Menu
2019-06-05T06:36:11-03:00
tirando o pé do acelerador

FMI corta projeções de crescimento do PIB da China em 2019 e 2020

Fundo agora prevê que o PIB chinês crescerá 6,2% em 2019 e 6% em 2020; anteriormente, suas estimativas eram de altas de 6,3% neste ano e de 6,1% no próximo ano

5 de junho de 2019
6:36
shutterstock_511208572
O FMI espera ainda que a expansão da China desacelere gradualmente nos próximos anos, até chegar a 5,5% em 2024. - Imagem: Shutterstock

Após completar sua última missão de avaliação da China, o Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu levemente suas projeções de crescimento da segunda maior economia do mundo.

O Fundo agora prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) chinês crescerá 6,2% em 2019 e 6% em 2020. Anteriormente, suas estimativas eram de altas de 6,3% neste ano e de 6,1% no próximo ano.

Em comunicado divulgado nesta quarta-feira, o FMI avalia que os planos do governo chinês de adotar medidas de estímulos compensam parcialmente a recente decisão dos Estados Unidos de elevarem tarifas sobre mais US$ 200 bilhões em produtos da China.

O FMI espera ainda que a expansão da China desacelere gradualmente nos próximos anos, até chegar a 5,5% em 2024, quando sua economia deverá atingir uma trajetória de crescimento mais sustentável.

Já no curto prazo, a perspectiva da China é particularmente incerta, devido à possível escalada de tensões comerciais com os Estados Unidos, ressaltou o Fundo. No momento, Pequim e Washington estão num impasse de suas negociações para um eventual acordo comercial.

O FMI destaca também que o progresso nas reformas estruturais da China levou a uma maior abertura da economia do gigante asiático e aprimorou seu papel nas forças de mercado.

A entidade recomenda, porém, que, para impulsionar a produtividade e garantir o crescimento no longo prazo, a China faça esforços adicionais para reformar estatais, abrir o setor de serviços e modernizar suas estruturas de políticas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

hora do balanço

Contas do governo têm melhor resultado para janeiro desde 1997

Caixa do Governo Central registrou um superávit primário de R$ 44,124 bilhões no mês, segundo o Tesouro nacional

economia americana em foco

PIB dos EUA à taxa anualizada avança 2,1% no quarto trimestre

Apenas os gastos com consumo, que representam cerca de 70% do PIB americano, tiveram expansão anualizada de 1,7% no período

segundo bc

Juro no rotativo do cartão de crédito cai em janeiro, mas ainda é de 316%

Taxa caiu 2,0 ponto porcentual em relação a dezembro; juro do rotativo é uma das taxas mais elevadas entre as avaliadas pelo BC

panos quentes

Maia diz que não vê confusão entre Legislativo e Executivo. ‘Está tudo tranquilo’

Declaração é feita dois dias depois de revelação de que Bolsonaro compartilhou vídeos convocando a população para protestos contra o Congresso

CORONAVÍRUS

Janet Yellen diz que, dependendo de como o vírus se espalhar, impacto pode levar os EUA a recessão

Mas ela fez algumas ressalvas e disse que ainda vê um cenário bastante sólido nos Estados Unidos

Sem alívio

Aversão ao risco continua elevada e mantém o Ibovespa em queda firme; dólar sobe a R$ 4,45

Os mercados seguem cautelosos com os desdobramentos do coronavírus. Nesse cenário, o Ibovespa dá continuidade às perdas de ontem, enquanto o dólar à vista busca novas máximas

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

olho no indicador

Índice que corrige o aluguel, IGP-M cai 0,04% em fevereiro

Com o resultado, indicador acumula variação de 6,82% nos 12 meses encerrados em fevereiro e de 0,44% em 2019

diálogo difícil

Reino Unido inicia diálogo comercial com UE com ameaça de abandoná-lo

Governo britânico admite que o tempo é “limitado”, mas “suficiente” para que um acordo preliminar seja alcançado nos próximos quatro meses

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

9 notícias para você começar o dia bem informado

É hora de soprar as cinzas da quarta-feira e encarar uma nova realidade de mercados mais voláteis e incertos. Os humores devem continuar a variar conforme dados sobre o avanço ou retrocesso do coronavírus forem divulgados.  Além da questão sanitária, o investidor deve refletir sobre as consequências reais do surto para a economia e o […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements