Menu
2019-06-11T15:21:41-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Bancos

Bradesco diz que crédito segue de lado com economia fraca, mas mantém projeções para o ano

A estratégia do Bradesco para manter expectativa de avanço de 8% a 13% no ano é dar foco em linhas com mais probabilidade de crescimento, todas elas voltadas para pessoas físicas

11 de junho de 2019
15:19 - atualizado às 15:21
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco - Imagem: Divulgação CIAB

Com o ritmo fraco da economia, não tem jeito: a concessão de crédito pelos bancos vai continuar devagar. A afirmação é do presidente do Bradesco, Octavio de Lazari.

"Se o país não cresce e o emprego não se recupera, a tendência do crédito é andar de lado", disse Lazari, em entrevista depois de participar do Ciab, evento de tecnologia bancária promovido pela Febraban.

A declaração pode preocupar à primeira vista porque é justamente da expansão na concessão de financiamentos que os bancos devem tirar uma parte relevante de seus lucros neste ano, ainda mais em um contexto de juros baixos. Então, se você é acionista ou pensa em comprar ações dos bancos, precisa seguir de perto o que acontece com o crédito no país.

A expectativa de um resultado pior do que o esperado para os bancos em meio ao desempenho fraco da economia levou o Goldman Sachs a recomendar a venda das ações do Itaú Unibanco (ITUB4) e Bradesco (BBDC4). A indicação para os papéis das demais instituições é neutra.

Mas o presidente do Bradesco disse que, apesar da redução das projeções para o PIB, o banco mantém a estimativa de crescimento para a carteira de crédito banco neste ano, que varia de 9% a 13%.

A estratégia do banco é dar foco em linhas com mais probabilidade de crescimento, como o crédito imobiliário, consignado, pessoal e veículos, todas elas voltadas para pessoas físicas.

O que poderia mudar esse jogo e trazer alguma recuperação para o crédito ainda neste ano seria a reforma da Previdência, caso a aprovação saia até o começo de agosto.

"Nesse caso, a gente ainda pega um pouco de crescimento no último trimestre do ano, o que já é uma boa notícia", disse Lazari.

No pregão de hoje, as ações preferenciais do Bradesco eram negociadas em alta de 0,08% por volta das 14h50. Confira também nossa cobertura completa de mercados.

Imposto mais alto?

Questionado sobre um possível aumento na alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) dos bancos, que está em discussão no Congresso, o presidente do Bradesco disse que o setor vai pedir a manutenção da alíquota nos atuais 15%.

A notícia sobre o possível aumento na CSLL pesou sobre as ações dos bancos ontem na B3. Lazari mostrou, contudo, certa resignação com a possibilidade de o legislativo aprovar a alta do tributo para 20%, percentual que vigorou entre 2015 e 2018.

"Se voltar para 20% não tem problema. Nós vamos cumprir, faz parte da nossa vida", afirmou aos jornalistas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

BANCÕES EM ALTA

Lucro do Banco do Brasil sobe 44,7% no 1º trimestre e atinge R$ 4,9 bilhões

O Banco do Brasil (BB) registrou lucro líquido ajustado de R$ 4,9 bilhões no primeiro trimestre deste ano, 44,7% maior que os R$ 3,4 bilhões reportados em igual período de 2020 e 32,9% superior ao resultado obtido nos últimos três meses do ano passado. “O lucro recorde para um trimestre é resultado de uma estratégia […]

Vol é vida?

Lucro líquido da B3 cresce 22,5% e atinge R$ 1,25 bi no 1º trimestre

O lucro líquido recorrente atingiu R$ 1,4 bilhão, alta de 15,5% frente ao mesmo período do ano passado e de 15,2% na comparação com o trimestre anterior

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Carnaval fora de época da Ambev e mais…

O varejo tem várias datas importantes: dia das mães, dia dos pais, dia das crianças, dia dos namorados, Black Friday, Natal… Há uma data comemorativa em quase todos os meses, e todas são aguardadas com ansiedade pelo setor — afinal, qualquer impulso nas vendas é bem vindo. Pois para a Ambev, a coisa funciona um […]

FECHAMENTO DO DIA

Balanços e commodities metálicas ditam o ritmo e Ibovespa fecha em alta; dólar volta à casa dos R$ 5,20

Com a agenda de indicadores fracas e um Copom sem grandes surpresas, os investidores se debruçaram nos números do trimestre e no novo recorde do minério de ferro.

Queda no apetite

Fed sinaliza risco de tombo nos preços de ativos em relatório de estabilidade

O banco central dos EUA demonstrou preocupação com um possível declínio no apetito ao risco dos investidores norte-americanos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies