Menu
2019-04-20T16:56:27-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Balanços internacionais

Na bolsa de NY, duas gigantes ganham os holofotes: Twitter e Google surpreendem (e muito) com seus balanços

Enquanto o Twitter conseguiu reverter o prejuízo do ano passado, a Alphabet teve um salto de US$ 6 bilhões no lucro

25 de outubro de 2018
17:45 - atualizado às 16:56
Twitter
Imagem: shutterstock

Duas gigantes de tecnologia movimentaram a bolsa de Nova York nesta quinta-feira, 25, com balanços acima das expectativas, mas em realidades opostas. O Twitter divulgou seus números logo cedo, revertendo o prejuízo do 3º trimestre do ano passado com um lucro líquido de US$ 789 milhões e gerando uma receita animadora (US$ 758 milhões).

Já a Alphabet, dona de ninguém menos que o Google, apresentou já no fim do dia um lucro líquido de US$ 9,19 bilhões no 3º trimestre, um avanço de US$ 6,7 bilhões sobre o resultado do mesmo trimestre do ano passado.

Veja os principais números das duas empresas:

Twitter

  • Lucro líquido: US$ 789 milhões, revertendo prejuízo de US$ 21 milhões do mesmo período do ano passado
  • Receita: US$ 758 milhões ante os US$ 701 milhões do ano passado

Alphabet

  • Lucro líquido: US$ 9,19 bilhões, número US$ 6,7 bilhões acima do mesmo período do ano passado
  • Receita: US$ 33,7 bilhões, crescimento de 21% na comparação com o 3º trimestre de 2017

No Twitter, mais publicidade e menos usuários

Em comunicado ao mercado, o Twitter destacou que o aumento de publicidade na plataforma impactou fortemente nos resultados da empresa. A ação da companhia saltou em valor já no pré-mercado de NY, chegando a níveis não vistos desde o início de setembro.

Por outro lado, a empresa voltou a ter queda em sua base de usuários. Ao todo, o Twitter informou ter 326 milhões de usuários ativos mensais, o que representa uma queda de 4 milhões na comparação com o mesmo período do ano passado. A expectativa de analistas da FactSet era de um aumento para 331,5 milhões.

Na comparação com o segundo trimestre deste ano, a quantidade de usuários ativos mensais diminuiu 9 milhões, o segundo recuo consecutivo. Já o número de usuários ativos diários aumentou 9% na comparação com o terceiro trimestre de 2017.

No Google, um detalhe não deixou o balanço ser perfeito

A Alphabet teria feito toda a sua lição de casa perfeitamente, não fosse um detalhe. O lucro líquido e a receita foram invejáveis e os custos de aquisição de tráfego (US$ 6,58 bilhões) cresceram mais de US$ 1 bilhão. Mas o valor agregado por clique, aquela medida que mostra o quanto os anunciantes pagam pelo clique dos usuários do Google no link, tropeçou feio e caiu 28% na comparação anual.

Mesmo com o volume de cliques pagos crescendo 62%, o forte recuo do preço desses cliques estragaram o humor dos investidores americanos. No after market da bolsa de Nova York, as ações chegaram a cair mais de 7%. Essa sangria só foi estancada porque os outros números foram arrasadores.

Outros balanços internacionais

  • Amazon: apresentou lucro líquido recorde de US$ 2,883 bilhões, número onze vezes maior do que o ganho de US$ 256 milhões do mesmo período do ano anterior e superou a projeção da própria empresa. As vendas líquidas aumentaram 29% em relação ao terceiro trimestre de 2017, para US$ 56,576 bilhões, dentro das expectativas. Foi por causa das vendas que as ações da Amazon recuaram fortemente no after market em Nova York.
  • American Airlines: registrou lucro líquido US$ 341 milhões no terceiro trimestre, uma queda de 48,41% em relação ao mesmo período do ano passado. Já a receita da aérea passou de US$ 10,97 bilhões entre julho e setembro do ano passado para US$ 11,56 bilhões no período. Em relatório ao mercado, a empresa disse que o aumento da receita foi compensado negativamente pela elevação dos preços dos combustíveis, resultando na queda dos ganhos.
  • Merck & Co: apresentou lucro líquido de US$ 1,95 bilhão no terceiro trimestre, invertendo o prejuízo de US$ 56 milhões do mesmo período do ano anterior. A receita subiu 4,5% no terceiro trimestre sobre o ano passado e ficou em US$ 10,79 bilhões.
  • ConocoPhillip: teve lucro líquido de US$ 1,9 bilhão. O número é mais de quatro vezes maior que os US$ 420 milhões divulgados no mesmo período do ano passado. A receita saltou 41% na comparação anual do terceiro trimestre, para US$ 10,17 bilhões.
  • Snap: dona do Snapchat teve prejuízo líquido de US$ 325,148 bilhões. Apesar do tombo, a receita subiu 43% em relação ao mesmo período do ano anterior, passando para US$ 297,685 milhões. A empresa teve 186 milhões de usuários ativos diários no período entre julho e setembro, um aumento de 5% na comparação com o 3º trimestre de 2017.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

10 notícias para começar o dia bem informado

A Moura Dubeux, líder no Nordeste, tornou-se a primeira incorporadora regional a abrir o capital na B3. A estreia das suas ações foi em fevereiro deste ano, um pouco antes da crise do coronavírus derrubar os mercados. Os papéis da empresa desabaram e ainda não se recuperaram completamente do tombo. Quem comprou a ação no […]

Inovação

IRB e B3 anunciam parceria para uso de blockchain na negociação de seguros e resseguros

Segundo as empresas, a iniciativa visa conectar corretores, seguradores e resseguradoras em uma mesma rede, possibilitando que processos que hoje levam meses para serem concluídos sejam finalizados em alguns segundos.

BOM MOMENTO

SP tem alta nas vendas e lançamentos de imóveis em setembro, diz Secovi

No acumulado de 12 meses, vendas totalizam 49.715 unidades, alta de 12,7%, e lançamentos sobem 1,3%, para 56.646 unidades

EXPANDINDO

BTG Pactual fecha acordo para adquirir Necton Investimentos por R$ 348 milhões

Aquisição, se confirmada, vai de encontro com o objetivo do banco de acelerar suas iniciativas estratégicas e expandir sua plataforma de varejo digital

NÚMEROS DA PANDEMIA

Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por covid-19

País registrou 13.493 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo Ministério da Saúde

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies