O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

Richard Camargo
Estrada do Futuro
Richard Camargo
Formado em Economia pela Universidade de São Paulo, Richard trabalhou por 5 anos na área tecnológica até chegar na Empiricus.
2022-05-11T01:17:48-03:00
ESTRADA DO FUTURO

Resultado da Amazon pode ter decepcionado o mercado, mas a gigante do e-commerce tem a joia da coroa do setor de tecnologia

Atenções estão voltadas para a AWS, divisão de infraestrutura em nuvem da Amazon, que deve começar a atrair cada vez mais investimentos

5 de maio de 2022
6:12 - atualizado às 1:17
Montagem com Jeff Bezos e um celular com a tela na Amazon
Amazon, a empresa de Jeff Bezos, tem a joia da coroa do setor de tecnologia. Imagem: Shutterstock/Unsplash

Olá, seja bem-vindo à Estrada do Futuro, onde conversamos semanalmente sobre a intersecção entre investimentos e tecnologia. Nos EUA, estamos a todo vapor na temporada de resultados do primeiro trimestre de 2022.

Na semana passada, todas as Big Techs divulgaram seus números. 

A Microsoft fez bonito, subindo 8% e o Meta (antigo Facebook), conforme eu tanto insisti após o último resultado, mostrou que a reação do mercado na ocasião foi exagerada e subiu 18% após os seus números.

Os destaques negativos entre as Big Techs foram o Google, que saiu-se bem, porém caiu 4% com o mercado respondendo mal à desaceleração do Youtube, e a Apple, que apesar de um resultado muito forte, não se comprometeu com um guidance animador para o próximo trimestre.

O grande destaque dessa temporada, porém, foi a Amazon.

Após a divulgação dos seus números, a gigante do e-commerce caiu mais de 14%. Vamos entender o que aconteceu.

Amazon cresce, pero no mucho

No consolidado, a Amazon cresceu. Esse crescimento, porém, foi composto de um mix bastante particular: o e-commerce encolheu no mundo todo, com exceção dos EUA e a divisão de infraestrutura em nuvem, a Amazon AWS, deu show.

No consolidado, a Amazon reportou US$ 116,4 bilhões em receitas, um crescimento de 7,3% na comparação anual.

O e-commerce cresceu nos EUA, somando US$ 69,2 bilhões, 7,5% acima do ano passado.

Parece pouco?

É difícil julgar o ritmo de crescimento da Amazon. Por conta da pandemia e do "boom" que ela trouxe ao e-commerce, no mesmo período de 2021, a divisão estava crescendo num ritmo insustentável, superior a 40%, numa escala multibilionária.

Abaixo, compilo para você o crescimento trimestral da Amazon, desde 2016.

Elaboração: Autor | Fonte: Amazon

No internacional, a situação foi diferente. Por vários motivos, entre eles a força do dólar contra as demais moedas fortes, a inflação e os problemas na cadeia logística, a receita caiu 6,1%.

O grande destaque do resultado, mais uma vez, foi a Amazon AWS, braço de infraestrutura em nuvem, que cresceu impressionantes 37%, somando vendas de US$ 18,44 bilhões no trimestre.

Desafiando a "lei dos grandes números", o resultado da AWS é simplesmente impressionante.

Elaboração: Autor | Fonte: Amazon

Mais detalhes, por favor

Mais importante do que o crescimento (ou a ausência dele) em cada uma das linhas de negócio da Amazon, seu resultado trouxe de volta o fantasma de um passado não tão distante: os prejuízos.

Depois de três anos acostumados com lucros trimestrais (ainda que pequenos), além de excelentes resultados consecutivos durante a pandemia, os acionistas da Amazon se surpreenderam com um prejuízo e tanto.

Elaboração: Autor | Fonte: Koyfin

Quando entramos no detalhe de cada um dos seus segmentos, mais importante que o consolidado é a compreensão do "mix" que mencionei anteriormente.

Por exemplo, a margem operacional da Amazon AWS foi a maior da sua história, enquanto o e-commerce voltou a perder dinheiro.

Nos EUA, o e-commerce fez pior margem desde, pelo menos, 2016.

Abaixo, mais uma cortesia, compilo o histórico de margens de cada segmento.

Elaboração: Autor | Fonte: Amazon

Fora dos EUA, o dólar se impôs contra todas as moedas fortes e a margem do e-commerce internacional voltou aos níveis anteriores à pandemia.

Na Amazon AWS, como eu havia dito, a margem foi a melhor da série histórica.

Elaboração: Autor | Fonte: Amazon

Só o futuro interessa

No call de resultados, seus executivos tentaram responder a questão que voltou a assolar os investidores: será que algum dia o e-commerce da Amazon será lucrativo?

Para responder a essa pergunta, eles se esforçaram para colocar em perspectiva todos os desafios de curto prazo que o setor vive.

Por exemplo, entre fretes mais caros (1,5x superiores ao ano passado), combustíveis e salários, a Amazon teve um aumento de custos da ordem de US$ 2 bilhões.

Devido à variante Ômicron, entre dezembro e janeiro, eles aceleraram o ritmo de contratações e agora perceberam o problema oposto: passaram da escassez de funcionários ao excesso, com impactos na produtividade estimados também em US$ 2 bilhões.

Com impactos similares de custos devido a outros fatores inflacionários, os executivos falaram que as cifras anteriores representam dois terços da detração de margem, e que corrigi-la está entre suas metas para os próximos meses.

Amazon já provou que pode ser lucrativa no e-commerce

Na pandemia, a Amazon mostrou que pode ser lucrativa no e-commerce mantendo elevado nível de serviço. Também para 2022, o mercado espera que o ritmo dos investimentos diminua e seja cada vez mais concentrado na AWS, onde o retorno é maior e mais rápido.

Por exemplo, em 2021, os investimentos na infraestrutura da AWS representaram 40% do CAPEX da Amazon; eles devem representar 50% neste ano.

A Amazon é uma das maiores empresas do mundo e possui a joia da coroa do setor de tecnologia, a impressionante AWS.

Aos preços atuais, eu mantenho recomendação de compra para a ação em diversas séries que contribuo na Empiricus. Definitivamente, AMZN - cujo BDR é negociado na B3 sob o ticker AMZO34 - é uma ação para estar na sua carteira.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

INTERNET DO MUSK

O que faz a Starlink, empresa que trouxe Elon Musk ao Brasil e que deve operar na Amazônia

A empresa de Elon Musk, Starlink, promete internet ultrarrápida e deve começar as suas operações ainda neste ano; Anatel já deu aval

FECHAMENTO DO DIA

Escapou do urso: S&P 500 consegue fechar no azul em recuperação dramática; saiba o que aconteceu com as bolsas nos EUA

Dois fatores são centrais para entender o comportamento do S&P 500, do Nasdaq e do Dow Jones nas últimas semanas; entenda

FECHAMENTO DO CÂMBIO

Dólar recua 0,87% e vale R$ 4,87. Euro também cai e vale R$ 5,13; confira o que movimentou o câmbio nesta sexta-feira

Apesar do predomínio de um certo humor pessimista pelo mundo, o real conseguiu ter mais um dia de ganhos em relação ao dólar

VISÃO MACRO

Por que o mercado exagera ao temer uma recessão nos Estados Unidos e na China

Os sinais de uma possível recessão nas grandes economias, como EUA e China, e o aumento de um pessimismo generalizado parecem ter tomado conta dos mercados

CHAPÉU NA RECEITA

Criador da Terra (LUNA), criptomoeda que virou pó, deve cerca de US$ 78 milhões ao governo da Coreia do Sul e Terraform Labs deixa investidores com prejuízo de US$ 1,1 milhão

As acusações acontecem em meio a uma reformulação do protocolo, que pretende pagar os usuários que perderam dinheiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies