Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2019-12-11T19:43:41-03:00
SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

A última superquarta do ano

11 de dezembro de 2019
19:43
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Nesta última superquarta de 2019, o mercado ficou em compasso de espera pelas decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed), o banco central americano, e do Banco Central brasileiro.

No meio da tarde, o Fed anunciou a manutenção das taxas de juros, interrompendo um ciclo de três reduções consecutivas. Mas como o resultado já era amplamente esperado, os mercados mal reagiram.

Após o fechamento das bolsas, foi a vez de o Comitê de Política Monetária do nosso BC - o Copom ou “Pompom”, para os jornalistas engraçadinhos - anunciar mais um corte na taxa Selic, que bem pode ser o derradeiro. Será?

O Vinícius Pinheiro traz os detalhes sobre a decisão do Copom e o seu comunicado emitido ao mercado. Já o Victor Aguiar conta, nesta matéria, sobre a decisão do Fed, o desempenho dos mercados nesta quarta-feira e as ações de duas empresas de educação que foram os destaques de alta neste dia de relativo marasmo na bolsa.

Apenas o começo

A XP Investimentos estreou hoje na Nasdaq em grande estilo: com preço de oferta acima da faixa indicativa e alta de quase 28% apenas no primeiro dia de negociação. Durante a cerimônia de abertura de capital da companhia em Nova York, seu presidente, Guilherme Benchimol, se enrolou na bandeira do Brasil e disse que aquele era só o início da jornada.

Pessoa física de fora

Os investidores pessoas físicas brasileiros, porém, tiveram dificuldade de participar do IPO da XP. Apenas alguns fundos de investimento foram alocados. Aqueles lançados pela Vitreo ficaram de fora, só podendo comprar os papéis da corretora após o início das negociações. A própria XP, aliás, lançou fundos para investir nos seus papéis, também no mercado secundário. Será que vale a pena investir? O Vinícius Pinheiro acompanhou a história e trouxe todos os detalhes nesta matéria.

Até que enfim, CVM!

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o “xerife” do mercado de capitais brasileiro, finalmente colocou em audiência pública uma proposta para flexibilizar as regras para a emissão de recibos de ações de empresas listadas em outras bolsas, conhecidos como BDRs. Antes tarde do que mais tarde. Se essa discussão já tivesse sido feita antes, e as regras propostas já estivessem em vigor, os investidores pessoas físicas talvez não tivessem tanta dificuldade de acessar as ações da XP. Entenda o porquê, nesta matéria do Vini.

Reforço no caixa

Dona de marcas como John John, Dudalina e Le Lis Blanc, a Restoque irá novamente à bolsa. A empresa, que vem passando por um 2019 complicado, anunciou que vai realizar uma nova oferta com a distribuição primária de 15 milhões de ações ordinárias. A oferta pode chegar a R$ 278,4 milhões e deve fortalecer o caixa da companhia. Leia mais na matéria da Jasmine Olga.

BMG compra BMG

Menos de dois meses atrás, o banco BMG realizou a sua grande estreia na bolsa. Mas, de lá pra cá, a vida dos acionistas não tem sido fácil. Com uma desvalorização de 24% desde o IPO, as ações são consideradas baratas por muita gente, inclusive o próprio BMG. A instituição financeira anunciou a abertura de um programa de recompra de até 11 milhões das ações disponíveis no mercado. Confira os detalhes na matéria da Jas lá no Seu Dinheiro.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

entrevista

Por que o coronavírus é mais um elemento de risco à economia, segundo este especialista

Segundo o economista-chefe da consultoria MB Associados, Sergio Vale, a doença aumenta as incertezas nos mercados; entenda

dados oficiais

Na China, número de mortes pelo coronavírus passa de 100

Autoridades de saúde da China afirmam que mais de 4 mil pessoas foram infectadas

precaução

Por receio do coronavírus, China adia reabertura do mercado de ações

Originalmente, os negócios nas bolsas de Xangai e de Shenzhen seriam retomados na sexta-feira; agora, serão voltam segunda

Produtos de investimento

Na disputa com plataformas, Itaú lança fundo que segue carteira recomendada pelo banco

Fundo lançado há pouco mais de uma semana na rede já conta com R$ 500 milhões em patrimônio e permite que cliente invista em toda a carteira de recomendações em um único produto

Vítima da guerra das maquininhas

Lucro da Cielo cai pela metade em 2019 e despenca 68% no 4º trimestre

A estratégia deliberada da empresa controlada por Banco do Brasil e Bradesco é sacrificar as margens de lucro para defender a liderança do mercado de maquininhas de cartão. Os números refletem bem esse esforço, para o bem e para o mal

POLÍTICA

Moro diz que quem vai decidir o vice (em 2022) é o presidente; mas ideal é o vice Mourão

O ministro considerou que “pode ser que no futuro lá distante volte a se cogitar isso” e defendeu: “Não acho uma boa ideia”. “Os ministérios juntos são mais fortes.”

APROVADA SEM RESTRIÇÕES

Cade aprova compra da Embraer pela Boeing

A operação analisada pelo Cade prevê duas transações. Uma delas consiste na aquisição pela Boeing de 80% do capital do negócio de aviação comercial da Embraer, que engloba a produção de aeronaves regionais e comerciais de grande porte (operação comercial)

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Bolsa contaminada pelo coronavírus

Caro leitor, A semana começou mal para as bolsas do mundo todo. O avanço do coronavírus na China durante o fim de semana colocou os mercados de molho nesta segunda. Já foram confirmados quase 3 mil casos em mais de dez países, sendo a maioria deles na China. Até agora, foram computadas 82 mortes. Os […]

Cautela elevada

Em dia de queda de 3% do Ibovespa com alerta sobre coronavírus, ações de drogaria sobem

A disseminação do coronavírus elevou a aversão ao risco nos mercados financeiros, derrubando o Ibovespa e fazendo o dólar romper a marca de R$ 4,20. Apenas cinco ações do índice subiram, incluindo Raia Drogasil

DE OLHO NO CORONAVÍRUS

‘Índice do medo’ atinge patamar visto no auge da guerra comercial e sobe mais de 25%

Na máxima intradiária, o indicador chegou a bater a casa dos 19,02 pontos, valor que não era visto desde outubro do ano passado quando ele atingiu a marca dos 19,28 pontos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements