Menu
2019-06-04T11:29:45-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
novela das tarifas

China e México mandam recados para os EUA

O país chinês disse acreditar no diálogo, já o vizinho nas Américas disse que há chance de 80% de entendimento com os EUA

4 de junho de 2019
11:18 - atualizado às 11:29
Donald Trump
Imagem: Shutterstock

Os Estados Unidos, que vivem uma tensão comercial com, além da China, agora com o México, recebeu recados dos dois países nesta terça-feira, 4.

O país chinês disse acreditar no diálogo, já o vizinho nas Américas disse que há chance de 80% de entendimento com os EUA.

O Ministério do Comércio da China (MofCom, na sigla em inglês) afirmou, no entanto, que as consultas precisam ser baseadas em princípios e respeito mútuo.

"Se uma parte não respeitar a soberania e os interesses essenciais da outra parte e quiser forçar a outra parte a fazer concessões ao exercer pressão para atingir resultados que são benéficos apenas para ela, tais negociações não serão bem-sucedidas", afirmou o porta-voz.

A manifestação do MofCom é, basicamente, uma tréplica, pois reage ao comunicado divulgado ontem pelo representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer — que foi feito em resposta ao Livro Branco chinês, que veio a público no último domingo cupar Washington pela falha nas negociações comerciais.

"Os EUA estão decepcionados com o fato de os chineses terem escolhido, no 'Livro Branco' e em declarações públicas recentes, perseguir um jogo de culpas que deturpa a natureza e a história das negociações comerciais entre os dois países", diz o texto de Lighthizer.

Já o MofCom afirma hoje esperar que os EUA "abandonem suas práticas erradas".

México, de Whashington

De Washington, o ministro de Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, afirmou que um entendimento com os Estados Unidos para evitar a entrada em vigor de tarifas de 5% é "factível e desejável" e atribuiu chances de "80 a 20", ou seja, 80% a favor de que ele seja alcançado.

"Informo a vocês que avançamos em reuniões com membros do gabinete (do governo americano), think tanks, setor privado, especialistas. Nos esforçaremos para encontrar um entendimento", escreveu o chanceler em sua conta no Twitter.

Na última sexta-feira, o presidente americano, Donald Trump, anunciou que imporia tarifas de 5% a partir de 10 de junho a todos os bens importados do México enquanto o país vizinho não resolvesse a "crise de imigração ilegal" de cidadãos da América Central, principalmente de Guatemala e Honduras, rumando para os EUA.

Ele acrescentou ainda que a alíquota das tarifas subiria cinco pontos porcentuais a cada mês em que Washington não desse a situação por resolvida, podendo chegar a 25% em 1º de outubro.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Oportunidade para o investidor

Conselho da Iguatemi aprova emissão de R$ 264 milhões em debêntures

Trata-se da oitava emissão dos títulos pela empresa, que serão negociados em série única e vinculados a uma emissão de CRI

Seu Dinheiro na sua noite

O que mudou e o que não mudou na bolsa

Quando surgiram as primeiras notícias sobre o surto do coronavírus na China, havia poucos elementos para afirmar se estávamos ou não diante de uma crise de saúde de proporções globais. Hoje já não temos mais dúvidas disso. A dolorosa queda de 7% da bolsa na quarta-feira de cinzas marcou a passagem da incerteza que tínhamos […]

É dólar na veia

Na luta para conter o dólar, Banco Central anuncia oferta de US$ 1 bilhão em contratos de swap nesta sexta-feira

Negociação será realizada na bolsa entre 9h30 e 9h40 e deve contemplar até 20 mil contratos

Dados do Banco Central

Reservas internacionais subiram US$ 976 milhões no dia 26 de fevereiro, para US$ 360,578 bilhões

Resultado reflete sobretudo a oscilação do valor de mercado dos ativos que compõem as reservas

Menor nível em quatro meses

Pressionado pelo coronavírus, Ibovespa cai mais 2,59% e fecha na mínima do dia; dólar sobe a R$ 4,47

O mercado até ensaiou um movimento de recuperação no meio da tarde, mas a cautela com o surto de coronavírus prevaleceu, derrubando o Ibovespa — apenas quatro ações do índice fecharam em alta. O dólar cravou mais uma máxima

No radar

Abimaq diz não ter dado que indique desabastecimento por causa do novo coronavírus

Setor de máquinas está promovendo ações preventivas para evitar qualquer risco de desabastecimento

Negócio em aberto

Bayer concorda com nova revisão sobre aquisição da Monsanto

Empresa vai permitir que um especialista independente revise suas regras e examine os seus principais negócios

Enchentes

Chuvas de fevereiro dão prejuízo de R$ 203 milhões ao comércio do sudeste, diz CNC

Mais da metade do rombo foi concentrado no Estado de São Paulo

Não vai dar

Facebook e Microsoft cancelam participação em eventos por temor com coronavírus

Sony, Electronic Arts e Unity Technologies também já tinham informado que não participariam de conferência

Embraer monitorada

S&P mantém rating BBB da Embraer em observação para eventual rebaixamento

Avaliação reflete a aprovação ainda pendente da Comissão Europeia sobre o acordo entre a empresa brasileira e a Boeing, diz agência

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements