🔴 HERANÇA EM VIDA? NOVO EPISÓDIO DE A DINHEIRISTA! VEJA AQUI

Abaixo das expectativas

Raia Drogasil tem primeiro trimestre desafiador e lucro cai 13%

Balanço mostra que a rede de farmácias apresentou um lucro líquido ajustado de R$ 105,4 milhões

Natalia Gómez
Natalia Gómez
29 de abril de 2019
20:53 - atualizado às 22:48
Drogasil e Droga Raia, redes operadas pela Raia Drogasil
Resultados da RaiaDrogasil ficaram abaixo das expectativasImagem: Montagem Andrei Morais/Estadão Conteúdo/Divulgação

O primeiro trimestre foi desafiador para a Raia Drogasil, com queda no lucro e aumento das despesas, mas o crescimento das vendas sinalizou uma retomada em relação aos trimestres anteriores. A companhia registrou lucro líquido ajustado de R$ 105,4 milhões, queda de 13% ante o mesmo período do ano passado.

Comparando os dois trimestres pela regra contábil IFRS 16, o lucro também encolheu, passando de R$ 109,5 milhões para R$ 93,9 milhões. Segundo a empresa, o padrão de reconhecimento de despesas com arrendamento no IFRS 16 penaliza o lucro líquido no curto prazo, mas este efeito diminuirá com o passar do tempo, conforme os contratos se aproximarem da sua maturação.

O resultado ficou abaixo da projeção média dos analistas, que previam lucro líquido ajustado de R$ 118,5 milhões, segundo a Bloomberg. A receita líquida de vendas e serviços ficou em R$ 3,95 bilhões, alta de 15% ante o ano anterior. A receita bruta consolidada foi de R$ 4,15 bilhões, alta de 15,3% sobre o mesmo período do ano anterior.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado recuou, passando de R$ 272,2 milhões para R$ 270,1 milhões, pressionado por lojas abertas e em processo de abertura no trimestre. Já pela regra IFRS 16, o Ebitda Ajustado foi de R$ 415,5 milhões, ante Ebitda de R$ 391,9 milhões um ano antes.

A margem bruta foi de 28%, abaixo da margem de 28,5% apurada um ano antes. Segundo o balanço, a pressão de margem no varejo reflete a estratégia agressiva de precificação e de mix em genéricos, que foi implementada em 2018 para acelerar ganhos de participação de mercado.

Despesas foram vilão

As despesas tiveram um efeito negativo sobre os resultados. As despesas com vendas somaram R$ 795,1 milhões, enquanto no ano anterior somaram R$ 674,8 milhões no primeiro trimestre. Entre os motivos, a empresa citou despesas pré-operacionais de um centro de distribuição que será aberto em Guarulhos na segunda metade do ano e despesas maiores de frete na operação do Pará. Já as despesas gerais e administrativas totalizaram R$ 96,5 milhões, ante R$ 79,7 milhões um ano antes.

Dívida também aumentou

A dívida líquida da companhia no final de março era de R$ 937,9 milhões, ante R$ 528,8 milhões no mesmo período do ano passado. A relação entre dívida líquida e Ebitda (alavancagem) aumentou, passando de 0,5 vez para 0,8 vez na mesma comparação. Segundo a empresa, isso ocorreu devido aos elevados investimentos realizados nos últimos doze meses.

Vendas mais aceleradas

Apesar dos desafios, a Raia Drogasil também trouxe dados positivos. O crescimento da venda consolidada subiu, passando de 12,2% no início de 2018 para 15,3% no primeiro trimestre deste ano, o que mostra uma retomada em relação aos trimestres anteriores. O fundo do poço ocorreu no terceiro trimestre, quando este indicador cresceu 10,2%

No critério mesmas lojas, o crescimento passou de 2,7% para 5,6% no primeiro trimestre. Já nas lojas maduras, o primeiro trimestre de 2018 havia sido de queda de 1% nas vendas, enquanto neste ano houve crescimento de 1,9%.

Sobre os preços, a companhia disse que a erosão dos preços dos genéricos no mercado brasileiro está começando a se estabilizar.

A participação de mercado no país foi de 12,7% no primeiro trimestre, avanço de 1,1 ponto porcentual ante o mesmo período do ano anterior. Houve crescimento de participação em todas as regiões, com destaque para São Paulo, onde a companhia passou de 23,4% para 24,4% de market share.

A Raia Drogasil fechou o trimestre com 1.873 lojas em operação, depois da abertura de 62 unidades e o fechamento de 14. A companhia reiterou a previsão de encerrar 2019 com 240 aberturas.

Compartilhe

MAQUININHA DE LUCRO

PagSeguro (PAGS34) dispara após balanço e puxa ações da Cielo (CIEL3); veja os números do resultado do 2T22

25 de agosto de 2022 - 17:28

A lucro da PagSeguro aumentou 35% na comparação com o mesmo período do ano passado e atingiu R$ 367 milhões

FIM DE TEMPORADA

Nos balanços do segundo trimestre, uma tendência para a bolsa: as receitas cresceram, mas os custos, também

19 de agosto de 2022 - 16:18

Safra de resultados financeiros sofreu efeitos do aumento da Selic, mas sensação é de que o pior já passou

Investidores gostaram

Nubank (NU; NUBR33) chega a subir 20% após balanço, mas visão dos analistas é mista e inadimplência preocupa

16 de agosto de 2022 - 12:03

Investidores gostaram de resultados operacionais, mas analistas seguem atentos ao crescimento da inadimplência; Itaú BBA acha que banco digital pode ter subestimado o risco do crédito pessoal

BALANÇO

Inter (INBR31) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,5 milhões no segundo trimestre; confira os números

15 de agosto de 2022 - 21:01

No semestre encerrado em 30 de junho de 2022, o Inter superou a marca de 20 milhões de clientes, o que equivale a 22% de crescimento no período

BALANÇO DA HOLDING

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 12,5% no segundo trimestre, mas holding anuncia JCP adicional; confira os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 19:52

Holding lucrou R$ 3 bilhões no segundo trimestre e vai distribuir juros sobre capital próprio no fim de agosto

Resultados

Nubank (NUBR33) tem prejuízo acima do esperado no 2º tri, e inadimplência continuou a se deteriorar; veja os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 18:42

Prejuízo líquido chegou a quase US$ 30 milhões, ante uma expectativa de US$ 10 milhões; inadimplência veio dentro do esperado, segundo o banco

Bife suculento

Marfrig (MRFG3) anuncia R$ 500 milhões em dividendos e programa de recompra de 31 milhões de ações; veja quem tem direito aos proventos e os destaques do balanço

12 de agosto de 2022 - 13:15

Mercado reage positivamente aos números da companhia nesta sexta (12); dividendos serão pagos em setembro

Balanço

Oi (OIBR3) sai de lucro para prejuízo no 2T22, mas dívida líquida desaba

12 de agosto de 2022 - 6:45

Oi reportou prejuízo líquido de R$ 320,8 milhões entre abril de junho, vinda de um lucro de R$ 1,09 bilhão no mesmo período do ano anterior

Balanço do 2º tri

Cenário difícil para os ativos de risco pesa sobre o balanço da B3 no 2º trimestre; confira os principais números da operadora da bolsa

11 de agosto de 2022 - 19:56

Companhia viu queda nos volumes negociados e também nas principais linhas do balanço, tanto na comparação anual quanto em relação ao trimestre anterior

BALANÇO

Apelo de Luiza Trajano não foi à toa: Magazine Luiza tem prejuízo de R$ 135 milhões no 2T22 — veja o que afetou o Magalu

11 de agosto de 2022 - 19:26

O Magalu conseguiu reduzir as perdas na comparação com o primeiro trimestre de 2022, mas em relação ao mesmo período de 2021, acabou deixando o lucro para trás

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar