🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Débito ou crédito?

‘Voltamos, e voltamos forte para o jogo’, afirma presidente da Cielo

O recado de Paulo Caffarelli, novo presidente da empresa de maquininhas de cartão, não podia ser mais claro: entre manter as margens de lucro e a liderança no mercado que enfrenta uma forte competição, a Cielo optou pela segunda

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
29 de janeiro de 2019
10:02 - atualizado às 19:26
Paulo Caffarelli, presidente da Cielo
Paulo Caffarelli, novo presidente da Cielo - Imagem: Beto Barata/PR

Quem chega atrasado a uma entrevista coletiva com Paulo Caffarelli corre o risco de perder a notícia. O novo presidente da Cielo se tornou conhecido por ir direto ao ponto, e não foi diferente em sua primeira fala aos jornalistas desde que assumiu o comando da empresa de maquininhas, em novembro passado.

“Nós voltamos, e voltamos forte para o jogo. Não há empresa melhor preparada para o combate do que a Cielo”, ele disse aos jornalistas na manhã de hoje.

O recado não podia ser mais claro. Entre manter as margens de lucro e a liderança no mercado que enfrenta uma forte competição, a Cielo optou pela segunda.

"Temos que fazer escolha entre margem e market share, e optamos estrategicamente pelo market share", afirmou o presidente da Cielo, que possui aproximadamente 45% do mercado de maquininhas de cartão.

Entre as medidas adotadas para “voltar ao jogo”, a Cielo promoveu reduziu os preços cobrados dos lojistas. Uma das fontes de receita das empresas de maquininhas de cartão vem de um percentual cobrado sobre cada compra realizada nos cartões de débito e crédito.

A companhia também contratou 1.000 novos vendedores, chamados de “hunters”. Eles têm como meta obter 2 mil novos credenciamentos por dia. “Nosso desempenho já é 2,5 vezes maior do que antes das contratações”, disse Caffarelli.

A primeira reação do mercado à escolha da Cielo não foi boa. As ações da empresa abriram o dia em queda de 3,40%, mas foram melhorando ao longo do dia e fecharam em forte alta de 4,87%. Ou seja, o mercado aparentemente decidiu dar pelo menos o benefício da dúvida à gestão Caffarelli.

Lucro menor em 2019

Essa estratégia de mais gastos e redução de preços vai levar a uma queda nos resultados. A empresa projeta para este ano um lucro líquido entre R$ 2,3 bilhões e R$ 2,6 bilhões. Ou seja, na melhor das hipóteses, a Cielo espera uma redução de 21% do resultado.

A empresa espera, porém, manter a política de pagamento de dividendos e espera distribuir entre 70% e 100% do lucro aos acionistas neste ano.

Questionado sobre quando o resultado deve voltar a crescer, Caffarelli disse que os números de 2020 já devem mostrar uma melhora, a partir de ganhos de escala.

Todos juntos

A Cielo é controlada por Banco do Brasil e Bradesco, mas tem ações listadas na B3. No ano passado, os papéis da companhia caíram quase 60% diante do aumento da concorrência no setor.

O presidente da Cielo disse que a estratégia de abrir mão das margens para não perder ainda mais mercado está alinhada com os bancos controladores e também com os minoritários.

Um dos temores de parte do mercado é que os bancos "entreguem os anéis" – no caso, a Cielo – para ficar os dedos, que seria o relacionamento com os varejistas em outros produtos.

Caffarelli disse que a parceria com os bancos acionistas, além da Caixa, proporciona uma vantagem competitiva para a Cielo.

Cliente definirá bônus

Em um mercado que se tornou uma "commodity", o jogo será ganho por quem agregar valor ao cliente, segundo Caffarelli.

"O compromisso com a melhora dos serviços terá um peso considerável na remuneração variável dos executivos, inclusive a minha", afirmou o presidente da Cielo.

A satisfação dos clientes com serviços definirá até 30% dos bônus a serem pagos pela companhia, afirmou Caffarelli.

Compartilhe

AINDA NA FASE BETA

Criptomoedas no crédito: Binance e Mastercard lançam cartão pré-pago na Argentina

4 de agosto de 2022 - 17:05

Ainda em fase de testes, os clientes podem fazer compras com criptomoedas, usando o cartão de crédito; a conversão da moeda digital em pesos argentinos acontece em tempo real

Mais roxo, menos vermelho

Sai da frente! Nubank deve ultrapassar Santander em compras no cartão no segundo trimestre

2 de agosto de 2022 - 12:54

Analistas do Goldman Sachs veem Nubank dobrando sua participação em transações com cartões no Brasil num intervalo inferior a dois anos

CARTÕES

O PIX vai acabar com as maquininhas de cartão? O Itaú BBA diz que não — e indica uma ação barata para comprar

25 de maio de 2022 - 13:05

O PIX não é um vilão para o mercado de cartões e está ganhando espaço principalmente das transações em dinheiro, de acordo com os analistas do banco

FUTURO BATE À PORTA

Pagar conta com criptomoeda? A Visa mostra que é possível: uso de cartão em bitcoin (BTC) explode e atinge US$ 2,5 bilhões no trimestre

31 de janeiro de 2022 - 18:29

Em julho, a empresa norte-americana havia informado que o uso do plástico vinculado a criptomoedas atingiu US$ 1 bilhão nos primeiros seis meses do ano passado

DE OLHO NA OPERAÇÃO

XP (XPBR31) e Inter (BIDI4) sobem embalados pelas prévias operacionais; Goldman Sachs vê potencial de alta de 116,5% em ações da XP

11 de janeiro de 2022 - 16:49

Papéis do Banco Inter (BID4) têm dia de volatilidade alta, XP (XPBR31) sobe com força após publicação de dados operacionais favoráveis

Banco digital

Nubank baixa a pedida do IPO e agora pode chegar à bolsa valendo até US$ 41 bilhões

30 de novembro de 2021 - 10:19

Para convencer os investidores a comprar as ações, o Nubank reduziu a faixa de preço por ação sugerida no IPO em aproximadamente 20%

Cartões

Santander avança em cisão da Getnet com registro na Nasdaq

27 de setembro de 2021 - 13:17

A empresa de maquininhas de cartão passará a ser negociada na bolsa de forma separada do Santander e obteve aval em agosto para listar certificados de ações (units) na B3

Momento ruim

Dinheiro de volta? Méliuz (CASH3) tem queda de dois dígitos após balanço do segundo trimestre – Veja por quê

16 de agosto de 2021 - 13:49

Ação mais que triplicou de valor somente este ano, mas números de hoje mostraram alguns problemas nos resultados operacionais da empresa

Aposta em diversificação

Ação da XP sobe após prévia do 2º trimestre, que tem evolução no crédito como destaque

20 de julho de 2021 - 15:28

Carteira da instituição financeira cresceu 43% em três meses, chegando a R$ 6,8 bilhões ao final de junho, e transações com cartões chegaram a R$ 2,1 bilhões

Comida mais cara

Covid e inflação acentuam perda do poder de compra do cartão alimentação, revela Fipe

13 de julho de 2021 - 7:13

Levantamento foi feito com base nos dados da Alelo entre janeiro de 2018 e maio de 2021, e no valor da cesta básica medido pelo Dieese

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies