Menu
2019-06-21T11:42:12-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Complicou

Dívida bruta do governo geral sobe a 78,4% do PIB em março, revela BC

Porcentual divulgado pelo Banco Centra é superior aos 77,4% do PIB de fevereiro. Este é o maior número da série histórica do BC, iniciada em dezembro de 2006

30 de abril de 2019
12:30 - atualizado às 11:42
Dinheiro real
Imagem: shutterstock

A Dívida Bruta do Governo Geral fechou março aos R$ 5,431 trilhões, o que representa 78,4% do Produto Interno Bruto (PIB).

O porcentual, divulgado nesta terça-feira, 30, pelo Banco Central, é superior aos 77,4% do PIB de fevereiro.

Este é o maior porcentual da série histórica do BC, iniciada em dezembro de 2006. No melhor momento da série, em dezembro de 2013, a dívida bruta chegou a 51,5% do PIB.

A Dívida Bruta do Governo Geral - que abrange o governo federal, os governos estaduais e municipais, excluindo o Banco Central e as empresas estatais - é uma das principais referências para avaliação, por parte das agências globais de rating, da capacidade de solvência do País.

Na prática, quanto maior a dívida, maior o risco de calote por parte do Brasil.

O BC informou ainda que a Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) passou de 54,4% para 54,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em março de 2019. A DLSP atingiu R$ 3,755 trilhões.

INSS na zona da degola

Durante a coletiva de imprensa para apresentação dos dados fiscais, o chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, afirmou que o déficit de R$ 22,597 bilhões nas contas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em março é o pior resultado para o mês na séria histórica do BC.

Segundo ele, isso ocorreu porque houve concentração de pagamentos de sentenças judiciais no mês passado, o que elevou déficit do INSS.

Essa concentração tem sido comum nos meses de março nos últimos anos, conforme Rocha.

Ao comentar o déficit primário perto de R$ 100 bilhões nos 12 meses até março - resultado em grande parte motivado pelo rombo de R$ 197,366 bilhões no INSS - Rocha comentou que a cifra "ainda é grande", mas está em trajetória de redução.

Nos 12 meses até fevereiro, o déficit primário estava em R$ 105,818 bilhões.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Exclusivo SD Premium

Por que a nova “febre do ouro” ainda está longe do fim

Acredito que o mercado vai agora acumular ao redor de US$ 2.000, antes de retomar a subida. Embora estejamos falando de ouro virtual, não é nenhum exagero dizer que estamos em nova corrida do ouro, com todas as suas alegrias e decepções

Otimismo cauteloso

Lucro da Movida tomba 94% no segundo trimestre, mas CFO espera recuperação: ‘Carro sai mais forte’

Companhia está “cautelosamente otimista”, diz Edmar Lopes Neto, que prevê crescimento da frota e atesta recuperação da demanda

listagem no novo mercado

Caixa Seguridade protocola retomada de IPO na CVM e listagem na B3

Caixa Seguridade informou que a controladora protocolou perante ao órgão e à B3 o pedido de retomada do registro de IPO de ações ON

números da pandemia

Covid-19: Brasil tem 104 mil mortes e 3,16 milhões de casos acumulados

Ontem o painel trazia 103.026. Ainda há 3.454 óbitos em investigação

seu dinheiro na sua noite

O Ibovespa entre o Céu e o Inferno

Desde que ultrapassou novamente os 100 mil pontos, em meados de julho, o Ibovespa tem ficado meio… de lado. Essa é a expressão usada no mercado quando um índice ou ativo fica nesse “chove não molha”: sobe um pouquinho, cai um pouquinho, mas sempre rondando o mesmo patamar. E não é que o noticiário esteja […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements