2018-10-25T20:51:59-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Gigante de papel e celulose

Suzano registra prejuízo líquido de R$ 107,6 milhões no 3º trimestre

Dólar mais forte fez com que as despesas da empresa subissem, levando o desempenho da companhia para baixo

25 de outubro de 2018
20:13 - atualizado às 20:51
Suzano Papel e Celulose - Imagem: Amanda Oliveira/Governo da Bahia

A Suzano registrou prejuízo líquido de R$ 107,6 milhões no 3º trimestre, revertendo lucro de R$ 801 milhões registrado no mesmo período do ano passado. Apesar de o rombo ser inferior ao prejuízo líquido de R$ 1,8 bilhão do 2º trimestre, o número é ruim se compararmos as expectativas do mercado, que projetavam um lucro de R$ 524 milhões, segundo a Bloomberg.

Confira um resumo do desempenho da Suzano:

  • Prejuízo líquido de R$ 107,6 milhões, revertendo o lucro de R$ 801 milhões no 3º trimestre de 2017
  • Ebitda de R$ 2,1 bilhões, recorde e alta de 78,6% em relação ao mesmo período do ano passado
  • Receita líquida: R$ 4,0 bilhões, alta de 54,4% na comparação anual

O dólar mais forte, que a um primeiro momento impulsionaria o preço do papel e da celulose e traria mais caixa para a Suzano, acabou se tornando também um problema. Isso porque, segundo a companhia, as despesas financeiras subiram 50,8% em relação ao 3º trimestre de 2018 e foram influenciadas pela variação cambial que tornou mais caras as dívidas e financiamentos em dólar feitos pela Suzano para a fusão com a Fibria.

A dívida líquida da empresa atingiu R$ 10,8 bilhões ao final de setembro, alta de 16,9% em relação ao 3º trimestre do ano passado.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, termômetro do mercado para mensurar a capacidade operacional das empresas, bateu recorde ao crescer 78,6% no comparativo anual e atingir R$ 2,1 bilhões. O número ficou acima das previsões de analistas consultados pela Bloomberg que projetavam Ebitda de R$ 1,96 bilhões.

A receita líquida da empresa somou R$ 4,006 bilhões, alta de 54,4% em relação ao mesmo período de 2017 e expansão de 25% em relação ao segundo trimestre de 2018. Parte desse desempenho foi ajudado pelo aumento de 8,7% no volume total de vendas de papel e celulose no trimestre, que totalizou 1.238,8 mil toneladas. No acumulado de janeiro a setembro de 2018, são 3.484,2 mil toneladas de papel e celulose comercializadas.

Já a alavancagem, medida pela relação dívida líquida e Ebitda, da Suzano Papel e Celulose recuou de 1,7 vez em junho para 1,6 vez em setembro de 2018. Em setembro do ano passado, o nível de alavancagem da companhia estava em 2,3 vezes.

*Com Estadão Conteúdo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

BITCOIN (BTC) HOJE

Bitcoin (BTC) cai hoje, mas projeções para mercado de criptomoedas permanecem otimistas, segundo analistas; Cardano (ADA) dispara mais de 8%

Qualquer gatilho neste momento pode desencadear uma alta de preços e um novo bull market das criptomoedas

EXILE ON WALL STREET

Você quer ser reconhecido ou quer ganhar dinheiro? Entenda por que estar na moda nem sempre significa lucrar

O objetivo do investidor não deveria ser estar na moda nem ser reconhecido em conversas pseudointeligentes, uma vez que os ciclos não necessariamente se repetem à frente

Insights para lucrar

VOTAÇÃO: Qual o investimento mais atrativo para o seu patrimônio em 2022?

Seu Dinheiro abre espaço de diálogo entre investidores para cada um saber o que o outro pensa sobre bolsa, criptomoedas, renda fixa e muito mais; vote

BRASILEIRO NÃO DESISTE NUNCA

Longe do fim: Aliansce Sonae (ALSO3) avisa que vai insistir na fusão com a brMalls (BRML3)

Negócio bilionário entre as gigantes rivais daria origem à maior administradora de shoppings da América Latina

TRÉGUA CLIMÁTICA

Depois da Usiminas, Vale anuncia retomada gradual das atividades após chuvas devastadoras em MG

Retorno parcial das operações coincide com trégua nos temporais que deixaram dezenas de mortos e milhares de desabrigados no Estado