🔴 MELHORES MOMENTOS DO MACRO SUMMIT BRASIL 2024 – ASSISTA AQUI

Estadão Conteúdo
Balanço

Minerva Foods tem prejuízo líquido de R$ 92,1 mi no 4º trimestre (-70% em 1 ano)

Prejuízo acumulado no ano foi de R$ 1,264 bilhão, pior que o de R$ 280,7 milhões do ano anterior, uma variação de 350,6%

A Minerva Foods reportou prejuízo líquido de R$ 92,1 milhões no quarto trimestre de 2018, 70,6% menor que o de R$ 313,3 milhões registrado em igual período de 2017. No ano, o prejuízo acumulado foi de R$ 1,264 bilhão, pior que o de R$ 280,7 milhões do ano anterior, uma variação de 350,6%.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 462,8 milhões entre outubro e dezembro, um aumento de 27,4% ante igual trimestre do ano anterior. A margem Ebitda ajustada passou de 9,2% para 10% na mesma base de comparação. No ano, o Ebitda ajustado alcançou R$ 1,550 bilhão, expansão de 22,5% ante 2017.

A receita líquida da Minerva no quarto trimestre de 2018 ficou em R$ 4,610 bilhões, alta de 16,3% em relação a igual período do ano anterior, quando totalizou R$ 3,964 bilhões. No acumulado do ano, a receita atingiu R$ 16,21 bilhões, aumento 15,5% em comparação com 2017.

Os resultados de 2017 incluem números pro forma de receita líquida e Ebitda para as unidades dos ativos do Mercosul adquiridos em 01 de agosto de 2017.

O CEO da Minerva Foods, Fernando Galletti de Queiroz, destacou que a companhia gerou resultado operacional no quarto trimestre de 2018 e "só não teve lucro líquido por causa de despesas extraordinárias".

Dentre as despesas, o diretor Financeiro e de Relações com Investidores (RI), Edison Ticle, detalha uma correção monetária na Argentina, uma operação de impairment (redução do valor a recuperar do ativo imobilizado) e um resgate de bonds. "A questão da hiperinflação na Argentina gerou esse ajuste e despesa de R$ 24,7 milhões; o impairment teve efeito de R$ 18,8 milhões e o resgate de bonds, de outros R$ 59 milhões", explica.

Na avaliação de Queiroz, "a grande surpresa deste balanço foi a desalavancagem". A relação entre dívida líquida e Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado baixou de 5 vezes no terceiro trimestre de 2018 para 3,9 vezes no quarto trimestre do ano. Ao final de 2017, a alavancagem estava em 4,6 vezes. A companhia ressalta que as referências de 2017 incluem números pró-forma de receita líquida e Ebitda para plantas dos ativos do Mercosul adquiridos em 1º de agosto de 2017.

"Alta geração de caixa livre ajudou a desalavancar a companhia no quarto trimestre. Se o fluxo de caixa fosse zero no período, a alavancagem teria ficado em, aproximadamente, 4,2 vezes, que é o que o mercado estava esperando", argumenta Ticle. O fluxo de caixa livre do intervalo de outubro a dezembro de 2018 foi de R$ 363,3 milhões. No acumulado do ano este resultado alcançou R$ 752 milhões.

Compartilhe

MAQUININHA DE LUCRO

PagSeguro (PAGS34) dispara após balanço e puxa ações da Cielo (CIEL3); veja os números do resultado do 2T22

25 de agosto de 2022 - 17:28

A lucro da PagSeguro aumentou 35% na comparação com o mesmo período do ano passado e atingiu R$ 367 milhões

FIM DE TEMPORADA

Nos balanços do segundo trimestre, uma tendência para a bolsa: as receitas cresceram, mas os custos, também

19 de agosto de 2022 - 16:18

Safra de resultados financeiros sofreu efeitos do aumento da Selic, mas sensação é de que o pior já passou

Investidores gostaram

Nubank (NU; NUBR33) chega a subir 20% após balanço, mas visão dos analistas é mista e inadimplência preocupa

16 de agosto de 2022 - 12:03

Investidores gostaram de resultados operacionais, mas analistas seguem atentos ao crescimento da inadimplência; Itaú BBA acha que banco digital pode ter subestimado o risco do crédito pessoal

BALANÇO

Inter (INBR31) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,5 milhões no segundo trimestre; confira os números

15 de agosto de 2022 - 21:01

No semestre encerrado em 30 de junho de 2022, o Inter superou a marca de 20 milhões de clientes, o que equivale a 22% de crescimento no período

BALANÇO DA HOLDING

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 12,5% no segundo trimestre, mas holding anuncia JCP adicional; confira os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 19:52

Holding lucrou R$ 3 bilhões no segundo trimestre e vai distribuir juros sobre capital próprio no fim de agosto

Resultados

Nubank (NUBR33) tem prejuízo acima do esperado no 2º tri, e inadimplência continuou a se deteriorar; veja os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 18:42

Prejuízo líquido chegou a quase US$ 30 milhões, ante uma expectativa de US$ 10 milhões; inadimplência veio dentro do esperado, segundo o banco

Bife suculento

Marfrig (MRFG3) anuncia R$ 500 milhões em dividendos e programa de recompra de 31 milhões de ações; veja quem tem direito aos proventos e os destaques do balanço

12 de agosto de 2022 - 13:15

Mercado reage positivamente aos números da companhia nesta sexta (12); dividendos serão pagos em setembro

Balanço

Oi (OIBR3) sai de lucro para prejuízo no 2T22, mas dívida líquida desaba

12 de agosto de 2022 - 6:45

Oi reportou prejuízo líquido de R$ 320,8 milhões entre abril de junho, vinda de um lucro de R$ 1,09 bilhão no mesmo período do ano anterior

Balanço do 2º tri

Cenário difícil para os ativos de risco pesa sobre o balanço da B3 no 2º trimestre; confira os principais números da operadora da bolsa

11 de agosto de 2022 - 19:56

Companhia viu queda nos volumes negociados e também nas principais linhas do balanço, tanto na comparação anual quanto em relação ao trimestre anterior

BALANÇO

Apelo de Luiza Trajano não foi à toa: Magazine Luiza tem prejuízo de R$ 135 milhões no 2T22 — veja o que afetou o Magalu

11 de agosto de 2022 - 19:26

O Magalu conseguiu reduzir as perdas na comparação com o primeiro trimestre de 2022, mas em relação ao mesmo período de 2021, acabou deixando o lucro para trás

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies