Menu
2019-06-21T13:03:21-03:00
balanço

Lucro líquido do 1º trimestre da Eletrobras vai a R$ 1,347 bi

Número é 178% maior que o mesmo período do ano passado, quando a empresa registro um lucro de R$ 484 milhões

14 de maio de 2019
7:02 - atualizado às 13:03
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro - Imagem: Divulgação

A Eletrobras fechou o primeiro trimestre de 2019 com um lucro líquido de R$ 1,347 bilhão, 178% maior que o de R$ 484 milhões no mesmo período do ano anterior.

O resultado com operações continuadas foi de R$ 1,570 bilhão, queda de 34% ante o primeiro trimestre de 2018, e com as descontinuadas, ou seja, as distribuidoras, houve um prejuízo líquido de R$ 223 milhões.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

O prejuízo de R$ 1,176 bilhão da Amazonas D foi compensado parcialmente pelo lucro de R$ 94 milhões da Ceal e o resultado da venda da elétrica de Alagoas de R$ 859 milhões.

Ainda sobre os ativos da holding, a Eletrobras explica que no período obteve ganhos com a venda pela Chesf de sociedades de propósito específico dos Complexos Eólicos Senta Sé I, II e III no valor de R$ 183 milhões;

Por sua vez, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), registrou aumento de 15%, para R$ 2,937 bilhões. No critério pro-forma, teve queda de 6%, para R$ 3,073 bilhões, devido principalmente ao menor resultado de participações societárias.

O dado pro-forma exclui ajustes de mudança de metodologia pelo IFRS 15 na contabilização do Proinfa; além do Plano de Aposentadoria Extraordinário (PAE), Plano de Demissão consensual (PDC), despesas com investigação independente, impairment, pagamento retroativo a Enel por TUSD Eletronuclear, provisões para contingência e para perdas em investimentos, entre outros.

O impacto no resultado do primeiro trimestre referente a provisão para o Plano de Demissão Consensual em 2019 foi de R$ 170 milhões. Já as provisões para contingências somaram R$ 293 milhões, a maior parte, de R$ 220 milhões referente a empréstimo compulsório. Também no trimestre ocorreu reversão de contrato oneroso de R$ 95 milhões.

A receita líquida cresceu 6%, para R$ 6,452 bilhões, influenciada pela Rede Básica do Sistema Existente (RBSE) de R$ 1,1 bilhão, conforme comentário da administração.

A energia vendida (geração) apresentou aumento de 1,2%, para 17,2 terawatt-hora (Twh).

Por fim, o resultado financeiro consolidado foi uma despesa de R$ 322 milhões, ante cifra positiva de R$ 1,023 bilhão no primeiro trimestre de 2018.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

POLÍTICA

Em Davos, Doria se ‘afasta’ de Bolsonaro

Nesses 12 meses de intervalo, o clima entre os dois não apenas esfriou como houve troca de farpas tendo como pano de fundo o cenário político de 2022

EMPREGO

Em 1º ano, Bolsonaro gera mais vagas que Temer, mas fica atrás de Lula e Dilma

Com a economia ganhando tração a partir do segundo semestre do ano passado, o Caged registrou saldo positivo de 644.079 vagas com carteira assinada em 2019

COLUNA DO PAI RICO PAI POBRE

Ter um emprego versus empreender

Veja como avaliar se é melhor ter um próprio negócio, ser autônomo ou arrumar um emprego.

EMPREGOS

Para gerar 1 milhão de empregos, economia tem de crescer 3%, diz secretário

O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, evitou nesta sexta-feira, 24, fazer uma previsão oficial para a geração de empregos com carteira assinada em 2020, mas disse acreditar em até 1 milhão de novos postos de trabalho neste ano, caso o Produto Interno Bruto (PIB) tenha uma alta próxima de 3% até […]

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O que será que será da Selic?

A taxa básica de juros (Selic) vai continuar em queda? Quando fiz essa pergunta recentemente a um gestor de fundos, ele me devolveu com outra pergunta: – Você quer que eu responda o que o Banco Central deveria fazer ou o que ele vai fazer? Pode parecer uma diferença sutil, mas o mercado encontra-se atualmente […]

Dólar teve alta

Tensão com o coronavírus freia os mercados e faz o Ibovespa ficar no zero a zero na semana

O coronavírus trouxe cautela aos mercados, mas não desencadeou uma onda de pessimismo. Como resultado, o Ibovespa ficou praticamente zerado na semana — a nova doença neutralizou o otimismo estrutural visto na bolsa nos últimos dias

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: Já pensou em conquistar sua independência financeira?

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

de olho na inflação

BC está confortável com inflação após choque de proteína, diz Campos Neto

“Há um gap de política monetária que a gente tenta comunicar. É importante, porque parte do que foi feito não está totalmente dissipado”, afirmou em seguida

MAIS ESCLARECIMENTOS

BNDES atual pôs R$ 15 milhões a mais em auditoria

O reajuste de 25% aconteceu por meio de um aditivo contratual, publicado no dia 25 de outubro de 2019, e aumentou de US$ 14 milhões para US$ 17,5 milhões o contrato da Cleary Gottlieb Steen & Hamilton, escritório contratado para realizar os serviços de auditoria

CONFIRMADA

Oi confirma venda de participação na angolana Unitel por R$ 1 bilhão

O montante corresponde a venda de 25% da participação que detém na angolana e engloba também os dividendos que a Oi tem o direito de receber, mas que estavam retidos até então

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements