Menu
2019-05-13T20:37:15-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
A guerra esquentou

EUA formalizam proposta de tarifas sobre produtos da China, que faz críticas aos norte-americanos via OMC

Proposta visa taxar aproximadamente US$ 300 bilhões em produtos chineses que ainda não sofreram barreiras

13 de maio de 2019
20:36 - atualizado às 20:37
Guerra comercial, China, Estados Unidos EUA
Xi Jinping (China) e Donald Trump (EUA) - Imagem: Shutterstock

O Escritório do Representante Comercial dos Estados Unidos (USTR, na sigla em inglês) formalizou na noite desta segunda-feira a proposta de impor tarifas de 25% sobre produtos chineses importados pelo país que ainda não sofreram barreiras pelos americanos.

O montante é de aproximadamente US$ 300 bilhões em produtos chineses que serão tarifados caso o USTR siga adiante com o procedimento. O presidente americano, Donald Trump, havia instruído o órgão a seguir com o processo no fim da semana passada.

De acordo com o USTR, a audiência pública será feita em 17 de junho, enquanto comentários finais ocorrerão em 24 de junho. A lista final divulgada pelo representante comercial dos EUA exclui produtos farmacêuticos, alguns produtos médicos, materiais raros e alguns minerais. Celulares e computadores, contudo, foram incluídos pelo USTR na lista de produtos a serem tarifados.

Chineses fazem críticas

Em retaliação às ações norte-americanas, a China indicou nesta segunda-feira que as políticas dos Estados Unidos estão ameaçando a existência da Organização Mundial do Comércio (OMC) e submeteu ao painel do órgão multilateral uma série de queixas em uma "proposta de reforma" da OMC.

Sem citar os EUA, os chineses apontam que a tendência recente de práticas unilaterais e protecionistas "desferiu golpes ao multilateralismo e ao sistema de livre-comércio" e enfatizam que "o abuso da exceção de segurança nacional, medidas unilaterais inconsistentes com as regras da OMC, bem como o uso indevido ou abusivo das medidas de reparação comercial existentes danificaram gravemente a ordem internacional de livre-comércio".

O documento da China foi protocolado nesta segunda-feira no site da OMC. Os chineses não mencionam os EUA no documento, mas se referem ao bloqueio na nomeação de juízes de apelação da organização e a tarifas de segurança nacional sobre alumínio, aço e veículos, práticas que têm sido associadas a Washington.

De acordo com a China, "um certo membro da OMC" levantou unilateralmente barreiras comerciais e impôs tarifas de importação de forma arbitrária e sem autorização da organização multilateral.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

O melhor do seu dinheiro

Avanço na PEC Emergencial e dólar a R$ 5,70

Hoje foi um dia daqueles em que Ibovespa e dólar caminharam para o mesmo sentido – para cima. As notícias têm sido agridoces para o mercado financeiro, então enquanto algumas coisas animam de um lado, outras preocupam do outro. No front da PEC Emergencial, as coisas avançaram, e parece que vai ter, afinal, algum controle […]

Primeiro passo

Os documentos que você deve reunir para declarar o imposto de renda 2021

Reunir a documentação que te auxilia no preenchimento da declaração é o primeiro passo. Empresas tiveram até a última sexta (28) para entregar os informes de rendimentos.

FECHAMENTO

Ibovespa reage na reta final e sobe mais de 1% com novidades sobre PEC Emergencial; dólar também sobe refletindo cautela

A bolsa chegou a cair mais de 2%, enquanto o Banco Central precisou injetar mais de US$ 2 bilhões para tentar segurar o câmbio

Chama o Max

Devo comprar ações da Jereissati para surfar na retomada da economia? Confira a análise

Como investidor, você pode tirar proveito da retomada da economia através dos papéis de uma das mais promissoras microcaps nacionais.

Fundos de investimento

Ney Miyamoto deixa equipe de gestão da Alaska

Fundador e um dos executivos mais experientes da equipe da Alaska, Miyamoto permanece como sócio e investidor dos fundos da casa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies