⚽️ Brasil enfrenta a Coreia do Sul na próxima fase; confira os dias dos próximos jogos

Cotações por TradingView
2019-04-04T13:41:34-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Juros mais baixos

Cadastro positivo de crédito a um passo de virar realidade

Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Sendo aprova relatório e matéria pode ir ao Plenário ainda nesta quarta-feira

13 de março de 2019
12:16 - atualizado às 13:41
Pessoa conta notas de dinheiro de 100 reais
Dinheiro - Imagem: Shutterstock

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre o projeto que modifica o chamado cadastro positivo de crédito. A medida, defendida pelo Banco Central, cria um banco de dados com informações sobre os “bons pagadores”, que poderão ter acesso a juros mais baixos nas suas operações.

A proposta teve origem no Senado, foi para a Câmara dos Deputados, onde foi alterada, e retornou à Casa de origem nesta semana. Com o relatório de Tasso aprovado, o texto precisa ir o Plenário no Senado, o que pode acontecer ainda nesta quarta-feira. A medida ainda precisará ser regulamentada, após sua sanção.

Todos conhecemos o cadastro negativo de crédito, que lista os devedores que estão com o “nome sujo” no Serasa/SPC. A ideia do projeto é criar um cadastro positivo, ou seja, pontuando o consumidor que paga suas faturas e demais contas (luz, água, telefone ) e financiamentos em dia.

O que esse projeto faz, na prática, é um retorno à proposta original de criação do cadastro positivo que existe desde junho de 2011, mas não “pegou”, por assim dizer, pois foi deformado durante a tramitação na Câmara dos Deputados.

O ponto central da proposta é a adoção do modelo “opt-out”. Todos os cidadãos com CPF estão automaticamente inscritos nos bancos de dados. Quem não quiser fazer parte comunica ao gestor do banco de dados sua vontade de ficar fora.

O modelo que está em vigor atualmente é de “opt-in”, ou seja, o consumidor tem de declarar expressamente a vontade de fazer parte do banco de dados. As estimativas são de que cerca de apenas seis milhões de CPFs estão no cadastro positivo para uma população adulta superior a 150 milhões de pessoas no país.

A expectativa é que com melhor informação sobre o histórico de crédito, bancos, financeiras e fintechs possam praticar taxa de juros mais condizentes com o perfil do tomador. A ideia é acabar com aquela história de que o bom pagador acaba pagando a conta dos caloteiros via taxas de juros mais elevadas.

O projeto prevê que o BC apresente dados de forma periódica medindo o impacto do cadastro positivo.

A medida faz parte da “Agenda BC mais” e o BC espera que ela ajude a reduzir o spread bancário – diferença entre o custo do dinheiro para o banco e para o tomador final. Na decomposição do spread, a inadimplência está entre os principais fatores que fazem o juro no Brasil ser tão elevado em comparação com outros pares.

No relatório original na matéria, feito em 2017, pelo ex-senador Armando Monteiro, há um estudo da Associação Nacional dos Birôs de Crédito (ANBC) mostrando que o cadastro positivo poderia reduzir o spread em 4 pontos percentuais, com impacto de redução permanente na taxa de juros estrutural da economia em 1 ponto percentual.

Outro estudo da ANBC também mostrou que o cadastro positivo poderia incluir mais de 22 milhões de pessoas no mercado de consumo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

FECHAMENTO DO DIA

Poeira assenta em Brasília e Ibovespa sobe quase 3% na semana; dólar cai a R$ 5,21

2 de dezembro de 2022 - 19:29

Em Nova York, no entanto, o clima foi de cautela. O payroll, o raio-X do mercado de trabalho americano e um dos dados mais importantes para o Federal Reserve na decisão de política monetária, mostrou uma força maior do que a esperada

DINHEIRO NA CONTA

Dividendos: Raízen (RAIZ4) depositará R$ 918 milhões na conta dos acionistas em 2023, mas data de corte é na próxima semana; veja quem terá direito à bolada

2 de dezembro de 2022 - 19:22

A Raia Drograsil anunciou o pagamento de proventos nesta sexta-feira (2): a farmacêutica distribuirá R$ 90 milhões na forma de JCP

TOMA LÁ, DÁ CÁ

Vai causar estrago? Europa fixa valor do barril de petróleo russo em US$ 60 e deve despertar a fúria de Putin

2 de dezembro de 2022 - 18:35

Na decisão de hoje, os europeus detalham que o limite de preço do petróleo russo será revisado regularmente e deve ser “pelo menos 5% abaixo do valor médio de mercado”

SEU DINHEIRO NA COPA

Confira os dias dos jogos das oitavas-de-final da Copa do Mundo e o horário de Brasil x Coreia do Sul

2 de dezembro de 2022 - 18:11

Encerrados os jogos do Grupo G, estão definidos os confrontos valendo vaga nas quartas-de-final da Copa do Mundo do Catar

VAGAS AFIRMATIVAS

Serasa Experian abre vagas exclusivas para pessoas com deficiência; saiba como se inscrever

2 de dezembro de 2022 - 16:15

Ao todo, são 50 oportunidades para as áreas de tecnologia, operações, corporativo e jurídico; nas cidades de Blumenau (SC), São Carlos (SP) e São Paulo (SP). O regime de trabalho é híbrido.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies