Menu
2019-07-07T15:54:57-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
aqui é planejamento

Postado há 25 anos, primeiro anúncio de emprego da Amazon indicava qual seria a obsessão da empresa

Fundador da Amazon, Jeff Bezos postou, em agosto de 1994, que procurava por um programador; o texto revelava a obsessão que guiaria a companhia nos anos seguintes e faria com que ela fosse uma das mais poderosas do mundo

7 de julho de 2019
10:14 - atualizado às 15:54
Jeff Bezos Amazon
Imagem: Shutterstock

Fundador da Amazon, Jeff Bezos postou um anúncio de emprego, em agosto de 1994 - quase 25 anos atrás -, que já revelava a obsessão que guiaria a companhia nos anos seguintes e faria com que ela fosse uma das mais poderosas do mundo.

Ao publicar que procurava por um profissional para o cargo de programador, o CEO da Amazon disse que o candidato deveria ser capaz de construir e administrar sistemas complexos levando um terço do tempo que a pessoa mais competente pensaria ser possível fazer esse mesmo trabalho.

O post revela que a linha que guia a empresa já estava presente desde a sua fundação, naquela mesmo ano.  A rapidez é um ethos que impulsiona a Amazon porque a alternativa, segundo Bezos em mais de uma ocasião, é a morte da empresa.

Romantismo à parte, o site Business Insider lembra que relatórios sobre as condições de trabalho da Amazon chegaram a descrever pressão intensa sobre os funcionários, que eram cobrados intensamente pela velocidade de trabalho.

De concreto, segundo o site, há relatos de trabalhadores de armazéns e motoristas de entregas pulando refeições e intervalos apenas para cumprir a meta. A empresa, por outro lado, hoje diz estar orgulhosa de suas "excelentes condições” de trabalho, salários, benefícios e oportunidades.

O anúncio postado por Jeff Bezos para trabalhar na Amazon. Fonte.

Nem o céu é o limite

Mesmo com as polêmicas, a Amazon segue firme oferecendo diversos serviços que primam, entre outras coisas, pela velocidade - isso para não falar de outras iniciativas do seu fundador, como colonizar a Lua.

A empresa está estruturando o serviço de entregas por drones, para se tornar ainda mais ágil. Recentemente, a companhia também anunciou um investimento de US$ 1,5 bilhão num aeroporto nos Estados Unidos para agilizar as entregas no serviço Amazon Prime. O plano é construir um hub para os cargueiros da empresa no Aeroporto Internacional de Cincinnati, em Ohio, Estados Unidos.

Nos últimos anos, a Amazon começou a montar uma frota aérea própria em busca de uma maior autonomia no processo de entrega do produtos. Em 2016, a gigante varejista apresentou o avião Amazon One, posteriormente outras aeronaves vieram, num acordo inicialmente com duas companhias parceiras (Atlas e Air Transport Services).

O Brasil mesmo já viu movimento semelhante da empresa, ainda que muito mais tímido. No início deste ano a Amazon anunciou que passaria a vender e entregar os produtos — antes o formato era de market place, em que a companhia vendia e, em grande parte, os produtos eram entregues por parceiros.

*Com informações do site Business Insider

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Direto na conta

Caixa começa a pagar hoje segunda parcela do auxílio emergencial

Nascidos em janeiro receberão nas contas poupança digitais

ESTRADA DO FUTURO

As ações de tecnologia estão caras ou baratas? Saiba como os analistas fazem as contas

Com o tempo, a análise dessas empresas migrou da abordagem de tradicional para um modelo de probabilidades e grandes números

Pandemia

Número de óbitos por covid-19 passa de 434 mil; casos passam de 15,5 milhões

Mais de 2 mil mortes e 67 mil novos casos foram registrados nas últimas 24 horas

Polui menos

Petrobras bate recorde de vendas de diesel S-10

Impacto ambiental do derivado é menor

Acabou a mamata?

Congresso reage a supersalários da cúpula do governo

Medida beneficia diretamente o presidente Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies