Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T14:15:36-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Mineradora divulga resultados

Lucro líquido da Vale no 3º trimestre vem acima do esperado e atinge R$ 8,3 bilhões

Um dos destaques do balanço foi a redução na dívida, que se aproximou da meta estabelecida pela companhia

24 de outubro de 2018
20:11 - atualizado às 14:15
Navio da Vale
Resultados vieram acima das projeções de analistas consultados pela BloombergImagem: Agência Vale

A Vale apresentou nesta quarta-feira, 24, um balanço bem animador para seus acionistas. O lucro líquido recorrente da mineradora fechou o 3º trimestre em R$ 8,309 bilhões, valor 24,7% maior do que os R$ 6,661 bilhões apurados no mesmo período do ano passado.

O lucro recorrente também ficou acima da projeção média de analistas consultados pela Bloomberg, que esperavam um resultado positivo de R$ 7,006 bilhões entre julho e setembro. Esse indicador (lucro líquido recorrente) é mais usado pelos investidores para avaliar se a empresa teve um bom desempenho, já que exclui do resultado fatores extraordinários do período, tais como a variação cambial e swap da dívida.

Já o lucro líquido contábil da Vale fechou o trimestre em R$ 5,6 bilhões, queda de 21,5% em relação aos R$ 7,14 bilhões do mesmo período de 2017.

Veja os principais números consolidados comparados com as estimativas de analistas consultados pela Bloomberg:

  • Lucro líquido recorrente atingiu R$ 8,309 bilhões, alta de 24,7% em relação ao 3º trimestre de 2017. A expectativa era de um lucro de R$ 7,006 bilhões.
  • Ebitda ajustado de R$ 17,4 bilhões, acima da projeção de R$ 16,07 bilhões da Bloomberg e do resultado de 2017 (R$ 13,25 bilhões).
  • Receita líquida de R$ 37,9 bilhões, forte crescimento em relação aos R$ 28,6 bilhões dp 3º trimestre de 2017 e acima da projeção de R$ 35,6 bilhões dos analistas.

A geração de caixa da empresa, medida pelo Ebitda ajustado (que considera o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), fechou o trimestre com alta de 31,2%, a R$ 17,4 bilhões. No mesmo trimestre de 2017, o Ebitda ajustado foi de R$ 13,25 bilhões.

O salto na receita

Outro item de destaque no resultado da mineradora foi o expressivo aumento da receita líquida trimestral. No terceiro período do ano, a Vale registrou receita de R$ 37,9 bilhões, o que representa uma alta de 32,5% na comparação com o mesmo período de 2017, quando a receita líquida foi de R$ 28,6 bilhões.

De acordo com o relatório da empresa, esse salto nas receitas teve três motivos principais: o primeiro deles foi o maior volume de vendas. Já o segundo motivo foi a forte variação cambial no período. Neste ponto vale lembrar que no terceiro trimestre, por conta de toda a especulação eleitoral, o dólar disparou e chegou a ser cotado acima de R$ 4,10. Como os principais produtos da Vale (minério de ferro) são negociados em dólar, a empresa se beneficiou dessa valorização cambial.

A terceira razão para que as receitas subissem foi a valorização dos preços desses mesmos produtos vendidos pela empresa, como o minério de ferro. No relatório, a Vale comenta:

"Os fortes resultados do terceiro trimestre mostram a mudança estrutural nos mercados de minério de ferro e aço chineses. Somos a empresa de mineração mais bem posicionada para nos beneficiarmos do "flight to quality", dada a crescente participação de produtos premium"

A produção de minério de ferro bateu recorde trimestral ao somar 104,945 milhões de toneladas. Isso representa um aumento de 10,3% em relação a igual período do ano anterior e fez com que o acumulado do ano chegasse a 283,652 milhões de toneladas, crescimento de 3,1%.

Os números em dólares

Como todo o comércio de minérios da Vale é realizado no mercado internacional, grande parte dos investidores fica atento aos resultados da Vale apresentados na moeda dos EUA. Nesse tipo de câmbio, o lucro líquido recorrente da Vale foi de US$ 2,056 bilhões, queda de 1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Pelo modelo recorrente, a companhia informou que o número não considera o efeito da depreciação do real sobre a dívida denominada em dólares e ajustes contábeis.

O Ebitda ajustado somou US$ 4,374 bilhões, aumento de 4% ante o mesmo trimestre do ano anterior. Já a receita líquida chegou em US$ 9,543 bilhões no período, uma expansão de 5% ante o visto em 2017.

Aproveitando que estamos abordando números em dólar, a dívida líquida seguiu uma trajetória de queda que vem sendo observada no últimos trimestres. Segundo a Vale, ela praticamente alcançou a meta de US$ 10 bilhões e estava em US$ 10,704 bilhões em 30 de setembro de 2018, uma redução de US$ 815 milhões em relação a 30 de junho de 2018 e US$ 10,362 bilhões em relação a 30 de setembro de 2017, atingindo o menor nível de endividamento líquido desde o 3º trimestre de 2009.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

De onde vem o dinheiro?

Governo confirma Auxílio Brasil em R$ 400, mas sem revelar de onde vai tirar o dinheiro para bancar o benefício

O ministro da Cidadania não respondeu às perguntas da imprensa nem confirmou a fonte de renda para o novo programa social, o que é a grande preocupação dos mercados

O que vem depois da lua?

Depois do recorde: até onde vai a alta do bitcoin? Especialista em criptomoedas responde

Depois da aprovação do primeiro ETF em criptomoedas, o bitcoin (BTC) não para de subir e as estimativas são otimistas — mas os EUA podem mudar o jogo

Analistas respondem

Ações da Vale aprofundam queda com sinais ruins do relatório de produção e vendas no 3º trimestre. Hora de comprar VALE3?

Analistas apontam que, enquanto a produção foi sólida, a venda de minério de ferro veio abaixo do esperado até pelas estimativas mais conservadoras

Puxando os ETFS

Chove bitcoin, molha ETF: fundos de índice brasileiros sobem até 19% em dia de recorde do BTC

Enquanto o primeiro ETF de criptomoeda dos Estados Unidos avança tímidos 3%, na B3, o avanço é de até 19,78%

Cabo de guerra

Sem explicar origem da verba, Bolsonaro confirma Auxílio Brasil em R$ 400 e promete respeitar teto de gastos

Apesar da promessa do presidente, o governo flerta com a flexibilização do teto para conseguir arcar com o valor do benefício

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies