A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-03-05T10:44:12-03:00
Estadão Conteúdo
ESTIMATIVAS OFICIAIS

China estabelece meta de crescimento para entre 6% e 6,5%

Em 2018, o país teve uma meta de “cerca de 6,5%” em seu crescimento e ele acabou por ficar em 6,6%, no ritmo mais fraco em quase três décadas.

5 de março de 2019
10:40 - atualizado às 10:44

A China estabeleceu uma meta de crescimento econômico para 2019 entre 6,0% e 6,5%, de acordo com a agência estatal Xinhua. Em 2018, o país teve uma meta de "cerca de 6,5%" em seu crescimento e ele acabou por ficar em 6,6%, no ritmo mais fraco em quase três décadas. Para o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês), a meta é de 3% neste ano, idêntica à do ano anterior, quando os dados oficiais mostraram alta de 2,1% ante 2017.

A agência informou que a meta de déficit orçamentário para o ano fiscal de 2019 será de "cerca de 2,8% do PIB", ou 2,76 trilhões de yuans (US$ 411,5 bilhões). No ano anterior, ela havia sido de cerca de 2,6%. O premiê chinês, Li Keqiang, disse que a intenção do governo é gerar 11 milhões de novos empregos em 2019, como projetado no ano anterior, quando foram geradas 13,61 milhões de vagas.

Li afirmou ainda que há o objetivo de limitar a taxa de desemprego nas áreas urbanas em 5,5%, neste ano. Em 2018, ele ficou em 4,9%. O premiê disse que pretende cortar os encargos corporativos em quase 2 trilhões de yuans, em 2019. Segundo ele, o imposto sobre valor agregado para o setor manufatureiro e outras indústrias deve ser reduzido de 16% para 13%.

Em seu Relatório Orçamentário Fiscal de 2019, o governo chinês sugere que haverá mais medidas de cortes de impostos no país, para apoiar a economia. O Ministério das Finanças afirmou que a receita orçamentária neste ano deve crescer 5%, com os gastos avançando 6,5%.

Também para apoiar o quadro econômico, o premiê chinês afirmou que os empréstimos para as pequenas empresas vindas dos maiores bancos estatais devem crescer 30% neste ano.

A China planeja ainda emitir 2,15 trilhões de yuans em bônus de governos locais com propósito especial em 2019 para fomentar investimentos em infraestrutura, uma forte alta em relação à cota de 1,35 trilhão de yuans do ano anterior.

O governo anunciou ainda que pretende elevar o gasto em defesa em 7,5%, para 1,190 trilhão de yuans neste ano, quando em 2018 a alta planejada havia sido de 8,1%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) sente pressão do Fed e recua na semana, enquanto ethereum (ETH) sustenta alta impulsionada pela “The Merge”; entenda

18 de agosto de 2022 - 20:25

O ethereum (ETH) vence a letargia do mercado hoje ainda impulsionado pela The Merge, atualização que, segundo analista, foi enfim “descoberta” pelo mercado

ELEIÇÕES 2022

Bolsonaro aparece no retrovisor de Lula, mas petista ainda pode levar no primeiro turno, segundo Datafolha

18 de agosto de 2022 - 20:00

Essa é a primeira pesquisa de intenção de voto divulgada após o início oficial da campanha presidencial, que começou há dois dias

REBATEU FAKE NEWS

“Estou meio acostumada a tomar paulada”: Luiza Trajano fala sobre política, empreendedorismo e os desafios do Magalu (MGLU3)

18 de agosto de 2022 - 19:13

A empresária rebateu alguns dos principais boatos que envolvem o seu nome e comentou as perspectivas do varejo no TAG Summit 2022

MAIS UM PASSO

Unindo os jalecos: acionistas do Fleury (FLRY3) e Hermes Pardini (PARD3) aprovam a fusão entre as companhias

18 de agosto de 2022 - 19:12

Os acionistas de Fleury (FLRY3) e Hermes Pardini (PARD3) deram aval para a junção dos negócios das companhias; veja os detalhes

o melhor do seu dinheiro

Ibovespa faz o dever de casa, o futuro das petroleiras e quem vai ficar com Congonhas; confira os destaques do dia

18 de agosto de 2022 - 18:40

Passado o grande evento da semana — a divulgação de ontem (17) da ata da última reunião do Federal Reserve — os investidores tiveram pouco com o que trabalhar nesta quinta-feira (18), levando as bolsas globais a mais um dia de muita volatilidade.  A cautela inicial em Nova York e a subida dos juros futuros […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies