Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-19T07:56:14-03:00
Renato Carvalho
Desempenho de alto nível

Na briga com os gigantes? Caixa mais que dobra lucro e tem melhor segundo trimestre da história – Veja os números

Banco consegue ultrapassar marca importante nos seis primeiros meses de 2021, quando realizou IPO da Caixa Seguridade e saída do Banco Pan

19 de agosto de 2021
7:55 - atualizado às 7:56
Caixa Economica Federal
Imagem: Shutterstock

A Caixa Econômica Federal sempre teve uma situação peculiar entre os grandes bancos que atuam no Brasil. Afinal, as obrigações sociais e a atuação em linhas de crédito com margens menores sempre seguraram a lucratividade.

Mas ao menos no segundo trimestre e no primeiro semestre de 2021, o cenário foi diferente. Os números apresentados na manhã desta quinta-feira pela Caixa estão próximos dos vistos no Itaú Unibanco e no Bradesco, por exemplo.

O banco teve lucro líquido de R$ 6,3 bilhões entre abril e junho, um crescimento de quase 150% em relação ao segundo trimestre de 2020.

No acumulado do primeiro semestre do ano, a Caixa conseguiu ultrapassar a marca de R$ 10 bilhões em lucro, quase o dobro do ano passado. Nos dois períodos, são os melhores resultados de toda a história da instituição financeira.

É importante lembrar dois eventos importantes ocorridos neste ano, e que ajudaram a impulsionar os números. A própria Caixa lembra o IPO da Caixa Seguridade, que movimentou R$ 5 bilhões, e os R$ 2 bilhões resultantes da venda da participação no Banco Pan para o BTG Pactual.

O retorno sobre patrimônio líquido (ROE, na sigla em inglês) subiu 2,68 pontos em um ano, chegando a 19% no segundo trimestre.

Crédito “bombando”

Feitas estas ressalvas sobre o lucro, os números operacionais da Caixa também mostram uma tendência de crescimento importante.

No geral, a carteira de crédito da Caixa teve uma evolução de 13% em um ano, batendo a marca de R$ 800 bilhões.

O produto mais famoso do banco é o crédito imobiliário, e nesse segmento, o volume de contratações de financiamentos com recursos com a poupança dobrou neste ano, chegando a mais de R$ 37 bilhões.

No segmento de agronegócios, segmento em que o Banco do Brasil tem atuação mais forte, as contratações subiram quase 80%, chegando próximas de R$ 6 bilhões no primeiro semestre.

Para as micro e pequenas empresas, o saldo de crédito liberado pela Caixa cresceu mais de 90% em 12 meses, para R$ 48 bilhões.

Mesmo assim, o banco ainda tem espaço para mais. O Índice de Basileia, que mede o nível de capital dos bancos e a capacidade para emprestar dinheiro, fechou junho em mais de 20%, ante exigência mínima de 11%.

Veja no vídeo uma ação para ficar de olho e que pode render bons retornos para sua carteira:

Outros serviços

Mesmo depois do IPO, a Caixa Seguridade continua controlada pelo banco, e conseguiu no primeiro semestre 5 parcerias estratégias, que somam quase R$ 10 bilhões.

No período, a Caixa entrou também no ramo de maquininhas de cartão, e aumentou sua participação na bandeira Elo, que agora é superior a 41%.

No mercado de investimentos, os recursos sob gestão chegaram a R$ 694 bilhões ao final de junho, tornando a Caixa a 4ª maior asset do país.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

DESTAQUE DO DIA

Minério de ferro despenca mais 8% e siderúrgicas e Vale acompanham queda

A redução da produção de aço vem trazendo seguidas perdas para o minério de ferro.

O que mexe com o preço do bitcoin (BTC) hoje: falas de Ray Dalio e da gestora que previu alta das ações da Tesla movimentam o dia

Otimismo com bitcoin a US$ 500 mil e preocupação com a regulamentação: quem vencerá o cabo de guerra das criptomoedas

Parceria digital

Assaí (ASAI3) faz parceria com Cornershop, aplicativo de compras online

A plataforma foi criada para que consumidores comprem produtos de supermercados locais com entregas rápidas ou programadas

Exile on Wall Street

O que faz as empresas falharem? Conheça as cinco “assassinas silenciosas” que podem impactar nos seus investimentos

O verdadeiro início da derrocada de uma empresa não pode ser devidamente noticiado pelas finanças ou pelas operações, mas somente dentro do núcleo de cultura corporativa

CAPTAÇÕES BILIONÁRIAS

Localiza, Unidas e Movida vão a mercado em busca de R$ 5 bilhões com emissões de debêntures

Locadoras de veículos se recuperaram rapidamente da crise da covid-19 e buscam recompor o caixa em meio à escassez de componentes no setor automotivo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies