Menu
2019-04-24T19:24:03-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Sistema Financeiro do Futuro

BC dá a largada para implantar Open Banking no Brasil

Sistema permite que cliente compartilhe seus dados bancários e seja disputado por instituições financeiras. Bancos grandes serão obrigados a participar

24 de abril de 2019
19:24
Bancos - Itaú - Santander - Bradesco - Banco do Brasil
Imagem: Montagem Andrei Morais / Estadão Conteúdo / Shutterstock

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, tem como um dos focos de sua gestão preparar o país para o sistema financeiro do futuro. Um dos passos nessa direção foi dado nesta quarta-feira, com as medidas iniciais para a adoção do chamado Open Banking no Brasil.

Para quem não está familiarizado com o tema, o Open Banking parte do pressuposto de que o cliente é o dono de seus dados bancário e não a instituição financeira. Assim, mediante autorização, seus dados cadastrais, de produtos e serviços bancários seriam compartilhados por todo os bancos, que em tese, poderiam competir para ter você como cliente, oferecendo, por exemplo, juros menores.

Segundo o próprio BC, por meio do Open Banking, clientes bancários poderiam, por exemplo, visualizar em um único aplicativo o extrato consolidado de todas as suas contas bancárias e investimentos. Também será possível, por este mesmo aplicativo, realizar uma transferência de recursos ou realizar um pagamento, sem a necessidade de acessar diretamente o site ou aplicativo do banco. O assunto vem sendo estudado faz alguns anos pelo BC.

O que está sendo feito agora

O intuito do BC é aumentar a eficiência e a competição no mercado financeiro, abrindo espaço para atuação de novas empresas.

Hoje, foi publicado um comunicado estabelecendo as principais diretrizes que vão orientar a proposta de regulamentação que será adotada no Brasil. Estamos no início do processo, que ainda contará com novos atos normativos e um cronograma de implementação.

A expectativa do próprio BC é de que o modelo de Open Banking seja implementado a partir do segundo semestre de 2020.

Os requisitos estabelecidos pelo Banco Central indicam que deverão ser compartilhadas, inicialmente, as seguintes informações e serviços:

  • Produtos e serviços oferecidos pelas instituições participantes, como localização de pontos de atendimento, características de produtos, termos e condições contratuais e custos financeiros.
  • Dados cadastrais dos clientes, aqui entram nome, número do CPF, filiação e endereço
  • Dados relativos a contas de depósito, operações de crédito, demais produtos e serviços contratados pelos clientes.
  • Serviços de pagamento, como transferências de fundos, pagamentos de produtos e serviços.

“Com o Open Banking, o Banco Central busca aumentar a eficiência no Sistema Financeiro Nacional, mediante a promoção de ambiente de negócio mais inclusivo e competitivo, preservando sua segurança e a proteção dos consumidores”, diz o BC.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

fechando a conta no azul

Perdeu, mas ganhou: Ibovespa tem correção e cai, mas termina semana em alta; juros disparam com inflação

Índice não conseguiu manter toada positiva vista em outros dias e recuou com quedas de bancos e Petrobras; dólar sobe com inflação maior à vista

começa hoje

Para evitar aglomeração, Via Varejo anuncia Black Friday antecipada

Durante o período, a ideia da campanha é que sejam anunciadas ofertas e vantagens para o cliente em todos os canais.

Infinito e além

SpaceX, de Elon Musk, quer colocar internet em Marte

Deste modo, seria possível criar uma rede de internet banda larga por meio de satélites

Tem grana vindo aí

CMN facilita captação externa com bancos multilaterais e agências

Essas contas serão usadas exclusivamente para depósito dos recursos do empréstimo ou financiamento concedido por esses agentes internacionais.

Forte queda

Governo teve necessidade de financiamento de R$ 366,9 bi em 2019, diz IBGE

O resultado é consequência de um crescimento de 8,6% da receita total, já as despesas totais das três esferas governamentais subiram 4,3%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies