Menu
2019-04-05T15:50:14-03:00
Estadão Conteúdo
Balanço

Caixa tem em 2018 lucro recorrente recorde de R$ 12,7 bi, 40% acima de 2017

Patrimônio líquido do banco ficou em R$ 81,2 bilhões, 15,1% maior que ano anterior, decorrente da evolução de 41,0% nas reservas de lucro

29 de março de 2019
11:50 - atualizado às 15:50
Caixa Econômica Federal
Agência da Caixa Econômica Federal em São Paulo - Imagem: Itaci Batista/Estadão Conteúdo

A Caixa anunciou lucro recorrente recorde de R$ 12,7 bilhões em 2018, 40% acima de 2017. Já o lucro líquido contábil foi de R$ 10,4 bilhões, 17,1% menor na mesma comparação. O número recorde é justificado pela melhoria da eficiência operacional e o aumento de receitas, especialmente o resultado da intermediação financeira e a prestação de serviços.

O patrimônio líquido do banco ficou em R$ 81,2 bilhões, 15,1% maior que ano anterior, decorrente, principalmente, da evolução de 41,0% nas reservas de lucro, explica o comunicado à imprensa.

O retorno recorrente sobre patrimônio líquido médio (ROE) ficou em 16,1%, 2,45 pontos porcentuais maior do que no ano anterior.

Outro destaque do balanço foi o índice de Basileia, de 19,6%, maior que o apresentado em 2017, de 17,65%.

Por sua vez, o índice de eficiência operacional recorrente chegou a 46,5%, melhora de 2,1 p.p. em 12 meses.

As despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa ficaram em R$ 14,9 bilhões, uma redução de R$ 4,3 bilhões em 12 meses, devido ao recuo de R$ 11,8 bilhões na carteira de crédito e da mudança de sua composição, com maior concentração em créditos de baixo risco.

Carteira de crédito

O saldo da carteira de crédito ampla da Caixa apresentou queda de 1,7% no ano, para R$ 694,5 bilhões, "com o comportamento da carteira ainda repercutindo a estratégia adotada pela empresa para equilíbrio de sua estrutura de capital", segundo o informe de resulta

O saldo da carteira de crédito habitacional cresceu 3,0%, para R$ 444,7 bilhões em dezembro, sendo R$ 265,2 bilhões com recursos FGTS e R$ 179,4 bilhões com recursos Caixa/SBPE. O banco público segue na liderança do segmento, com 68,8% de participação, ganho de 0,6 p.p em 12 meses.

Os contratos pela Caixa de Minha Casa Minha Vida somaram R$ 62,5 bilhões, ou 505.494 novas unidades habitacionais, das quais 21,1% na faixa 1 do programa.

O resultado bruto da intermediação financeira foi de R$ 36,0 bilhões, 15,5% superior, "influenciado pela redução de 22,5% nas despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa e pelo crescimento de 1,0% na margem financeira", ainda de acordo com o documento.

As receitas com prestação de serviços, por sua vez, tiveram alta de 7,2%, para R$ 26,8 bilhões, "influenciadas pelas receitas de conta corrente, de fundos de investimento e de cartões."

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

seu dinheiro na sua noite

A vingança das sardinhas

Podia ser o título de um filme de terror, mas está mais para uma história de superação. No jargão do mercado financeiro, sardinhas são os pequenos investidores — pessoas físicas como eu e você. No mar revolto da bolsa de valores, as sardinhas costumam virar presas fáceis para os grandes investidores — ou tubarões, como […]

balanço

Pix movimenta R$ 11,8 bilhões na primeira semana de operação

Volume considera as transações realizadas entre o dia 16 de novembro, início da ferramenta, até ontem, dia 22

ainda não é oficial

Biden deve nomear Janet Yellen como secretária do Tesouro, diz jornal

Se confirmada pelo Senado, Janet Yellen será a primeira mulher a assumir a função; bolsas subiram com a notícia

fim do dia

Tudo para cima: Ibovespa fecha em alta com vacina de Oxford 70% eficaz, enquanto risco fiscal pressiona dólar e juros

Principal índice da B3 fecha no maior patamar desde 21 de fevereiro e acumula ganhos de 14% em novembro. Paralisia com reformas e crescente dívida pública instigam alta da moeda americana

Corrida contra o tempo

Moody’s: vacinação em massa tem potencial significativo de melhora do PIB global

Hoje foi a vez da AstraZeneca, que seguiu as farmacêuticas Moderna e Pfizer nas semanas anteriores, todas com eficácia na casa dos 90%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies