Menu
2019-10-28T09:59:42-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Jornalista formado pela Universidade de Federal do Paraná (UFPR). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros veículos.
hora de checar o desempenho

Magazine Luiza, Pão de Açúcar, Bradesco, Santander, Cielo e mais 11 empresas divulgam balanços nesta semana

Saiba o que esperar dos principais números de cada companhia, numa semana cheia de resultados, e esteja preparado para qualquer eventual surpresa do mercado

28 de outubro de 2019
8:38 - atualizado às 9:59
Balanços-Modelo-28-10
Imagem: Shutterstock / Montagem Andrei Morais / Seu Dinheiro

A temporada de balanços das empresas segue intensa nesta semana no Brasil. Ao menos 16 companhias divulgam seus números relativos ao terceiro trimestre. O destaque no período fica por conta do setor financeiro e do varejo.

A empresa de maquinhas de cartão Cielo e o Magazine Luiza apresentam seus resultados na terça-feira (29). A varejista B2W, o banco Santander e o Grupo Pão de Açúcar (GPA) divulgam seus números no dia seguinte.

Outra companhia que o investidor deve prestar a atenção é Bradesco — quinta-feira (31) é dia dos números da empresa. Confira o que você deve esperar dos destaques da semana.

Varejo ganha um jogador

O trimestre foi de susto para os acionistas do Magazine Luiza, B2W e outras varejistas que têm presença forte online, com o lançamento de um pacote de serviços da Amazon por R$ 9,90 com conteúdo digital e entrega grátis de produtos no país.

O gesto da companhia foi interpretado por parte dos analistas como uma tentativa de testar o terreno no mercado brasileiro e mexeu momentaneamente com os ativos da concorrência. Em setembro, nos dois dias seguidos ao anúncio do serviço, os papeis do Magalu e da B2W chegaram a cair mais de 10%.

Mas as semanas seguintes provaram que, por ora, a situação de ambas as companhias é de tranquilidade na bolsa. No ano, os papeis do Magazine Luiza acumulam alta de 89% e as ações da B2W sobem 30%.

O Magazine Luiza respondeu ao avanço da companhia de Bezos e, em setembro, lançou frete grátis nas compras realizadas em seu marketplace, que reúne produtos de mais de 8 mil vendedores. Fora isso, a companhia não anunciou grandes novidades. Mas ainda assim analistas ouvidos pela Bloomberg esperam novamente números fortes.

No segundo trimestre deste ano, o Magalu reportou vendas totais de R$ 5,7 bilhões, um crescimento de 24,4% em relação ao mesmo período do ano passado. Desse montante, o e-commerce respondeu por 41,5% — entre abril e junho de 2018, essa fatia era de apenas 33%.

Já a B2W voltou ao radar dos analistas em agosto com a repercussão da proposta de migrar de um modelo puramente focado no comércio eletrônico para uma opção híbrida - acompanhada do aumento de capital em R$ 2,5 bilhões. À época, analistas do banco UBS disseram que com a ideia a varejista apresentava um caminho claro rumo ao crescimento de sua plataforma.

As novas perspectivas para a empresa fizeram com que os especialistas do banco elevassem a recomendação quanto aos papéis ordinários da companhia para compra - definindo o preço-alvo das ações em 12 meses a R$ 56. Na quinta-feira, os papeis ON (BTOW3) fecharam o dia cotados a R$ 54,78.

Os analistas da instituição suíça disseram que a B2W migrar para um modelo que busca unir o e-commerce com uma plataforma que apresenta em um só lugar lojas de vários segmentos e uma parte de serviços digitais pode fazer com que o volume bruto de mercadorias dentro de plataformas conhecido como GMV passe de 31% no segundo trimestre de 2019 para 34% no terceiro trimestre deste ano.

Eles relembraram que as Americanas.com, que faz parte do grupo, são o destino número um nas categorias de busca e que há espaço para aumentar ainda mais a sua presença digital. Outro ponto de destaque é que o mercado online ainda tem baixa penetração no Brasil e que a B2W pode alcançar um market share de 25% em 2021, roubando o espaço de players menores.

Mas vale lembrar que B2W e Americanas, apresentaram alguns dados decepcionantes no último trimestre. A primeira aumentou o seu prejuízo em 94% no período comparado com o segundo trimestre de 2018, para R$ 67,7 milhões. Enquanto a segunda companhia teve lucro líquido de R$ 272,8 milhões, queda de 4,2% na mesma base de comparação.

Para o terceiro trimestre, analistas ouvidos pela Bloomberg esperam que o prejuízo da B2W chegue a R$ 97 milhões e a Americanas lucre 4,79% a menos que o mesmo período do ano passado, chegando a R$ 68 milhões.

Magazine Luiza (projeções)

  • Lucro líquido: R$ 114,333 milhões (↓ 2,57%)
  • Receita líquida: R$ 4,657 bilhões (↑ 26,89%)
  • Ebitda: R$ 349,500 milhões (↑ 25,31%)

B2W (projeções)

  • Lucro líquido: R$ -97,414 milhões (↓ 7,92%)
  • Receita líquida: R$ 1,631 bilhão (↑ 4,75%)
  • Ebitda: R$ 146 milhões (↑ 25,21%)

Pão de Açúcar em mudanças

Outra companhia do setor de varejo, o GPA, depois de vender sua participação na Via Varejo, começou uma mudança importante no trimestre: a migração para o Novo Mercado da B3, que reúne empresas com o mais alto padrão de governança corporativa - cuja presença tende a reforçar a confiança do investidor e agregar valor, ainda que subjetivo, às ações.

No início deste mês, a empresa publicou o primeiro aviso da oferta pública de aquisição (OPA) da Almacenes Éxito, que possui ações listadas na Colômbia. A operação será realizada pela Sendas Distribuidora, controlada pelo GPA, ao preço de 18 mil pesos colombianos por ação (R$ 21,52).

Os acionistas do Éxito tem até 19 de novembro para aderir à OPA. Após a operação, o GPA inicia os procedimentos para sua migração para o Novo Mercado, considerando-se a conversão das ações preferenciais em ações ordinárias na proporção de 1:1.

GPA (projeções)

  • Lucro líquido: R$ 235,333 milhões (32,91%)
  • Receita líquida: R$ 13,550 bilhões (10,54)
  • Ebitda: R$ 806,400 milhões (20,36%)

Os bancões e as maquininhas

Os grandes bancos sempre chamam a atenção pelo seus lucros bilionários, mas o mercado brasileiro guarda particularidades que exigem mais atenção do acionista. Hoje, há concorrência com as fintechs, juros baixos e economia em ritmo lento. Diante desse cenário, os números colossais seguem dando a tônica nos balanços.

As estimativas dos analistas também indicam que Bradesco e Santander fecharão o trimestre com rentabilidade de 19% e 20%, respectivamente. No segundo trimestre, o lucro de ambos superou projeções de analistas, como você pode conferir. 

Santander (projeções)

  • Lucro líquido: R$ 3,64 bilhões
  • Receita líquida: R$ 16,246 bilhões
  • Retorno Patrimonial: 20,260%

Embora os bancos tenham mostrado no segundo trimestre que são capazes de lucrar em qualquer cenário, a queda da taxa de juros para os menores níveis históricos representa um novo teste para as instituições. Os bancos precisam depender cada vez mais de sua atividade principal: a concessão de financiamentos.

No trimestre, é possível aferir que Bradesco e Santander chegaram a esse entendimento. Ambos anunciaram a redução de juros do crédito imobiliário, indicando que estão com apetite. Bradesco diminuiu a taxa mínima de 8,10% para 7,30%, enquanto o Santander baixou de 8,50% para 7,99%.

Bradesco (projeções)

  • Lucro líquido: R$ 6,456 bilhões (↑ 11,25%)
  • Receita líquida: R$ 24,972 bilhões ( 4,83%)
  • Retorno Patrimonial: 19,883% ( 1,203 p.p.)

A tecnologia, outro elemento que impacta o mercado, tem as fintechs - startups do setor financeiro - como representantes. São elas que estão mexendo com o valor de mercado da Cielo, controlada por Banco do Brasil e Bradesco. Nos últimos doze meses, os papeis ON (CIEL3) acumulam perdas da ordem de 28%.

A empresa registrou queda de 33% no lucro no segundo trimestre deste ano, mas apresentou um aumento de 9% nos volumes negociados em suas maquininhas. O movimento mostrou uma disposição da Cielo avançar na guerra de preços. O lucro da empresa deve cair pela metade no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com analistas.

A companhia também anunciou, em agosto, um aplicativo de conta digital, o Cielo Pay. O app oferece a possibilidade de recebimento de valores das vendas na hora efetuada mesmo sem contar com as maquininhas.

Cielo (projeções)

  • Lucro líquido: R$ 376,667 milhões (↓ 52,56%)
  • Receita líquida: R$ 2,966 bilhões (↑ 0,14%)
  • Ebitda: R$ 825,333 milhões (↓ 28,42%)

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

LIÇÕES DO PAI RICO, PAI POBRE

Você está cometendo esses erros nos seus investimentos?

Milhões de pessoas perderam trilhões de dólares porque violaram as leis da natureza. Uma das principais leis ou princípios que elas violaram é a Lei de Newton: para cada ação, há uma reação igual em direção oposta

Alguém anotou a placa?

Coronavírus derrubou quase tudo em fevereiro; só o dólar e uma parte da renda fixa se salvaram

Entre mortos e feridos, salvaram-se poucos; dólar disparou, bolsa desabou, e até alguns títulos de renda fixa tiveram desempenho negativo no mês.

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil aprova pagamento de R$ 517,4 milhões em juros sobre capital próprio

Total a ser pago, relativo ao primeiro trimestre de 2020, equivale a R$ 0,1814 por ação

Seu Dinheiro na sua noite

O que nós fizemos depois da queda da bolsa

Eu sei que assistir de braços cruzados à forte queda das ações em meio à completa falta de clareza sobre os impactos do coronavírus nos investimentos é difícil. Mas foi exatamente o que nós aqui do Seu Dinheiro fizemos. Bem, não ficamos exatamente de braços cruzados. Acompanhamos de perto todos os desdobramentos deste momento delicado […]

Perdas generalizadas

Coronavírus derruba o mercado e faz o Ibovespa cair 8,43% em fevereiro, o pior mês desde maio de 2018

O coronavírus se espalhou pelo mundo e trouxe uma enorme onda de aversão ao risco às bolsas. Como resultado, o Ibovespa desabou em fevereiro e o dólar à vista renovou as máximas, flertando com o nível de R$ 4,50

Pensando nas taxas

Goldman Sachs prevê 3 cortes de juros pelo Fed até junho com coronavírus

Primeira redução seria de 0,25 ponto já na reunião do próximo do comitê, marcada para os dias 17 e 18 de março

Polêmica em Brasília

Presidente do Senado convoca sessão para votar vetos do Orçamento impositivo

Projeto obriga o governo a pagar todas as emendas parlamentares neste ano

BC dos EUA

FED: fundamentos da economia continuam sólidos, mas coronavírus representa risco

Declaração foi dada pelo presidente do FED, Jerome Powell, em comunicado divulgado nesta sexta-feira

REAL DESVALORIZADO

Real está no topo da lista das moedas de emergentes com maior queda desde janeiro

Segundo o levantamento, o real está atrás até mesmo de moedas como o Rand Sul-africano (ZAR) e o peso colombiano (COP). Mas o movimento de depreciação de moedas emergentes em relação ao dólar não é único no Brasil

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: Como navegar as águas turbulentas do mercado?

O surto de coronavírus pegou os mercados em cheio, provocando enormes perdas ao Ibovespa e fazendo o dólar disparar rumo a novas máximas. Nesse cenário, nossos repórteres discutem como se comportar em meio ao tsunami de notícias negativas e proteger seus investimentos. Confira os destaques da semana: O coronavírus chegou com tudo aos mercados Dólar […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements