferta de ações para captar até R$ 2,6 bilhões. O dinheiro vai para o caixa da companhia e será usado para financiar novas aquisições. Vale lembrar que a Hapvida comprou no primeiro semestre o Grupo São Francisco, por R$ 5 bilhões, e o Grupo América, por R$ 426 milhões.

Não vai ser fácil, Zuckerberg

Mark Zuckerberg

Quem achou que seria fácil o caminho do Facebook para a criptomoeda Libra enganou-se. A SEC, regulador do mercado de capitais dos EUA, está analisando se a criptomoeda do Facebook é similar à estrutura de um ETF (fundo de índice). Se a avaliação for positiva, a iniciativa de Mark Zuckerberg precisará do crivo da SEC. A Libra ainda está no radar do Federal Reserve, o BC dos EUA, e do próprio Donald Trump, que usou as redes sociais para criticar as criptomoedas. Saiba mais.

Agenda

Bancos Centrais
- Banco Central divulga Boletim Focus
- BC: IBC-Br de maio
- BC: Oferta de R$ 3 bilhões em operações compromissadas
- EUA: Fed NY: índice de atividade industrial Empire State de julho

Indicadores 
- Secex: Balança comercial (semanal)
- EUA: DoE divulga relatório mensal de produtividade na produção de petróleo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Crise hídrica

Ministro de Minas e Energia descarta racionamento e diz trabalhar para evitar apagão

Com níveis alarmantes nas usinas hidrelétricas, até mesmo a volta do horário de verão é considerada por alguns membros do governo e indústria

Negócio da China?

SEC confirma pausa em IPOs de empresas chinesas; agência reguladora dos EUA fará novas orientações sobre riscos

Em meio à ofensiva regulatória de Pequim, a SEC busca novas orientações ao mercado sobre os riscos envolvidos em comprar ações de companhias do país asiático

Passo à frente

Rumo ao “outro patamar”: EQI, que trocou a XP pelo BTG, recebe autorização para abrir corretora

Depois de ser pivô de disputa entre os bancos, escritório de agentes autônomos dá um passo decisivo para ter “vida própria” no mercado

Estreia forte

Ações da ClearSale estreiam na bolsa com disparada de 20% após IPO

No 40º IPO na B3 no ano, empresa de soluções antifraude movimentou pouco mais de R$ 1 bilhão

Deu ruim, Jeff Bezos

Quando o bom não é suficiente: Amazon despenca e afunda o Nasdaq após trimestre frustrante

As ações da Amazon têm a maior queda desde março do ano passado, afetadas pela perspectiva de desaceleração no crescimento das receitas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies