Menu
2019-01-17T18:00:25-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Meios de pagamento

Em negócio bilionário de fintechs, Fiserv compra First Data por US$ 22 bilhões

A união fortalece as companhias na disputa contra os novos competidores nesse mercado. First Data é dona da marca Bin de maquininhas de cartão no Brasil

17 de janeiro de 2019
16:18 - atualizado às 18:00
bin maquininha
Imagem: Divulgação

As empresas de tecnologia financeira, também conhecidas como fintechs, definitivamente entraram para o clube dos negócios bilionários. A Fiserv, que atua no processamento de operações com cartões, anunciou um acordo para adquirir a First Data, que também atua na ponta do varejo com as maquininhas de débito ou crédito. A transação foi avaliada em US$ 22 bilhões (aproximadamente R$ 83 bilhões).

A Fiserv vai usar suas próprias ações como moeda e ficará com 57,5% da empresa combinada após o negócio, enquanto os atuais acionistas da First Data - que no Brasil é dona da marca Bin - ficarão com os 42,5% restantes.

A união fortalece as companhias na disputa contra os novos competidores nesse mercado, onde ambas já estão relativamente consolidadas.

Na "corrida do ouro" do mercado de meios de pagamento, empresas como a First Data passaram a sofrer a concorrência de novatas como a Square, que usam as maquininhas de cartão como "porta de entrada" para oferecer uma série de serviços aos varejistas.

Esse negócio também está em ebulição no Brasil, com empresas como PagSeguro e Stone no encalço das líderes de mercado Cielo, controlada por Banco do Brasil e Bradesco, e a Rede (Itaú Unibanco). Ambas reforçaram o caixa com bilhões de dólares no ano passado após abrirem o capital em Nova York.

Gigante no mercado americano, a First Data ainda não conseguiu incomodar a concorrência com a maquininha Bin no Brasil. Resta saber como ficará a estratégia no país após a venda para a Fiserv.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Judiciário

Celso de Mello antecipa saída e acelera sucessão no STF

Com saída, abre-se a primeira vaga para indicação do presidente Jair Bolsonaro.

Mais lidas

MAIS LIDAS: De bolso cheio para brigar contra todos

Na semana em que o Seu Dinheiro completou dois anos no ar, refleti sobre quanta água rolou em tão pouco tempo. Foram muitos acontecimentos relevantes para os mercados, como eleição presidencial, guerra comercial de China e Estados Unidos, aprovação da Reforma da Previdência e a chegada do coronavírus. A Julia Wiltgen levantou o ranking de […]

Aviação regional

Governo quer licitar cinco blocos de aeroportos na Amazônia Legal

Pontapé inicial será no Amazonas, onde o governo espera transferir para uma empresa a operação de oito aeroportos regionais em 2022

Reforma Tributária

Cresce resistência a “nova CPMF”

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, avisou a interlocutores que a criação do imposto dificilmente passará no Congresso

Reforma Tributária

Dúvida é adotar desoneração da folha horizontal ou vertical

Há consenso sobre desonerar as empresas de tributos sobre os salários de quem ganha até um salário mínimo, mas forma ainda está em discussão no Executivo.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements