Menu
2019-08-12T19:17:20-03:00
Estadão Conteúdo
Efeito pós-eleição

BC da Argentina diz que taxa de juros média do dia ficou em 74,782%

Resultado mostra que a taxa de juros no país avançou mais de 10 pontos porcentuais em apenas um dia útil

12 de agosto de 2019
19:17
Peso argentino
Peso argentino - Imagem: Shutterstock

O Banco Central da Argentina (BCRA) informou em comunicado que a taxa de juros média no dia de hoje dos leilões de Letras de Liquidez (Leliq) ficou em 74,782%. Na sexta-feira, essa taxa média havia sido de 63,706%, ou seja, a taxa de juros no país avançou mais de 10 pontos porcentuais em apenas um dia útil.

Durante um leilão de Leliq ocorrido mais cedo, a taxa média havia sido de 74,035%. Ao final do dia, a taxa de juros ficou um pouco acima disso, segundo a nota oficial do BC.

O aperto monetário ocorreu em dia de grande turbulência nos mercados argentinos, com queda acentuada das ações e o peso atingindo mínimas históricas em relação ao dólar.

Diante das intervenções no mercado cambial e a elevação dos juros pelo BCRA, o peso reduziu parte das perdas, embora tenha sido ainda assim bastante penalizado com o quadro político.

Os investidores tiveram reação negativa ao resultado das primárias eleitorais, que mostraram derrota clara para o presidente Mauricio Macri, superado por Alberto Fernández, que tem como companheira de chapa a ex-presidente Cristina Kirchner.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

em busca de energia limpa

Criptomoedas: Elon Musk diz que Tesla vendeu 10% do que detinha em bitcoin

Segundo executivo, operação prova que a criptomoeda poder ser liquidada facilmente “sem mover o mercado”

imunização

Governo de São Paulo adianta em 30 dias vacinação contra a covid-19; veja novas datas

Plano é vacinar toda a população adulta do estado, ao menos com a primeira dose, até o dia 15 de setembro

luto

Ex-presidente do BC Carlos Langoni morre de covid-19 no Rio

Carlos Langoni trabalhou no governo na virada das décadas de 1970 e 1980, quando foi presidente do BC; ele colaborou com a equipe econômica do ministro Paulo Guedes, quase 40 anos depois

nos eua

Nova ‘ação meme’? Orphazyme dispara quase 1400% em um dia e mercado não sabe por quê

Investidores da empresa aguardam uma importante atualização sobre um tratamento experimental para a doença de Niemann-Pick; sem novidades, mercado não sabe a razão da alta

entrevista

Superávit primário pode voltar em 2024, diz secretário do Tesouro

Jeferson Bittencourt diz que a melhora no quadro fiscal do País não é “sorte”; confira a entrevista

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies