Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-12-02T19:29:25-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Crédito Privado

Índices de debêntures têm queda inédita em novembro

Segundo Anbima, queda reflete movimentação no mercado secundário. Índice ligado às debêntures incentivadas caiu 2,07% e índice ligado ao DI teve primeira queda da história

2 de dezembro de 2019
19:27 - atualizado às 19:29
Seta para baixo
Imagem: Shutterstock

O mercado de crédito privado, notadamente as debêntures, tem deixado alguns investidores bastante preocupados em função de cotas negativas e elevados resgates. Sabemos que o mercado passa por um grande ajuste técnico, depois de uma disparada nas captações e consequente queda nos prêmios de risco, mas agora a Anbima nos dá uma dimensão dessa movimentação.

Pela primeira vez na história, o Índice de Debêntures Anbima – DI, que representa as debêntures remuneradas pela taxa DI, teve variação negativa de 0,07%, em novembro. O indicador é calculado desde 2009. Segundo a Anbima, a queda foi decorrente de ajustes de preços no mercado secundário.

Outros indicadores desse mercado também tiveram desempenho negativo: o mais significativo foi o IDA-IPCA Infraestrutura, formado por debêntures incentivadas, com recuo de 2,07%. Na sequência, está o IDA-IPCA, que representa as debêntures atreladas ao IPCA, com queda de 1,58%. Já o IDA-Geral, que espelha o comportamento de todas as debêntures, caiu 0,65%.

Ajuste

Já tratamos desse assunto nesse texto aqui, mas em resumo, esse mercado passa por um ajuste em função de questões técnicas. Não há problema de quebradeira generalizada de empresas que estão deixando de honrar suas dívidas – tivemos sim um evento com a Rodovias do Tiête.

Alguns fundos de crédito privado, notadamente os que aplicam em debêntures incentivadas, tem o apelo de isenção de Imposto de Renda e vinham atraindo enorme quantidade de investidores em função de retornos bem acima do CDI. Mais de 150 mil pessoas entraram para esses fundos em 12 meses terminados em setembro.

Esse acelerado crescimento levou o mercado a uma dinâmica de “bola de neve positiva”, com rentabilidade e baixa volatilidade chamando mais investidores para o produto. No entanto, chegou um ponto no qual a elevada demanda deprimiu tanto os prêmios de risco que a relação risco/retorno deixou de ser atrativa.

Junto disso, houve firme movimentação de venda de papéis no mercado secundário, com alguns investidores realizando lucros, o que levou fundos a fazer marcação a mercado de seus ativos, o que se refletiu nas cotas dos fundos.

Toda essa movimentação serve de alerta para o investidor para que ele conheça bem o produto no qual está investindo e os riscos associados ao mercado de crédito privado. Fica a recomendação de leitura de outros materiais da equipe do Seu Dinheiro sobre o assunto.

 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

O FISCAL ENLOUQUECEU

Com furo no teto, XP e BTG já esperam que a Selic suba 1,5 ponto percentual na próxima semana

A corretora também reviu suas projeções para o câmbio, inflação e PIB deste e do próximo ano

E-commerce de pneus

Cantu Store não se assusta com a farra fiscal e registra pedido de IPO na CVM

A companhia paranaense conta com 26 filiais em 17 unidades federativas e quatro centros de distribuição, além de duas marcas próprias

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Guedes diz que fica, o puxadinho do teto de gastos e outros destaques do dia

Pelo menos um dos temores do mercado teve um desfecho nesta sexta-feira (22) — Paulo Guedes segue sendo o ministro da Economia, e o país não vai passar o fim de semana na incerteza. Após as baixas recentes na equipe econômica, mas o capitão do navio continua firme. Diante de tantas incertezas e a confirmação […]

SUPEROU AS EXPECTATIVAS

Hypera (HYPE3) inicia temporada de balanços com alta de 50% na receita líquida — veja os destaques da farmacêutica no terceiro trimestre

Apoiadas pelo portfólio cada vez maior de medicamentos e pelas vendas aquecidas, outras linhas do balanço também deixaram para trás as projeções

FECHAMENTO DA SEMANA

‘Fico’ de Guedes não apaga mau humor do mercado com furo no teto de gastos e Ibovespa despenca na semana; dólar volta a R$ 5,70

O principal índice da bolsa brasileira fechou o dia em queda de 1,34%, aos 106.296 pontos — longe das mínimas, mas no menor nível desde novembro de 2020. Na semana, a queda foi feia, e o Ibovespa recuou mais de 7%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies