Menu
2019-06-06T09:56:14-03:00
segue o jogo

Por unanimidade, TST confirma validade da fusão Embraer-Boeing

Caso chegou ao TST depois que uma liminar do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) determinar que o Conselho de Defesa Nacional fosse consultado antes sobre a negociação

6 de junho de 2019
6:39 - atualizado às 9:56
Boeing
Imagem: shutterstock

Por unanimidade, o Órgão Especial do Tribunal Superior do Trabalho (TST) confirmou na última segunda-feira (03) uma decisão do presidente da Corte, ministro João Batista Brito Pereira, que garante a continuidade das negociações relativas à joint venture entre a Embraer e a Boeing.

O caso chegou ao TST depois que uma liminar do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) determinar que o Conselho de Defesa Nacional fosse consultado antes sobre a negociação. A decisão foi tomada no âmbito de uma ação civil pública do Ministério Público do Trabalho da 15ª Região, que apontou que a operação provocaria lesão aos interesses nacionais.

O TRT-15 determinava que, para o avanço do negócio entre as duas empresas, a União - como sócia da companhia brasileira - deveria previamente obter informações sobre a operação diretamente com o Conselho de Defesa Nacional (ex-Conselho de Segurança Nacional).

"Logo que foi publicado essa liminar, contra o qual a União se insurgiu na suspensão de segurança, as ações da Embraer caíram cerca de 5% na Bolsa de Valores. Isso representa alguns milhões bem relevantes", afirma o advogado da União Daniel Costa Reis, do Departamento de Direitos Trabalhistas da Procuradoria-Geral da União (DTB/PGU).

Em dezembro de 2018, o presidente do TST cassou a decisão do TRT que poderia dificultar o negócio entre a Embraer e a Boeing. Na decisão, Brito Pereira argumentou que "o debate sobre a soberania e a defesa nacional não envolve discussão sobre direito decorrente da relação de trabalho" e que "não há prova cabal da citada ação vilipendiosa" entre as duas fabricantes de aviões.

Para Brito Pereira, as questões levantadas "têm natureza civil-administrativa e o uso da golden share é decisão política de natureza discricionária do presidente da República". Foi essa decisão do ministro que foi confirmada agora pelo Órgão Especial do TST.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Disputa EUA-China

Trump dá 90 dias para dona do TikTok vender operações nos EUA

Decreto, emitido na sexta à noite, foi considerado boa notícia para empresa em relação à medida anterior.

Após China divulgar contaminação

Brasil vai à OMC contra decisão das Filipinas de barrar importação de frango

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse que as Filipinas já haviam demonstrado preocupação em proteger seus produtores e que tomou a decisão sem ter provas de que houve contaminação.

O melhor do seu dinheiro

MAIS LIDAS: Cogna, o trade da moda, virou pó

Um trade da moda chamou a atenção recentemente: as opções de compra (call) de Cogna, a antiga Kroton. O papel atraiu diversas pessoas físicas e movimentou as discussões nas redes sociais. Para quem não está familiarizado com investimento em opções, basicamente a ideia neste caso era pagar um valor para ter o direito de compra […]

Popularidade em alta

Para 47%, Bolsonaro não tem nenhuma culpa por mortes relacionadas à Covid-19

Quase metade dos brasileiros, 47%, considera que o presidente Jair Bolsonaro não tem culpa pelos óbitos relacionados à Covid-19 no Brasil, segundo pesquisa Datafolha divulgada neste sábado, 15, pelo jornal Folha de S. Paulo. Os que acham que Bolsonaro tem responsabilidade somam 52%. A pesquisa foi feita por telefone com 2.065 brasileiros adultos que têm […]

Popularidade recorde

Eurasia aponta que chances de impeachment de Bolsonaro caem para 10%

Melhora na popularidade do presidente Jair Bolsonaro reduz as chances, que já eram remotas, de um impeachment, segundo avaliação da consultoria de risco político.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements