Menu
2019-10-14T14:12:44-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Guerra comercial

Trump adia aplicação de tarifas comerciais e China mostra satisfação com a medida

Horas antes, a China havia anunciado a isenção de 16 tipos de produtos dos EUA de tarifas extras por um ano, a partir do dia 17

12 de setembro de 2019
8:00 - atualizado às 14:12
China/ EUA/ Guerra comercial
Imagem: Shutterstock

Donald Trump usou o seu Twitter na noite desta quarta-feira (11) para anunciar que irá adiar a aplicação de tarifas adicionais a cerca de US$ 250 bilhões em produtos chineses. Antes programada para ter início no dia 1º de outubro, as tarifas só passarão a valer no dia 15 do mesmo mês.

Nas publicações, Trump diz que a iniciativa foi um 'gesto de boa vontade' e que atende um  um pedido do vice-primeiro-ministro chinês Liu He, uma vez que 1º de outubro marca o 70º aniversário da fundação da República Popular da China.

Horas antes, a China havia anunciado a isenção de 16 tipos de produtos dos EUA de tarifas extras por um ano, a partir do dia 17.

Nesta quinta-feira (12), o Ministério de Comércio da China expressou satisfação com a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de adiar um aumento de tarifas sobre algumas importações chinesas, antes de equipes de médio escalão realizarem uma reunião preparatória para a próxima rodada de negociações bilaterais, prevista para outubro.

Segundo o porta-voz do ministério, Gao Feng, as empresas chinesas começaram a fazer levantamentos de preços de bens agrícolas americanos. Pequim suspendeu as compras desses produtos em agosto, quando a relação comercial entre os dois países sofreu forte deterioração.
Os levantamentos de preços, que podem levar os chineses a retomar as compras de produtos agrícolas dos EUA, incluem itens como soja e carne suína.

Segundo Gao, que falou durante coletiva de imprensa semanal, a possível retomada de compras de bens agrícolas pela China não é "uma moeda de troca" nas discussões comerciais.

*Com Estadão Conteúdo
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

seu dinheiro na sua noite

Dólar abaixo de R$ 5, Selic de volta aos 7% e o investimento da Petz em página de gatinhos

Apesar dos avanços na vacinação e do relaxamento nas medidas de distanciamento social, o fato de ainda estarmos convivendo com o coronavírus e uma elevada mortalidade pela covid-19 faz com que 2021 tenha um sabor de 2020 – parte 2. Assim tem sido, pelo menos para mim. Imagino que também seja assim para todas as […]

atenção, acionista

Weg e Lojas Renner anunciam juros sobre capital próprio; confira valores

Empresa de fabricação e comercialização de motores elétricos paga R$ 86,1 milhões; provento da varejista chega a R$ 88 milhões

Alívio no câmbio

Dólar fica abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez em mais de um ano — e o empurrão veio dos BCs

O dólar à vista terminou o dia em R$ 4,96, ficando abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez desde 10 de junho de 2020. O Ibovespa caiu

Constitucionalidade em xeque

Autonomia do Banco Central: STF retoma julgamento no dia 25, mas recesso pode estender votação até agosto

A lei em análise restringe os poderes do governo federal sobre a autoridade máxima da política monetária do País

nos eua

Presidente do Fed descarta elevação preventiva de juros e vê inflação atual como temporária

Jerome Powell atribuiu a alta dos preços à retomada da demanda em quadro de oferta ainda limitada em alguns segmentos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies