Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
2019-05-24T10:32:01-03:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Os planos dos shoppings brasileiros para enfrentar o e-commerce

Veja os destaques do Seu Dinheiro nesta manhã

24 de maio de 2019
10:32
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Antes da crise econômica, quando o brasileiro tinha emprego e o dólar estava mais convidativo, vimos uma farra das compras em Miami. Famílias inteiras viajavam para os EUA de olho em um destino turístico bem específico: o shopping center. Se o fluxo dos brasileiros estava forte nesses estabelecimentos comerciais, o de americanos entrava em decadência.

Uma crise atingiu o setor, interrompeu as construções e fechou shoppings em todo país. Muitos viraram “elefantes brancos”, grandes estruturas vazias. Pesquise no Google por “retail crisis” ou “dead malls” e você vai achar muita coisa sobre isso.

Mas o que raios derrubou os shoppings de uma nação tão consumista como os EUA? A crise do subprime, em 2007, pegou o setor. Mas, principalmente, a mudança no comportamento do consumidor em direção ao e-commerce. Enquanto os shoppings fechavam, a Amazon construiu mais e mais centros de distribuição e agora está investindo até em um aeroporto para dar conta de tantas entregas.

Eu gosto de olhar para o que acontece nos EUA e nos demais países desenvolvidos e refletir se essa tendência vai chegar ao Brasil. Como os shoppings brasileiros serão impactados pelo e-commerce?

Pedi para a repórter Daniele Madureira investigar essa questão. Ela descobriu que as administradoras de shopping centers estão atentas e já investem em soluções para integrar as lojas físicas ao mundo digital. E, claro, abocanhar uma parte das receitas do e-commerce.

Se você pensa em comprar ações dessas varejistas e está de olho no longo prazo, acho uma boa você conhecer a estratégia de cada uma delas. Saiba o que Multiplan, Iguatemi, Sonae Sierra e BR Malls estão fazendo para encarar o e-commerce.

compras, shopping

Avon abre a porta para Natura

A Natura quer aproveitar a rede de distribuição da Avon para vender sua marca no exterior. Em entrevista ao Estadão, o sócio e conselheiro da Natura, Pedro Passos, disse que há potencial de expansão na Ásia e no Leste Europeu. O executivo também comentou sobre os próximos passos do agora quarto maior grupo de beleza do mundo, os desafios para recuperar a imagem da Avon, perspectivas para a economia brasileira, entre outras coisas. Confira.

Adeus, May

Depois de três anos no poder, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou hoje que deixará o cargo. May vinha sofrendo pressões para dar lugar a um novo líder, alguém que pudesse resolver os impasses que envolvem o Brexit — saída do Reino Unido da União Europeia aprovada em plebiscito pelos britânicos em 2016.

Bola pra frente

Na sua tradicional live de quinta-feira, Jair Bolsonaro pediu ao Senado que aprove o texto da Câmara que deixa o Coaf com o Ministério da Economia - e não sob a gestão de Sérgio Moro, como defendia o governo. O presidente defendeu que a agenda política siga nas pautas mais importantes. O Eduardo Campos acompanhou a transmissão e conta os detalhes aqui.

‘Pego um avião e vou morar lá fora’

O ministro da Economia, Paulo Guedes, deu o seu recado: reforminhas não lhe interessam. Em entrevista à Veja, ele disse que pode renunciar ao cargo se o projeto do governo para a Previdência for desidratado a ponto de não garantir uma economia maior que R$ 800 bilhões. O ministro ainda disse que, se isso acontecer, o Brasil pode virar uma Argentina e até mesmo uma Venezuela. E ele não vai ficar aqui para ver….

Foi bom pra você?

Com a economia patinando, sem as reformas e os sucessivos “tsunamis” no noticiário político, não tem governo que consiga ficar bem na fita perante a opinião pública. Agora, uma rodada extraordinária da pesquisa XP/Ipespe mostra que, pela primeira vez no ano, o grupo de entrevistados que avalia a atuação do governo como ruim ou péssima é maior do que aqueles que consideram o governo bom ou ótimo. São 36% contra 34%. Confira os números da pesquisa.

Porcos chineses doentes, um problema seu

Desde o ano passado a China vem sofrendo com uma epidemia que abateu seus suínos. Algo entre 150 milhões e 200 milhões de animais dos rebanhos chineses já morreram, provocando grandes mudanças no mercado mundial de proteína animal. Se você acha que não tem nada a ver com isso, está enganado. Neste vídeo, a Julia Wiltgen explica como os porcos criados lá do outro lado do mundo podem mexer com o seu dinheiro.

A Bula do Mercado: momento de avaliação

Os discursos em torno da guerra comercial estão no centro das atenções lá fora. A fala mais amena de Trump com relação à Huawei trouxe alívio aos negócios. O presidente americano disse estar esperançoso com o encontro com o líder chinês, Xi Jinping, que deve acontecer durante a reunião do G-20, amenizando o temor de uma batalha prolongada no campo comercial.

Por aqui, os investidores devem ter certa cautela hoje. Além do ajuste técnico que ajudou a limpar o mercado local nesta semana, a disposição dos parlamentares em destravar pautas importantes aumentou as expectativas para a aprovação da reforma da Previdência. Mas as manifestações marcadas para domingo geram preocupação.

Ontem, o Ibovespa fechou em queda de 0,48%, aos 93.910,03 pontos. O dólar encerrou a sessão com alta de 0,17%, aos R$ 4,0475. Consulte a Bula do Mercado para saber o que esperar de bolsa e dólar hoje.

Agenda

Índices
- IBGE divulga prévia da inflação de maio
- Ministério da Economia publica dados do Caged de abril
- México divulga PIB do 1º trimestre

Política
- Plenário do Senado deve votar MP dos Ministérios
- Parlamento Europeu segue com seu processo eleitoral

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

mudança no calendário

Governo adia envio da reforma administrativa ao Congresso

Proposta, que tem sido chamada de “reforma do RH do serviço público”, prevê uma série de mudanças nas carreiras e na forma de contratação dos novos servidores

Relação estremecida

Ataque de Heleno agrava tensão com Congresso

Ministro Augusto Heleno Ribeiro acusou o Congresso de “chantagear” o governo “o tempo todo”; crise política pode dificultar a votação de projetos de interesse do Palácio do Planalto

Saiba o que mudou

Receita divulga as regras do Imposto de Renda 2020; saiba quem precisa declarar e o que mudou neste ano

Prazo de entrega da declaração de IR 2020 vai de 2 de março a 30 de abril. Veja o que mudou nas regras desta ano e saiba como baixar o programa para preencher a declaração.

Ajuste fiscal

Mercado questiona governo por causa de indefinições na agenda econômica

Investidores voltaram a bater na porta da equipe econômica para pedir esclarecimentos sobre os rumos da política fiscal

olho no balanço

Gol tem lucro de R$ 648 milhões em 2019 e redução no endividamento

Empresa informou um lucro depois da participação minoritária e de ajustes cambial e monetário de R$ 344,7 milhões no quarto trimestre

novidade da estatal

Caixa lança nova modalidade de crédito imobiliário, com taxa fixa a partir de 8%

Condições são válidas para imóveis residenciais novos e usados, com quota de financiamento de até 80%. As contratações estarão vigentes a partir da sexta-feira, 21

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Impostos bombam

Arrecadação de impostos é recorde para janeiro e soma R$ 175 bilhões, diz Receita

De acordo com a Receita Federal, a alta tem relação com o crescimento de 16,45% na arrecadação do IRPJ/CSLL e de arrecadação atípicas de R$ 2,8 bilhões, além do aumento da arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Física

Em busca de crédito

Demanda por crédito sobe 1,2% em janeiro ante dezembro, afirma Boa Vista

Sem ajuste sazonal, no entanto, houve queda de 2,1% na comparação com o primeiro mês de 2019

Mercados hoje

Dólar testa novo recorde e vai a R$ 4,39; Ibovespa cai mais de 1%, e se aproxima dos 114 mil pontos

O mercado de câmbio continua pressionado pelo coronavírus e pela fraqueza da economia doméstica. Nesse cenário, o dólar à vista já se aproxima de R$ 4,40, enquanto o Ibovespa devolve os ganhos da sessão anterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu