Menu
2019-04-04T08:41:47-03:00
Estadão Conteúdo
Tensão diplomática

China acusa EUA de tentarem bloquear seu desenvolvimento industrial

Declaração é dada após o vice-presidente americano, Mike Pence, afirmar que a gigante Huawei e outras fornecedoras de equipamentos de telecomunicações são uma ameaça à segurança

18 de fevereiro de 2019
10:25 - atualizado às 8:41
Luta de boxe entre Estados Unidos e China
Imagem: Shutterstock

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang acusou nesta segunda-feira os Estados Unidos de tentarem atrapalhar o desenvolvimento industrial da nação asiática. A declaração é dada após o vice-presidente americano, Mike Pence, afirmar que a gigante Huawei e outras fornecedoras de equipamentos de telecomunicações são uma ameaça à segurança.

O porta-voz rejeitou sugestões de que Pequim possa usar suas companhias para coletar informações de inteligência sobre outros países. A crescente pressão dos EUA sobre aliados para reduzir seus negócios com Huawei ameaça o acesso da companhia a mercados globais para a tecnologia de telecomunicações da próxima geração.

A empresa nega as acusações de facilitar a espionagem chinesa. No mês passado, seu fundador disse a repórteres que rejeitará pedidos do governo para divulgar informações confidenciais sobre clientes estrangeiros.

Os EUA tentam "fabricar uma desculpa para suprimir o desenvolvimento legítimo" de empresas chinesas, afirmou o porta-voz. Geng acusou os EUA de usarem "meios políticos" para interferir na atividade econômica, "o que é um assédio hipócrita, imoral e injusto".

Falando sábado na Alemanha, Pence pediu que os aliados europeus levem a sério a "ameaça" que a Huawei representaria, enquanto buscam parceiros para construir infraestrutura de quinta geração sem fio.

A Huawei é uma líder global no desenvolvimento de tecnologia 5G, ao lado da sueca Ericsson e da finlandesa Nokia. Pence disse que a Huawei e outras fabricantes de equipamentos de telecomunicação da China dão a Pequim "acesso a qualquer dado que remeta à rede ou ao equipamento deles". Ele pediu aos governos europeus que "rejeitem qualquer empresa que possa comprometer a integridade de nossa tecnologia de comunicações ou de nossos sistemas de segurança nacional".

Os EUA ainda não divulgaram evidências para apoiar as acusações contra a Huawei e outras companhias de tecnologia. Isso levou alguns analistas do setor a sugerirem que Washington tenta usar as preocupações com a segurança como uma pressão sobre concorrentes chineses.

De qualquer modo, autoridades estrangeiras e a União Europeia já mostraram preocupação no ano passado com regulações chinesas que exigiriam que as empresas do país cooperassem com agências de inteligência. Geng negou que a China tenha a intenção de exigir que empresas ou indivíduos coletem dados ou forneçam informações de países estrangeiros ao governo local.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

negócio em foco

BofA vê negócio entre Linx e Totvs com sinergias de R$ 3,8 bi

Acionistas da Linx receberiam diretamente 40% do valor das sinergias da fusão com Totvs, diz banco

seu dinheiro na sua noite

Vitória do Ibovespa (no segundo tempo)

“O time no segundo tempo ganhou de 2 a 1.” Foi assim que Fernando Diniz, o técnico do São Paulo, reagiu depois da derrota por 4 a 2 para a LDU no meio da semana e que praticamente eliminou a equipe da Libertadores. Diniz preferiu ignorar os 3 a 0 que o time levou na […]

Que modorra!

Bolsa passa por correção, mas zera perdas na reta final do pregão; dólar retoma alta

Principal índice de ações da B3 passou por correção e ignorou durante a maior parte do dia o impulso do setor de tecnologia à bolsa de Nova York

setor público

Reforma administrativa economiza R$ 400 bi até 2034, aponta estudo

Mesmo restringido a reforma apenas a novos servidores, o setor público poderia economizar pelo menos R$ 24,1 bilhões em 2024 com a aprovação das mudanças no seu RH, liberando o governo para investir mais em saúde, educação e segurança pública, segundo centro de estudos

retomada em pauta

Recuperação está longe de concluída, diz presidente do Fed do Kansas

Esther George fez a declaração durante discurso sobre os bancos comunitários, no qual enfatizou o papel destes para dar estabilidade na crise e apoiar a recuperação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements