Menu
2019-07-30T19:10:56-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Fintech

Banco Inter dispara na bolsa após oferta e notícia de investimento do japonês Softbank

Certificados de ações (units) do Banco Inter sobem 17% hoje após informação de que Softbank investiu R$ 1 bilhão na oferta de ações da instituição

30 de julho de 2019
14:41 - atualizado às 19:10
Banco Inter - Cartão - Celular
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Banco Inter mais uma vez contrariou os céticos em relação a uma nova disparada das ações (incluindo este que vos escreve). Um dia após a definição do preço por ação na oferta lançada pelo banco digital, as units (BIDI11) fecharam em alta de impressionantes 17,47%, cotadas a R$ 47,40. Confira também nossa cobertura completa da bolsa hoje.

Além de ser bem sucedida, a oferta contou com um ingrediente todo especial: a participação do fundo de tecnologia japonês Softbank, de acordo com o site Brazil Journal. Eu confirmei a informação com uma fonte próxima à operação.

O Banco Inter captou R$ 1,247 bilhão na oferta, o equivalente a R$ 39,99 por unit. Desse total, o Softbank ficou com pouco mais de R$ 750 milhões, segundo a fonte que eu ouvi.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Com a entrada do Softbank e do dinheiro novo, o banco digital que já conquistou mais de 2,5 milhões de clientes com sua conta digital sem tarifas ganha musculatura para brigar nessa arena cada vez mais disputada.

O novo sócio também deve contribuir com os planos do Banco Inter de criar um "super app", como são os chamados aplicativos para celulares com vários serviços reunidos.

O aporte de capital realizado por meio da oferta na bolsa foi concluído menos de uma semana depois de o Nubank anunciar uma rodada de captação de US$ 400 milhões (R$ 1,5 bilhão, ao câmbio de hoje), que avaliou a fintech em US$ 10 bilhões (R$ 38 bilhões).

Para efeito de comparação, o valor da Inter considerando o preço por ação na oferta foi de R$ 9,3 bilhões. Com a alta de hoje, as ações do banco acumulam valorização de 142% no mês e quase 450% nos últimos 12 meses.

Como eu já mencionei, sou um grande fã do Banco Inter e de João Vitor Menin, presidente do banco. Mas continuo considerando a ação muito cara no preço atual, ainda mais depois da valorização de hoje. De todo modo, no mundo à parte em que vivem as fintechs hoje, a avaliação do Inter parece adequada.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

bem na praça

Fintechs e corretoras lideram avaliações positivas de clientes

Nota geral mais alta foi da corretora Órama, com 4,64, em uma escala de 0 a 5. Ela foi seguida pelo Nubank (4,37), Banco Inter (4,31), a corretora Mirae (4,22) e o BTG Pactual Digital (4,20)

olho na composição

Ações de companhias elétricas podem equilibrar a carteira de investimentos

Empresas são consideradas mais resistentes a ciclos de baixo crescimento da economia e sentem menos os altos e baixos da Bolsa

sem privilégios

Petrobras pode perder direito de preferência no próximo leilão do pré-sal

Segundo jornal, avaliação é de que esse direito distorce a concorrência e afasta competidores

O que esperar dos mercados?

BCs, Davos e feriados pautam os negócios na semana

Enquanto líderes mundiais viajam para o Fórum Econômico de Davos, os investidores aguardam novidades dos BCs e da atividade doméstica. Feriados diminuem a liquidez dos negócios

dinheiro no caixa

Ânima Educação anuncia oferta de ações que pode movimentar R$ 1 bilhão

Empresa quer recursos para novas aquisições estratégicas e investimentos nas atuais linhas de negócio da companhia

na mesma

China mantém taxas de juros de referência inalteradas pelo 2º mês seguido

Taxa de empréstimos de um ano, que em agosto passou a ser uma taxa principal, permanece em 4,15%

empresário tinha 96 anos

Morre fundador do grupo Queiroz Galvão

Fundador ao lado de seus irmãos Dario, João e Mário em 1953, Antônio ajudou a transformar a pequena construtora de Pernambuco em uma das maiores empreiteiras do País

Seu Dinheiro Premium

Os segredos da bolsa: ações de dois setores têm uma semana intensa pela frente

A agenda econômica doméstica continua no centro das atenções do mercado, mas diversos eventos no exterior podem trazer volatilidade à bolsa

De olho nos desbancarizados

Fintech do Santander, Superdigital quer ser a conta dos MEI e das classes C e D

Banco digital de bancão, a Super dá lucro, cobra tarifa e não se volta para os millenials descolados. Foco são os desbancarizados e, sobretudo, as folhas de pagamento dos grandes empregadores.

Rompimento da barragem

Um ano após Brumadinho, alta cúpula da Vale tenta se defender de acusações

Foi dentro de um jato particular da Vale, durante a viagem de volta ao Brasil, depois de participar do Fórum Econômico de Davos, na Suíça, que Fabio Schvartsman, então presidente da mineradora, recebeu a notícia do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Um ano após a tragédia de 25 de janeiro, […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements